domingo, 19 de fevereiro de 2012

Cercado de idiotas


O rei não queria uma odalisca que suprisse tudo o que ele sentia falta.

O rei olhou para o seu reino da janela de seu castelo, uma obra-prima da arquitetura moderna. Sentia uma espécie de vazio no peito e que aquele luxo e conforto todo era apenas uma mentira, uma fuga. Por mais que gostasse da riqueza, não o agradava ver seu castelo maravilhoso rodeado pela pobreza e pela ignorância. Às vezes reprimia tais pensamentos e simplesmente não queria pensar naquilo porque incomodava. Não queria justiça social, pois não queria que sua cultura fosse descoberta e admirada pelos boçais que de nada entendiam dela. Queria que o mundo fosse repleto de pessoas como ele, mas como não era, o sentimento de vazio era uma constante em sua vida.

Defenestrar o cérebro, queimar o conhecimento, viver rodeado de odaliscas e assistentes de palco que se reduziam a um objeto sexual não ajudou. Foi apenas um sedativo momentâneo. Foi como usar drogas e, depois de enxergar a feiura do mundo quando passa o efeito, queria se drogar mais, mas sabia que drogar-se era apenas uma ilusão.

Queria reduzir os seus pensamentos inquietantes a um tweet de 140 caracteres ou até menos. Era como se escrevesse no ar, como se falasse e, por mais que as pessoas se esforçassem para entendê-lo, não conseguiam compreendê-lo. Por mais que você leia, escute, absorva e estude qualquer tipo de experiência, você só há de compreendê-la quando vivenciá-la.

Ele estava cansado. Cansado de falar e falar e ninguém escutar. Cansado das pessoas outrora estúpidas que tornaram a "crítica especializada" desde coisas importantes a coisas banais. Cansado da alegria exagerada para também disfarçar um vazio. Cansado de estar cercado de idiotas que ele pensava merecer seu respeito e, depois do tradicional sumiço, perceber que perdera tempo com uma pessoa imbecil.

Não que o rei quisesse que uma odalisca suprisse tudo o que ele sentia falta. Ele já passara do tempo de pensar que uma pessoa poderia preencher o seu vazio. Ele apenas queria conhecer pessoas que pensassem e sentissem como ele. Talvez isso diminuísse um pouco o seu sentimento de solidão.

EDDIE VEDDER - Society by guccis2000

2 comentários:

  1. peterson, mais um texto bacana.

    infelizmente não existe ninguém que possa suprir tudo aquilo que a gente sente falta. algumas coisas até pode ser, mas tudo, é impossível. por isso cada um tem que aprender a lidar com isso, com essas frustações quando algo falha ou não acontece. senão a gente acaba jogando isso pro outro, na esperança de que o outro mude para que a gente não se sinta assim quando na verdade a gente é quem tem que mudar pra aceitar isso.

    legal a tirinha do link.
    abraços!

    ResponderExcluir
  2. que tal retirar essa verificação de palavras do comentário? facilita aí...

    ResponderExcluir