domingo, 2 de outubro de 2011

No fim das contas

No fim das contas, você conquista aquilo o que você merece.

As pessoas dizem que é impossível dar certo o amor entre pessoas ricas e pobres. Quem é rico ficaria incomodado com a falta de boas maneiras e o comodismo com o pouco. Quem é pobre ficaria constrangido com o vocabulário rico, a bagagem cultural, um estilo de vida totalmente oposto. Mas se não houver a vontade de construir algo juntos e superar as barreiras sociais e do complexo de inferioridade, pessoas pobres terminarão com pessoas pobres e pessoas ricas terminarão com pessoas ricas.

As pessoas dizem que é impossível dar certo o amor entre pessoas bonitas e feias. Quem é bonito ficaria incomodado por não ter uma pessoa “apresentável” aos seus pais e amigos. Quem é feio teria constantes acessos de ciúme e insegurança devido ao seu complexo de aparência. Mas se não houver a vontade de construir algo juntos e superar as barreiras da estética e da falta de confiança em si e no outro, pessoas feias terminarão com pessoas feias e pessoas bonitas terminarão com pessoas bonitas.

As pessoas dizem que é impossível dar certo o amor entre um homossexual assumido e outro no armário. Quem é assumido ficaria incomodado ao sentir que impinge constrangimento ao seu namorado. Quem está no armário ficaria constrangido ao demonstrar afeto em público e a revelar-se homossexual para seus pais e amigos. Mas se não houver a vontade de construir algo juntos e superar as barreiras da homofobia e do complexo de rejeição, homossexuais no armário terminarão com homossexuais no armário (ou sozinhos) e homossexuais assumidos terminarão com homossexuais assumidos.

As pessoas dizem que é impossível dar certo o amor entre uma pessoa que preste e um idiota. Quem presta ficaria incomodado com a falta de honestidade e de alguém que realmente o valorize. Quem é idiota sentiria falta da liberdade de colecionar affairs sem compromisso para poder descartá-los quando conveniente. Mas se não houver a vontade de construir algo juntos e superar as barreiras do egoísmo e da luxúria, pessoas que prestam terminarão com pessoas que prestam e idiotas terminarão com idiotas.

É assim que as coisas terminam. No fim das contas, você conquista aquilo o que você merece. Se um relacionamento não deu certo como você gostaria, é porque não era para dar. É muito comuns as pessoas terminarem com seus iguais porque o caminho está facilitado: elas têm mais coisas em comum e vivem realidades similares. O contrário demanda uma luta que poucos estão dispostos a enfrentar. Porque quando você gosta de alguém de verdade, você luta por ela e enfrenta o que vier porque seu amor é maior que o seu medo. E quando você não se gosta, você desiste mais cedo e deixa os caminhos abertos para que cada um conquiste o que tem a oferecer.

3 comentários:

  1. O amor é impossível para todos.
    Há tempos venho pensando assim.
    Pena que ninguém consegue me provar o contrário.

    ResponderExcluir
  2. As pessoas dizem muitas coisas, mas pouco agem para superarem certos distanciamentos.

    Não é preciso que as pessoas sejam "iguais", seja lá em que esfera for, para que deem certo. Rico e pobre, bonito e feio, homossexual assumido e no armário, certinhos e distraídos...as diferenças sempre vão existir. Fundamental é que ambos olhem para a mesma direção. E que cada um saiba acolher os "defeitos", digamos assim, do outro.

    O "não era pra dar" é relativo... às vezes um único deslize pode arruinar uma relação que tinha tudo para dar certo. É que as pessoas dizem muito...e se deixam levar pelo o que outros dizem :(

    ResponderExcluir
  3. belíssimo texto.
    realmente muita gente procura a felicidade do peito pra fora, ao invés de olhar pra dentro.

    ResponderExcluir