domingo, 25 de setembro de 2011

Soro antiofídico


Inutilizar a sabedoria proveniente de um revés na sua vida é burrice, é não aprender nada e estar suscetível a revivê-lo mais cedo ou mais tarde.

Algumas doenças são adquiridas apenas uma vez na vida e, depois de curado, o indivíduo torna-se imune a elas. O veneno de cobras, aranhas e de alguns outros animais peçonhentos pode ser utilizado como contraveneno no tratamento a alguém que foi picado por elas. Não é muito diferente no convívio entre os seres humanos.

Existe sempre um lado positivo até nas piores situações. É pouco inteligente recursar-se a enxergá-lo com os olhos de Pollyana. E não é clichê ver uma oportunidade na dificuldade. Inutilizar a sabedoria proveniente de um revés na sua vida é burrice, é não aprender nada e estar suscetível a revivê-lo mais cedo ou mais tarde. E a menos que você seja masoquista, ninguém quer voltar a sentir a mesma dor, o mesmo sofrimento.

Pessoas que nos molestem aparecerão sempre no decorrer de nossas vidas por mais que procuremos evitá-las e frequentar seus ambientes. Pessoas assim existem em todas as famílias, empresas, classes sociais... Os motivos podem ser diversos.

E então ela te ofende, te humilha, te destrói... Você pode esquecer as palavras, mas não esquece como se sentiu. Sempre há uma primeira vez para experimentar uma dessas sensações amargas – e situações como essas não são poucas e sempre haverá uma inédita. Por mais que você ouça conselhos de familiares e amigos, leia livros, você só vai aprender realmente a não se deixar abater depois de ter visto o lado bom que o sofrimento implicou após tê-lo sentido na alma. É aí que você cria a tal imunidade a ele e é por isso que é importante aproveitar a oportunidade que esta dificuldade está te proporcionando, do contrário, é provável que você acabe cometendo os mesmos erros no futuro.

Quando você é molestado, você pode acabar aprendendo mais sobre si mesmo no que concerne às suas fragilidades. Você descobre o que é que te ofende e pode trabalhar nisso e procurar solucionar esse problema caso ele tenha um fundo psicológico.

Algum tempo depois, você se encontra em uma situação de conflito com uma pessoa diferente que está com o intuito de colocar você para baixo. Munido do aprendizado que obteve numa dessas situações difíceis, você aprende a se defender e a revidar. E uma das armas mais interessantes é a arma herdada de um inimigo. Você pode usar as mesmas palavras ou ter as mesmas atitudes de alguém que te machucou porque você já sabe o quanto aquilo dói, o quanto aquilo te doeu. Talvez Freud tenha escrito algo sobre a transposição da dor...

Com o sofrimento, desenvolvemos nosso soro antiofídico, nossa imunidade. Com o sofrimento, descobrimos nossos pontos fracos para trabalhar no nosso fortalecimento espiritual ou então, escondê-los, ou projetá-los nos outros. E relembrando o sofrimento, podemos tentar machucar alguém da mesma maneira que alguém nos machucou...

2 comentários:

  1. To entupido de soro ateh a tampa. Imune a tudo quanto é tipo de dor.

    Mas sinceramente... nao dói tanto assim. Não tanto qto ser insensivel.

    ResponderExcluir