domingo, 15 de maio de 2011

Iceberg flutuando no Oceano Antártico

O marinheiro o viu de longe e imediatamente badalou o sino para alertar toda a tripulação para o choque iminente. Um imenso iceberg estava na rota do imponente navio.

Tarde de verão. Céu azul e sem nuvens. O mar tranquilo. Um iceberg movendo-se pelas ondas de água gelada do Oceano Antártico. Uma pintura em diferentes tons de azul. A reunião dos três estados da matéria: o líquido da água, o sólido do iceberg e o gasoso do vento congelante. O elemento da vida. O que você vê: frieza ou inércia?

Existe a possibilidade de encontrar algo muito valioso no centro do iceberg. O que pode haver lá dentro não é certo, assim como não se sabe se é durável ou não. Mas seja lá o que for, é algo que todos desejam por algum período de tempo.

Quebre o gelo de alguma forma, vamos desbravá-lo, descobrir o que ele esconde, qual o brinquedo surpresa do seu Kinder Ovo. Que tal usarmos uma picareta? Mas não é perigoso danificá-lo? Vamos lamber o gelo. Mas não é perigoso ficarmos com a língua colada nele? Vamos perfurá-lo com as unhas, ou enxugá-lo com uma toalha. Mas não corremos o risco de gangrenar nossas mãos?

Ei, que tal um pouco de calor? Sim, seguro e eficaz. Porém requer paciência, muita paciência. Muitas vezes esperar o gelo derreter cansa então, partimos para explorar outro iceberg – que também vai demorar para derreter. Como atingir o seu núcleo? O calor do Sol é impotente por aqui. A concentração do calor do raio de Sol tímido através de uma lupa também não ajuda muito. O aquecimento global e o buraco na camada de ozônio aceleraram o processo de derretimento, mas ele causa destruição e caos.

Quase um século atrás, o Titanic chocou-se contra um iceberg numa madrugada de abril de 1912. O navio inafundável afundou. E junto com ele afundaram os sonhos de uma vida nova numa terra nova. Ele estava movimentando-se rápido demais ou foi a inércia do imenso bloco de gelo flutuando no mar que o danificou?

É fascinante, atraente e nos instiga a descobrirmos a sua recompensa. Podemos explorá-lo e encontrar absolutamente nada. Há o risco que ele rache a caia sobre nós. É como se nossa vida dependesse desse garimpo. Misterioso, parado e calado. Vê-se quebrado e invadido, mas não reage. Precisa ser quebrado? Duro, impenetrável, letargo e frio... e isso mata o caçador de tesouros, deixa-o irritado, aborrecido, desapontado.

Mesmo com a companhia dos pinguins, o iceberg consegue viver tanto com ela quanto sem. Solitário e independente. Aparenta transparência, mas ninguém consegue enxergar através dele. O iceberg está ilhado no Oceano Antártico, deixando-se levar pelas ondas, prestes a ser explorado ou prestes a destruir os navios que vierem ao seu encontro.

VANGELIS - Antarctica by petersonflr

Nenhum comentário:

Postar um comentário