domingo, 1 de maio de 2011

Cheiro de caramelo

Tudo começou naquela manhã fria, quando o Sol pintou a cidade de laranja e preencheu o meu dia de calor e luz.

Aquela terça-feira poderia ser igual aos últimos dias: um saco! Mas não foi. E tinha os ingredientes para tal. Dormir apenas três horas para fazer um exame de saúde em um posto de saúde público, com um potinho de cocô dentro da mochila, além do frio do outono poderiam ter tornado o dia massante.

Muita gente reclama de ter que acordar cedo. Realmente não é muito agradável ter que acordar, sair do calor das cobertas para enfrentar o frio e toda a aporrinhação do trabalho e um possível congestionamento matinal. O período da manhã pode fazer toda a diferença durante o resto do dia. E é o período mais belo de todos.

Quando o Sol nasceu e foi iluminando aos poucos os carros da rodovia federal, as placas e as fachadas do comércio com seus tons de laranja, cada vez mais vivos e intensos, enchendo a cidade de vida, pressentiu-se que seria um bom dia. A confirmação veio quando Andrea Corr começou a cantar “Tinseltown In The Rain” dentro da minha cabeça. Obrigado, Andrea.

Algumas pessoas podem estar tão perto, mas tão longes de outras. E uma delas estava do outro lado da rodovia. Lembrei-me dela quando estava chegando e vi a logomarca vermelha com ondinhas brancas. E tem sido presente nos meus pensamentos todos os dias desde que eu a conheci. Logicamente, ela não deve fazer ideia disso. Imaginei o que ela estaria fazendo, mas principalmente, sentindo.

Amar é um sentimento muito bom, o melhor que uma pessoa pode sentir. A dor de amar e não ser correspondido é proporcionalmente inversa. O tempo é um remédio amargo e ele não é reservado em pequenos frascos de vidro, mas em barris. Não era amor, não era. Não era amor, era cilada. Um sorriso sádico no rosto de quem teve o coração quebrado. O objeto de afeição agora sofria também a dor de amar e não mais ser amado. Focou na pessoa errada e ignorou aquela que poderia ser a pessoa certa. Bem feito!

Não foi um dia brilhante, mas foi um dia agradável. E merecido. Após semanas de estresse no trabalho, cortes no dedo, cortes na mucosa bucal e limitações alimentares, e o período de reclusão para colocar as coisas em ordem, um dia feliz era mais que justo.

O cheiro de caramelo está em algum lugar da sala. Ou estaria impregnado na capa? A risada veio fácil, até mesmo na presença de gente ranzinza. As reflexões também e a constatação de que aquela terça-feira estava sendo um dia feliz, sem precisar ser perfeito. As coisas fluíam como se eu tivesse bebido uma dose de Felix Felicis.

Assim como o amor, a felicidade é um sentimento tão agradável que não importa se ela é verdadeira ou não. Não há espaço para medos e dúvidas quando uma pessoa sente isso. Apenas se quer sentir e fazê-lo durar, eternamente, se possível.

Tudo começou naquela manhã fria, quando o Sol pintou a cidade de laranja e preencheu o meu dia de calor e luz.

5 comentários:

  1. Dias laranjas me deixam alegre.
    Caramelo nem tanto.
    Vijar na rodovia (qdo não tem transito) me deixa alegre.
    Exame de feses não.

    E assim a vida segue. Se fosse sempre feliz não teria graça.

    ResponderExcluir
  2. já gostei do post quando vi a imagem do entardecer em nova iorque. depois que eu li confirmei o que esperava: mais um belo texto!

    boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Sei lá.. quem escreve o destino (se é que ele existe) deve ser bipolar ou bêbado! Beijo!
    AHAZÔ

    ResponderExcluir
  4. "Focou na pessoa errada e ignorou aquela que poderia ser a pessoa certa."

    Daí é que muitas pessoas se perdem...casais que poderiam encontrar momentos de felicidade - atenção, não "ser" feliz, mas "estar" feliz - acabam procurando outras emoções ou simplesmente não cultivando a paciência e acolhimento.

    "A luz do sol não sabe o que faz
    E por isso não erra e é comum e boa"

    Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

    ResponderExcluir
  5. Um pouco de cor, do laranja quente, às vezes preenche, mesmo que aparentemente, o cinza frio da vida.

    Será que existem pessoas que estejam sempre coloridos com a felicidade?


    Seu texto e os comentários aí de cima me fizeram viajar. Agora tô imaginando um mundo totalmente em tons de cinza, mas que é visto de diferentes cores de acordo com a percepção de cada pessoa e com o que ela está sentindo. Viajei pouco, hein...

    Adorei aqui :*

    ResponderExcluir