domingo, 3 de outubro de 2010

Fora d'água

Sou como aqueles peixes que nadam contra a correnteza. Tenho minhas próprias ideias e meu modo particular de pensar, agir e viver.

Quebro regras e preconceitos. Não, não sou um rebelde. Simplesmente não consigo curtir o que é imposto como sendo “legal” ou “chato” então, sou peixe fora d’água.

Quando as pessoas exibem seus corpos sarados na praia e eu mostro toda a brancura dos meus músculos pouco desenvolvidos, sou peixe fora d’gua.

Quando as pessoas falam dos lugares que já visitaram pelo mundo e eu só estive a 40km de distância, sou peixe fora d’água.

Quando as pessoas têm uma vida social e algum lugar para ir ou algo a fazer no fim de semana e meus amigos estão fora ou ocupados, sou peixe fora d’água.

Quando as pessoas compram coisas caras, gastam muito dinheiro com o que quer que seja quando querem e eu sofro quando tenho que comprar uma simples camiseta, sou peixe fora d’água.

Quando as pessoas falam em ter filhos e família e eu não posso ter ou prefiro ser solteiro, quando as pessoas comem de garfo e eu de colher, sou peixe fora d’água.

Quando todos riem das tragédias dos outros e de supostas escolhas que eles fizeram e eu não acho isso engraçado e justo, e tenho que me dar conta de que este é o mundo real e nós temos uma sociedade tão nojenta, sou peixe fora d´’agua.

E quando as pessoas não conseguem pensar por conta própria, quando a ignorância é a tendência deste verão que nunca termina, quando as pessoas não têm um cérebro dentro de suas cabeças e eu penso por conta próprio e tenho uma cabeça que pensa, sou peixe fora d’água.

E peixes fora d’água sentem-se esquisitos e estranhos porque eles são diferentes se comparados a outros peixes e eles sabem que só um punhado de peixes pode realmente entendê-los. Às vezes eles gostariam de ser como os outros e sentirem que eles não têm um problema. Mas infelizmente eles não conseguem mentir para si mesmos então, sentem-se como peixes fora d’água.

5 comentários:

  1. Olha, não sei se já comentei aqui, mas o seu blog está no meu reader deve fazer um ano se sempre leio quando é atualizado. Gosto muito da forma como escreve. O conheci através do Óbvio Ululante.
    Só queria dizer que também me sinto como peixe fora d'água muitas vezes ;x

    um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Eu SOU um peixe fora dágua.
    Mais do que parece.

    ResponderExcluir
  3. A pornografia está na cabeça de quem lê, nobre colega.
    Cara, qria aproveitar pra te pedir um favor. Nesse dia 2, o GAZ completou 2 anos de existencia, e to preparando um post especial com leitores especiais.

    Teria como vc escrever 5 linhas, apenas isso sobre qq coisa relacionada ao GAZ pra eu incluir no post? Caso aceite, é só mandar pro gramaazulblog@gmail.com até o dia 5 do mês que vem.

    ResponderExcluir
  4. Perfeito!

    Parabéns por definir-me tão bem, sem me conhecer! rs Peixes fora d´água se entendem, é como você escreveu sobre o "punhado de peixes".

    Eu gostaria, algumas vezes, de remar a favor da maré ou simplesmente deixar-me levar pela correnteza só para ver onde é que vai dar. Mas eu insisto em nadar contra. Insisto no contra fluxo. Insisto em velhos padrões considerados tolos, em modelos considerados ultrapassados, em um pensamento considerado caduco.

    Paciência. Eu acho que tem bem mais peixes fora d´água aparecendo por aí. Tem muita fazendo o caminho contrário à correnteza. Quem sabe, futuramente, estejamos integrados em um oceano melhor?

    Parabéns, mais uma vez! Perfeito o texto!

    ResponderExcluir
  5. todo mundo se sente peixe fora d'água em algum momento. não se sinta sozinho.

    a propósito, me escreve depois no topo do blog pra gente trocar email e msn. abraços!

    ResponderExcluir