domingo, 26 de setembro de 2010

Paz mundial


O jurado do Miss Universo perguntou à candidata dos Estados Unidos qual era o seu maior sonho. Ela respondeu: a paz mundial.

Talvez fosse apenas uma resposta clichê para ela parecer um ser humano bondoso e vencer o concurso de Miss Universo. Talvez fosse mesmo um desejo sincero de alguém que acredita que esse sonho possa um dia tornar-se realidade, embora ela soubesse que isso era humanamente impossível. Quem um dia saberá? Estaremos vivos quando a paz mundial reinar sobre a Terra?

Engraçado como algumas palavras não tem nada a ver com sua raiz, não? Por exemplo: humanidade que tem como um de seus sinônimos “bondade e benevolência”. Como se os humanos fossem bondosos e benevolentes por natureza...

Os seres humanos são criaturas magníficas. Ao contrário dos outros animais, ele não precisa caçar e usar as unhas para este fim e desenvolveu uma inteligência que tornou possível o controle de seus instintos animais. Talvez por isso mesmo, soe pejorativo chamar os humanos de animais.

Humanos matam outros animais para comer. Os vegetarianos repudiam tal ato. Humanos matam entre si e não é para comer, embora exista casos remotos de canibalismo. Humanos matam por poder, por prazer, por riqueza, por lazer ou para manter a sua “honra”.

Humanos destroem a si e a natureza. O planeta já mostra os reflexos da intervenção humana e a natureza mostra a sua fúria com inundações, secas, erosões que culminam na perda de vidas humanas e selvagens.

O planeta já está saturado disso. Os humanos são tão arrogantes que dizem acreditar em um Deus que criou o mundo para eles destruírem à vontade tudo o que Ele construiu. São tão arrogantes que acham que podem sair por aí vendendo vagas no céu após suas previsões patéticas de vários fins do mundo.

Mas não foi necessário um meteoro chocar-se contra a Terra e levantar uma nuvem de poeira bloqueando o Sol e dizimando a raça humana com uma era glacial. Ainda teremos cães, gatos, flores, árvores, borboletas, todos os animais, todos os insetos e todas as plantas gozando de mais um dia de sol.

Os cães uivam para o luar. Eles sentem a falta de um amigo. As baratas sambam sobre os escombros. Elas terão matéria orgânica para alimentarem-se por décadas. O fim do mundo havia chegado... para os humanos. A Terra ainda estava de pé, tentando, sozinha, reconstruir-se depois de toda a destruição que a raça humana causou.

A paz mundial estava chegando. O mundo havia atingido o limite do insuportável. Os homens destruiram-se entre si com suas armas químicas e biológicas. Humanidade não era nem de longe sinônimo de bondade e benevolência.

Os últimos homens que restaram na Terra brigavam pelo direito de ser o Rei do Mundo e desfrutar da pouca água e comida que havia restado. Então um deles pegou um revólver e assassinou todos os outros que restaram. Ele era o único homem na Terra. Não havia ninguém mais para serví-lo, para admirá-lo, para alimentá-lo. Ele enlouqueceu devido a fome e a perturbadora solidão. Então, ele fez o último disparo de uma arma de fogo que a Terra pôde ouvir. Ele deu um tiro na própria cabeça. O último homem na Terra havia morrido.

Finalmente a paz mundial foi estabelecida quando os humanos já estavam todos mortos.

Um comentário:

  1. paz é um conceito amplo, não é apenas a ausência de guerra.

    ResponderExcluir