domingo, 19 de setembro de 2010

Aos meus pés


Hoje eu quero jogar e você será o meu brinquedo. Com meu discurso dissimulado e sua carência, terei você a meus pés.

Quero um estepe. Quero ter alguém disponível sempre que meus amigos me virarem as costas e eu me sentir sozinho. Quero ter alguém disponível sempre que eu precisar de um troféu. Quero ter alguém disponível para eu poder humilhar e que se humilhe por mim mostrando que eu sou o gostosão do pedaço e que não sou eu quem precisa de alguém e sim, você que é carente.

Escolhi você para ser meu arranjo temporário, portanto, orgulhe-se. Conhecerás o príncipe encantado que você achava não existir. Ressuscitarás aquele coração esfarrapado e voltarás a sentir coisas que você achava que se limitavam ao seu imaginário, à sua adolescência ou aos filmes românticos.

Eu jogo esse jogo há um bom tempo e conheço todas as armadilhas que devo armar para tornar você emocionalmente dependente a mim. Serei um poeta. Escreverei coisas lindas e extremamente melosas. Teremos várias coisas em comum: o romantismo, o gosto pela leitura, a cidade, o estilo de emprego, os dias livres.

E quando você cair na minha armadilha, controlarei você através dos seus sentimentos e me divertirei com isso. Planejaremos algo que nunca irá acontecer, tornar-me-ei uma pessoa fria e distante que irá abandonar a sala e deixar você lá esperando por mim até tarde em vão. E esse será meu jogo de paciência que irá durar dias.

Não é nada pessoal, não é nada contra você. Apenas tive uns probleminhas mas saiba que todas as mentiras que eu contei são verdadeiras e eu gosto de você sim e você foi a pessoa mais fascinante que conheci nos últimos anos.

Hoje eu acordei meio hipócrita. Direi que aquilo que eu procuro é aquilo que o mundo deixou para trás. Condenarei a superficialidade e não quero ser visto apenas como um pedaço de carne. Enquanto você espera na sala por mim mais uma vez, vou curtir a vida e me divertir com as pessoas erradas enquanto eu não encontro a pessoa certa. Vou usar, abusar, ser usado e ser abusado. O discurso démodé da superficialidade será esquecido.

E friamente, contarei a você todos os detalhes e do quanto eu me diverti e do quanto eu beijei. As lágrimas que rolam pelo seu rosto não me comovem. Não tenho um coração, não tenho sentimentos para entender. Não me importo que um dia você vá embora. Sou gostoso, sou lindo, sou absoluto e você só tem esse coração puro e sincero que explica a sua carência.

Jamais admitirei meus erros. Jamais sentirei remorso pelo mal que eu causei. Jamais pedirei desculpas. Você é a única pessoa errada. Não duvide de mim nunca, jamais. Sou uma pessoa que mente, que não diz o que sente, não sou transparente mas, acima de tudo, sou inocente.

Continue sendo meu arranjo temporário. Preciso de um troféu para exibir ao mundo para quando eu estiver sozinho. Preciso de um arranjo temporário para que eu me lembre de que eu sempre terei alguém implorando e se humilhando pelo meu amor. Preciso usar você no meu jogo para fazer ciúme nos outros quando for necessário. Preciso de alguém para pisar, para contar minhas aventuras sexuais não-sexuais.

Preciso de alguém para manter o meu ego sempre inflado. Continue alimentando esperanças, mas saiba que você nunca estará à minha altura.

Quanto mais eu faço você chorar, mais gostoso eu me sinto.

Hoje eu acordei meio hipócrita, meio falso, meio frio e meio cruel. Io sonno un poeta o sonno un imbecile? Não importa. Hoje eu me sinto tão bem...

3 comentários:

  1. Belo texto! Gostei dos recursos linguísticos utilizados.
    Eu não me daria ao trabalho de postar um texto assim, pois pessoas desse tipo merecem cair no esquecimento pra sempre. ;;

    ResponderExcluir
  2. uau, texto forte.

    gostei da foto. eu tive ali naquela galeria mas não tirei foto, apenas admirei.

    ResponderExcluir
  3. ja me senti assim tantas vezes... (nas duas pontas).

    Mas vou aprendendo.

    ResponderExcluir