domingo, 1 de agosto de 2010

A revolução mais difícil


O difícil não é fazer a revolução em si. O difícil é revolucionar a mentalidade das pessoas. É colocar na cabeça delas que elas têm e são o poder.

Oi, vamos começar uma revolução? Vamos nos libertar das correntes da opressão e lutar por direitos para que tenhamos uma sociedade mais justa? Pense em um problema que atinge um grande número de pessoas e pense em como a revolução pode começar. Revolucionemos!

Que tal um mundo sem guerras? Vamos mostrar ao Senhor da Guerra todo o horror dos campos de batalha: mutilações, destruições, morte de vários seres humanos, prejuízo financeiro. Mas vamos esquecer que não existe guerra sem soldados. Vamos revolucionar e mostrar a eles que eles estão arriscando as próprias vidas para defender os interesses de uma minoria poderosa?

Que tal trânsito mais seguro? Vamos protestar contra a falta de sinalização, contra as péssimas condições das rodovias. Mas vamos esquecer que o álcool não somente mata no trânsito por causa de motoristas bêbados como também destroi famílias.

Que tal uma juventude sem drogas? Vamos aumentar o número de policiais para o combate ao tráfico de drogas e construir clínicas de reabilitação. Mas vamos esquecer dos pais que não conversam com os filhos e que não se preocupam com o lado emocional deles.

Que tal lutar pro mais direitos trabalhistas? Vamos exigir dos nossos políticos e do nosso sindicato a criação de leis que combatam à exploração das classes pobres. Mas vamos esquecer de que uma empresa sem trabalhadores não produz e não dá lucros.

Que tal um país sem políticos corruptos? Vamos exigir a aprovação de leis que tornem inelegíveis todos aqueles envolvidos em corrupção. Mas vamos esquecer que quem os elege é o povo e que o povo também não é honesto.

O difícil não é fazer a revolução em si. O difícil é revolucionar a mentalidade das pessoas. O difícil é conscientizá-las de que elas têm o poder de mudar mas para isso, elas mesmas precisam mudar. Além disso, a revolução não é feita por uma única pessoa, ela precisa que várias dela se unam em prol de um mesmo ideal.

O ser humano se orgulha de ser um animal racional, mas ainda é tão escravo dos próprios instintos, dos próprios desejos egoístas e acaba matando, morrendo e vivendo na mesma miséria intelectual porque tem uma imensa dificuldade em colocar em prática coisas extremamente simples.

Todos nós sabemos que a camisinha previne as DSTs e uma gravidez indesejada, mas isso não é levada em consideração quando as pessoas são escravas da própria libido. Todos nós sabemos que dirigir embriagado é uma das maiores causas de acidente no trânsito, mas muita gente acha que está bem ainda quando mal consegue se lembrar do que fez 2 minutos atrás. Todos sabem que a poluição e a destruição dos recursos naturais estão destruindo o planeta, mas muitos ainda desperdiçam água e jogam todo e qualquer lixo em todo e qualquer lugar.

Os séculos se passaram e a mentalidade dos seres humanos pouco evoluiu. Enquanto a maioria das pessoas não tiver bom-senso, todos sofrerão as consequências da ignorância do Homem de Neandertal do século XXI.

5 comentários:

  1. Sem sombra de dúvidas esse texto é de uma riqueza infinita e proporciona bases para excelentes reflexões.

    Sinceramente, indicaremos esse texto a todos que pudermos, pois apesar de sabermos muitas coisas "na teoria", é sempre bom refrescar a memória... o mundo só mudará para melhor quando cada um de nós mudar junto com ele. Façamos a nossa parte!

    Grande abraço. Sucesso!

    Equipe do blog Fluindo o Olhar
    http://fluindolhar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. cara, tem a ver também com educação. acho que começa por aí. muitas vezes a família falha. tem a escola, que vem depois, e também pode falhar. muita gente faz as coisas sem se preocupar com o que isso afeta a si, aos outros, ao planeta.

    ResponderExcluir
  3. Eu não duvido que exista quem pense que se tudo isso citado fosse de fato extinto ou mudado, nao haveria o que fazer, nao teriamos emprego e a vida seria chata. Certezaaaa!!

    Mas fazer o que neh? Se tentamos convencer alguem d q temos q revolucionar, estariamos nós fazendo o que ja fizeram com eles. Do jeito certo, mas estariamos.

    ResponderExcluir
  4. É isso mesmo! Para mudar o mundo, temos que começar mudando nossas atitudes. A responsabilidade é nossa! E temos o poder de construir o futuro que queremos...
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Outro grande post ! Infelismente essa mentalidade e algo que comecou com a igreja catolica,quando ela ensinou as pessoas que nos nao somos responsaveis pelo destino do planeta ou oque acontece nele, que se algo ruim acontece a culpa e do diabo ou se algo bom acontece e deus e se coisas ruins acontecem a boas pessoas sao os designios de deus! E depois de tantos seculos meio que acostumamos a colocar a culpa das coisas em alguem acima de nos,seja deus,o presidente,prefeito ou o vizinho! E igual gente nos USA processando o McDonalds por estarem morbidamente obesas,se vc fizer suas refeicoes la todos os dias vc espera virar oque? haha abracao :)

    ResponderExcluir