domingo, 25 de julho de 2010

A jornada


Em um mar que o Google Earth não consegue localizar, há uma pequena ilha e nela, uma imensa fortaleza.

Uma ilha no Mar da Solidão. Uma ilha quase desabitada se não fosse por uma única pessoa que lá vivia completamente sozinha: a Rainha Razão. Ela tinha uma única preocupação: proteger o seu filho, o Príncipe Coração.

Ela já havia presenciado todo o horror do mundo além daquele oceano imaginário e decidiu fugir para o lugar mais isolado que conseguiu encontrar para proteger seu filho. Fugiu para esta ilha, construiu uma fortaleza e colocou seu coração sobre a almofada mais macia, cobriu-o e isolou-o em uma caixa de vidro rodeada de lasers e com a temperatura controlada. Lá estava ele, aquecido e seguro, o maior desejo da Rainha Razão.

Os anos se passaram e o Príncipe Coração sentia-se muito sozinho, tão sozinho que ficava triste muitas vezes. A Rainha Razão viveu um dilema: a proteção infeliz ou a arriscada busca pela felicidade?

O Príncipe Coração era extremamente persuasivo. Conseguia fazer a Rainha Razão ceder aos seus pedidos mais absurdos e perigosos. E vencera novamente. Ele abandonou o lar e pelos mares, navegou.

E então o coração viu coisas terríveis. Corações cicatrizados e destruídos o perseguiram como vampiros sedentos de sangue e mortos-vivos de carne humana, machucando-o das piores formas. A dor do coração era imensamente maior à dor física. Ele então pôde entender porque havia tanta proteção ao seu redor: ele era o maior tesouro da Rainha Razão.

O Príncipe Coração agora vivia o mesmo dilema de sua mãe. Devo viver isolado e seguro dentro da proteção da Rainha Razão? Ou devo correr o risco de ser completamente destruído nessa minha jornada em busca de um outro coração que me proteja e me faça feliz ao mesmo tempo?

[Eu quero voltar para casa.]

domingo, 18 de julho de 2010

O quanto você é especial?


O que faz de você uma pessoa especial? O que você planta e o que você colhe?

O quanto você é especial? Esta é a pergunta que eu faço para você, leitor, e eu gostaria que você pensasse a respeito em algum momento de devaneio do seu dia, como enquanto almoça sozinho, por exemplo.

Quando queremos que alguém demonstre algum interesse por nós, às vezes tentamos mostrar a elas o quando especial nós somos e as convidamos para o nosso mundo. Ah, como somos tolos.

É muito difícil, em alguns momentos uma missão quase impossível, tentar convencer as pessoas disso. Não adianta tentar impor. Cada um descobre por si e isso pode levar semanas, meses ou até mesmo, anos.

Nós cuidamos do jardim, regamos as flores e esperamos as borboletas virem até nós. Se aquela pessoa por quem você tem interesse não te retribuiu e não quis descobrir o quanto você é especial, é problema dela. É um filtro natural.

Somente as pessoas que nos amam de verdade entrarão no nosso mundo sem pedir licença. Elas abrirão a geladeira, pegarão uma lata de cerveja e ligarão a TV para assistir o jogo folgadamente com os pés sobre o sofá. E a medida que o tempo passa, eles saberão muito sobre nós, nossas manias mais esquisitas e a maneira que nos comportamos diante de diferentes lugares e situações.

Se alguém sabe que você prefere comer de colher, que seu time de futebol favorito é o Aston Villa, que você gosta de escrever sobre superfícies embaçadas, que você tem um blog pouco famoso, além de conhecer seus sonhos, medos e o que faz você feliz, é sinal de que você é especial para essa pessoa.

O que faz de você uma pessoa especial? O que você planta e o que você colhe?

domingo, 11 de julho de 2010

Pessoas e cordas


Alguém me disse que há um pote de ouro no fim do arco-íris e ele se encontra em um local familiar.

Seja novamente bem-vindo ao asfalto escaldante e sujo da Guiné-Bissau onde corações são arrastados. Novamente estamos lá, andando sem parar, tomando caminhos certos e errados. Destino: a felicidade.

Durante nossa caminhada, encontraremos várias pessoas dispostas a nos ajudar (ou não) a tomar a direção correta. Elas juntar-se-ão a nós. A elas, estaremos amarrados por uma corda invisível em nossos pés.

Algumas pessoas andarão no mesmo ritmo que nós. Se estivermos cansados ou desanimados, elas nos puxarão para a frente e nos mostrarão o caminho a ser tomado. Tornar-se-ão nossos amigos e estarão do nosso lado até tomarmos caminhos diferentes ou até que ele chegue ao fim.

Muitas pessoas se tornarão um peso morto para nós carregarmos. Elas não nos ajudarão quando precisarmos, não nos colocarão para cima, mas apesar disso, um sentimento de humanidade em nossos corações nos obrigará moralmente a carregá-los. São pessoas inúteis que carregamos e que só nos cansam. Por que não nos livramos daqueles que não nos trazem nada de bom?

E haverão aquelas pessoas malucas que tentarão nos puxar para trás. Elas nos puxarão com toda a sua força para o fundo do poço onde vivem. Eles não suportam se verem atrás de nós ou nos ver demasiado perto do pote de ouro.

Dentro de nossos bolsos há uma espada que poderemos usar para cortar as cordas. A decisão de seguir em frente deixando para trás quem não nos permite ser felizes é sua.

Chega de se preocupar com o problema dos outros se eles sequer se ajudam. Chega de se importar com gente que não se importa conosco. Siga seu caminho sem precisar ficar carregando pesos mortos e eles que sigam os deles. Um dia eles se esquecerão de nós.

domingo, 4 de julho de 2010

Personagens


Imagine que você possa se reinventar. Imagine que você possa atingir a perfeição. Não é um sonho, é realidade. Não é feitiçaria, é tecnologia!

Feche os olhos e dê uma olhada para si mesmo. O que você mais gosta e desgosta em você? O que os outros mais gostam e desgostam em você? O que torna você especial e o que torna você desinteressante? Pensou? Bem... não interessa. Não estamos aqui para pensar. Pensar é coisa de gente chata. Estamos aqui para seguir um script que nos levará ao sucesso!

Agora poderemos ser a última bolacha do pacotes. Agora poderemos ser a Coca-Cola gelada no meio do deserto. Imagine-se o rei ou rainha do mundo, imponente em seu trono e os súditos se jogando aos seus pés. Impossível? Não, não é possível. Sim, nós podemos!

Quem sou eu? Temos 1.024 caracteres disponíveis para convencer as pessoas de que somos interessantes.

O tempo passa... quem sou eu? "Ah, eu sou isso..." backspace... "não, não, não, é meio idiota colocar isso"... No fim das contas, é muito difícil dizer quem você é em 1.024 caracteres. Será que isso é muito pouco para dizer as outros a pessoa que sou? Isso consegue mostrar ao mundo o quão especial eu sou? Será que é capaz de dizer fielmente quem eu sou?

Ei, acorde! Quem está interessado na verdade? Em um mundo onde as pessoas estão sempre impacientes e apressadas, quem bancará o detetive da internet que irá perder o seu tempo procurando a verdade? Ir atrás da verdade é cansativo então dou-me por satisfeito pelas suas mentiras - desde que sejam legais, é claro.

Diga que você é aquilo que eles querem que você seja. Jamais revele os seus medos, até mesmo porque você não tem medos. Você é oceano de coragem e de autoconfiança. Escreva que você é uma pessoa que vive intensamente todos os dias como se eles fossem os últimos. Diga que você ama coisas que você não ama, mas ame porque está na moda.

"Mas este aí não sou eu, Peterson!" Lembre-se de que você não tem um compromisso com a verdade e sim, em ser orgástico.

Não somente você é corajoso, autoconfiante, fashion e amante da natureza. Você também é culto. Nietzsche, Schopenhauer, Freud... Você nunca leu nada deles na vida, não sabe de que país eles são, o que escreveram nem nada. Você apenas leu por aí em outros perfis suas frases de efeito e decidiu usá-las por aí para enaltecer a sua cultura e se autoafirmar.

Quem não gosta de mim tem inveja. Sinto pena de gente invejosa.

E então, com o passar do tempo, você se tornará o personagem que você criou. Você será sempre um ponto de exclamação (distorcido, mas ainda sim, um ponto de exclamação) e todo mundo gosta de um ponto de exclamação. As pessoas gostam de pessoas perfeitas.

Este não é você e você sabe. Mas quem liga? Quem gosta de gente que tem dúvidas? Quem admira defeitos, medos, loucuras, fracassos? Sejamos apenas mais um mentira em um mundo de mentiras. Furemos nossos olhos e sejamos felizes para sempre.

Sorria e o mundo sorrirá com você. Chore e você chorará sozinho.

Eu não quero ser um personagem, quero ser uma pessoa de verdade. Eu não quero ser um sábio de 23 anos de idade. Eu quero as minhas dúvidas, quero comer a sobremesa devagar.

Sejamos um ponto de interrogação legítimo ao invés de um ponto de exclamação distorcido.