domingo, 15 de novembro de 2009

O amor é fashion


Há gritos que ecoam dentro da sua cabeça: “Tenha alguém! Todo mundo tem alguém! Você não vai querer morrer sozinho, né”?

O símbolo do coração está estampado por todos os cantos. O amor é enaltecido em filmes, livros, novelas e músicas. Ao nosso redor, em uma avenida movimentada, no shopping, no supermercado podemos ver pessoas se abraçando...

O amor é um sentimento extremo, uma espécie de êxtase natural. Assim como o seu parônimo (ecstasy, a droga), o amor causa dependência. É uma espécie de droga que todos querem provar e ficarem viciados, uma vez que há uma apologia ao amor: “ame, ame e seja amado”.

E se não fores amado?

Não ser amado pode gerar um sentimento oposto ao amor: o ódio. Como eu escrevi no post anterior, há pessoas que irão declarar guerra ao mundo e considerar o amor como uma grande babaquice ou um sentimento de tolos. Fecham-se ao amor. São pessoas que não amam ninguém, exceto a elas mesmas (ou a sua imagem prepotente).

Por outro lado, há pessoas que ficam deprimidas e que não “matam” o amor por completo, isto é, não perdem a capacidade de amar aos outros, mas perdem a capacidade de amar a si próprias.

A falta de amor próprio gera uma visão deturpada do amor entre estes pobres seres humanos. Sabiamente, algumas pessoas tentarão tirar proveito da desgraça destas almas carentes de alguma forma afinal, estamos no Brasil.

Certamente você deve conhecer alguém preocupado somente em “pegar geral”, em adicionar pessoas em sua Lista De Pessoas Que Eu Já Peguei. Para isso, elas ganham as tais pobres almas na lábia, sendo amáveis até chegar ao seu objetivo final. Depois disso, suas vítimas são simplesmente descartadas, assim como um palito de picolé*.

Mas o tempo vai passando, passando... Você olha ao seu redor e as pessoas estão namorando, casando, tendo filhos e você ali, sozinho. Os anos passam e... cadê a tampa da sua panela? Seus amigos, pais, a sociedade e a Ditadura do Amor gritam dentro da sua cabeça: VOCÊ VAI MORRER SOZINHO!

E aí você se envolve com a primeira coisa que aparece e sente a necessidade de afirmar para si mesmo que finalmente encontrou o “amor da sua vida” e que casarão, terão filhos e viverão felizes por todo o sempre. Na verdade, você não tem muita certeza disso, pois achou que o sentimento do amor fosse algo mais intenso, mas... “Ah, nosso amor não é como o de Romeu e Julieta, mas... dá pro gasto”!

Você pega o seu amor em seus braços, sobe até a montanha mais alta, ergue como um troféu e grita:

— EI, OLHEM! EU TENHO ALGUÉM, EU NÃO SOU UMA PESSOA SOZINHA! OLHEM PARA MEU TROFÉU!

Isso aí é amor? O amor é a necessidade de provar para si e para os outros que não se é uma pessoa sozinha? Definitivamente, não é amor. Muita gente se ilude pensando que só vai ser feliz quando encontrar o tal “amor da sua vida”. Elas não precisam de uma pessoa para fazê-las felizes. Elas precisam de amor-próprio.

Amar tornou-se um alvo da moda logo, o amor é fashion.

*Se você faz coleção de palitos de picolé, desconsidere esta metáfora.

12 comentários:

  1. Então,complicado falar de amor.
    Concordo quando diz que hoje o amor virou "comércio e status".
    Ah sei lá,eu acho que eu sou muito sonhadora e ainda acredito em príncipe encantado e felizes para sempre!
    Acho que apesar das influências a gente acredita mesmo em encontrar uma pessoa que nos preencha.
    Mas tem gente que realmente exagera,e banaliza o amor ou exagera demais e perde o amor próprio.
    Temos que saber o limite das coisas e lutar pelo que vale a pena,se não valer,que se dane o que as pessoas pensam.

    Amei o tema.

    Julis

    ResponderExcluir
  2. Esse assunto é hiper complicado.Acho q devemos chegar num meio termo, claro q o amor-próprio deve vir em primeiro lugar,e sim, conseguimos ser felizes sozinhos. Mas essa felicidade pode ficar muito melhor acompanhada, qd duas felicidades se unem!Claro, tb não gosto da ideia de comodismo, de só pq está sozinho ficar com o primeiro q aparece...acho q devemos estar a dois buscando o algo mais, e não a estagnação!

    ResponderExcluir
  3. Eis o sentimento mais belo dessa vida. E mesmo assim, não escapa da banalizacão de tantos que se recusam a experimentar a sua pureza para provar da efêmera atracão.

    Engracado o inicio do seu post. E' verdade: as pessoas precisam provar para todo mundo que não estão sozinhas, que são desejadas, que tem alguem para dividir os seus dias. Não importa se não existe amor, ele pode ser simplesmente representado, duas pessoas podem ficar juntas para passar o tempo ou tentr preencher algum espaco.
    O que discordo inteiramente. Acho que quando for pra ser, tem que ser de verdade, de corpo e alma e não de aparências.

    Fazia um tempinho que nao vinha aqui... to com o tempo um pouco corrido. Mas gosto muito dos seus textos e de suas visitas.
    Qnto ao "Hoje", fique a vontade. Voltarei para lê-lo. ;)

    ResponderExcluir
  4. RUBENS R.N.

    "E todos os poetas e romancistas souberam falar com excelência do que não tinham ou do que tiveram e não mais.

    Falta amor próprio ou falta coragem? Quem sabe o amor só possa morar no coração dos impetuosos, os fracos que sonhem com ele."

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Peterson. Muitas pessoas têm medo de ficarem sozinhas. Mas nem sempre é uma posição delas mesmas. Conheço um caso em que a moça foi tão pressionada a se casar logo com o namorado (talvez por ele ser uma pessoa boa, ser bem resolvido na vida e ter estabilidade financeira) que ela começou a achar que esse era o desejo DELA, não enxergando que era o desejo dos próprios familiares que refletiam na forma de pensar dela. Não podia dar outra: ela ficou tão obcecada com casamento (ela queria e o rapaz achava qua não era a hora) que o namoro foi por água abaixo. A sociedade cobra um bom casamento, não pode ser com qualquer um. Não precisa nem ter tanto amor, basta ter um pouco de dinheiro e que goste de você, pois assim você sai do time das "titias". O que não pode é ficar sozinho! Pois é, é assim que acontece.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Detesto quando alguém já escreveu o que eu queria dizer, pra falar a verdade :P

    Ótimo post, lerei o blog mais vezes :B

    ResponderExcluir
  7. Como sempre, belo texto. Cheio de conteúdo, argumentação e coesão.

    Só o amor que é controverso. O fato de ter que amar, acho que é inato. Seja pelo fato de que a sociedade desde criança diz que você tem que ser amado, ou pelo sentimento que fica dentro da alma, quando você deseja que alguém goste tanto de você a ponto de lhe ajudar a seguir na vida.

    Acho que não importa se por pressão ou por nessicidade. Acho que no final, todos nós temos muito a oferecer a alguém e queremos muito dos outros. E quando isso acontece de maneira pura, sublime, acabamos chamando de amor...

    Ps: vc tem me visitado mas não tem deixado seus preciosos comentários...

    http://apenas-daniel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. "Elas não precisam de uma pessoa para fazê-las felizes. Elas precisam de amor-próprio."

    Até porque condicionar a felicidade à presença de outra pessoa é um erro. Um erro terrível que pode tornar essa pessoa refém de outra. Isso é se anular como indivíduo. É um erro e se outra pessoa "prende" o(a) amado(a) e com isso justifica como sendo "amor", na verdade é algo doentio.

    E é assim que os relacionamentos terminam. :(

    E se a pessoa não está bem consigo mesma, conseguirá estar bem com outras? O auto-conhecimento é fundamental para que se procure conquistar a tão sonhada felicidade. Que também tem sido alvo 'fashion', aí ligado ao consumismo, mas é outra história.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. cara, todo mundo morre sozinho, não tem jeito. o que nos deixa triste é viver sozinho.

    não concordo com o que você disse, que não ser amado pode gerar sentimento oposto, ódio. odiar é uma forma de amar, já que você pensa na pessoa o tempo todo, já que ela faz diferença na sua vida e tem importância pra você.

    o contrário do amor é a indiferença, é não se importar e aquilo não significar nada.

    concordo que a gente é muito cobrado, mas mais por nós mesmos. é preciso deixar as coisas acontecerem e se disponibilizar e estar aberto ao amor.

    ResponderExcluir
  10. Nossa... fiquei até feliz de estar solteira
    hahahahahahahaha

    ResponderExcluir
  11. novo seguidor no pedaço ;)
    com o tempo vou ler tudo ^^
    abraços ae!!!

    ResponderExcluir
  12. Nossa... hehehe... hj msm tava comentando com o povo do trampo que tava precisando de um amor, alguém pra dar uma agitada na minha vida. Mas não sei o pq. Estou feliz, me sinto bem e poderoso (?), mas sei lá, bateu uma carência. E seu post me fez pensar um pouco nisso. A que conclusão eu cheguei?

    Que estou ficando louco. Oo #medo

    (ah, se acabaram minhas ferias de blogs. agora passarei aqui sempre)

    ResponderExcluir