domingo, 6 de setembro de 2009

Esta guerra não é sua

Eles são vítimas de uma mente maior. Sob o comando dela, eles brigam entre si gratuitamente por uma guerra que não é deles.


Você já reparou que as pessoas que dão início aos conflitos são aquelas que não se envolvem diretamente neles? Ou você já viu algum chefe de estado declarar guerra a um povo, travestir-se de Rambo e armar-se até os dentes para dizimar o inimigo? Certamente, não.


Muitas guerras foram declaradas durante os séculos. O povo sofreu lavagem cerebral de seus líderes e foi levado a acreditar que esses motivos eram justos. Passaram então, a odiar um inimigo que não era deles e sim, dos seus superiores. Todos os conflitos, sejam eles armados ou ideológicos, não costumam ter o tal “motivo justo”. Eles são criados para atender aos caprichos e desejos de uma minoria poderosa e fortemente manipuladora.


A Guerra do Iraque, por exemplo, foi um desses conflitos que visava apenas satisfazer os interesses de uma minoria. Neste caso, tínhamos a indústria de armas e a exploração do petróleo iraquiano. Para que essa verdade não chocasse a opinião pública, o presidente estadunidense George W. Bush usou o pretexto de que o Iraque possuía armas nucleares e prometia também estabelecer a democracia neste país. Porém, Bush era reconhecido mundialmente por sua ignorância logo, muitos não levaram a sério a sua desculpa.


Aqui no Brasil não enfrentamos guerras declaradas contra outras nações, felizmente. As nossas maiores guerras são ideológicas e muitas vezes fúteis. Elas incluem confrontos clássicos como Lula vs. FHC, Globo vs. Record, Corinthians vs. Palmeiras, torcidas do BBB, entre outros. Uma guerra por uma educação de qualidade ou contra a impunidade poucos compram. Para estas guerras, as pessoas apertam o “foda-se”.


Enquanto soldados inocentes matam soldados inocentes, os senhores da guerra estão contabilizando os seus lucros ou perdas em segurança. Enquanto defensores do Lula e do FHC ficam trocando farpas, os políticos e empresários ficam mais e mais ricos. Enquanto aficionados por TV trocam ofensas pelo Orkut, as emissoras de TV agradecem o Ibope. Enquanto as torcidas (máfias) organizadas lançam coquetéis molotov umas contra as outras, o Odicreiso é vendido para um clube mediano do Uzbequistão. Conflitos onde o povo briga entre si enquanto os culpados lixam as unhas tranquilamente.


Comprar uma guerra só é aceitável quando a outra parte iniciou a agressão por mero interesse. Não dá para ficar apanhando sem fazer nada. As vítimas precisam se defender.


É importante que saibamos enxergar o real motivo de qualquer conflito e quem é que sairá ganhando com ele. Em todo conflito, há vencedores e perdedores sim. Há sempre alguém que sai com os bolsos carregados de dinheiro ou, pelo menos, com o ego inflado. Então, não perca o seu tempo, seu dinheiro, sua paciência ou até mesmo a sua vida em conflitos de interesses onde você é apenas uma vítima. Abandone-a! Essa guerra não é sua.

9 comentários:

  1. É importante sim, que saibamos enxergar os reais motivos de qualquer conflito, mas de qlqr maneira, conflitos são feitos por perdedores, sejam eles ideológicos ou armados.

    ResponderExcluir
  2. È complicado falar nesse assunto..ainda mais se tratando de brasileiros...que é totalmente desligado de qualquer conflito que não seja os dele mesmo.Além de ser facilmente manipulado pela mídia...por qualquer que seja o assunto...porque cada vez a informação é passada de uma forma e de um ponto de vista!
    Acho que tem razão quando diz que somos só mais uma vítima e essa guerra não é nossa!

    Beijinhos! :)
    Julis

    ResponderExcluir
  3. "Uma guerra por uma educação de qualidade ou contra a impunidade poucos compram."

    E esta guerra, sim, é de todos nós, nos diz respeito.

    No entanto, nesta guerra, todo mundo liga o "foda-se" mesmo.

    Trocamos "tiros" e "pegamos em armas" por guerrinhas bobas, sem sentido nenhum. Enquanto isso, muita gente agradece. E estimula que tais "guerrinhas"aconteçam todos os dias.

    Excelente postagem !

    ResponderExcluir
  4. É difícil entender o que de fato querem essas pessoas que participam dessas guerras futeis que vc citou. Nada ganharei defendendo a Record, o Corinthians e a Fazenda. As pessoas estão cada dia mais manipuláveis e nesse caso nem é por ignorancia, e sim por falta de análise. As pessoas ouvem um ponto de vista e já se convencem, sem sequer saber a versão do outro lado.

    É triste. Guerras aqui no nosso país não devem acotnecer (contra outros países) pois a população é burra e não entende nada de defesa (isso inclui o exercito e todo o resto).

    ResponderExcluir
  5. Mais uma boa análise filosófica-social de algo tao comum em nosso meio.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo conceito e seriedade do seu blog. abs

    ResponderExcluir
  7. no meio do caminho compramos muitas guerras q nao sao nossos. Nos desgastamos e sofremos pelas lutas particulares. Enquanto isso nossos interesses sao esquecidos e os sonhos inalcançados

    ResponderExcluir
  8. ... depois que a Rita Lee diz que tem um poster do Bin Laden as pessoas dizem qu eela tem esclerose...

    Mas tudo é efeito de manipulação...

    não existe um mocinho em nenhum lado.

    ResponderExcluir
  9. é uma pena pensar que isso existe nos dias de hoje.

    ResponderExcluir