domingo, 30 de agosto de 2009

Necromania: o espetáculo da morte


Ela fascina o povo desde a pré-história. Ela é o medo de muitos, o ganha pão de alguns e a diversão de tantos outros.


Um amontoado de gente ao redor de um carro estraçalhado. A mesma notícia sendo dada durante semanas. Jogos que fazem um enorme sucesso entre crianças e adolescentes. A exploração do medo. O que todas essas coisas têm em comum? Um mórbido fascínio pela morte!


A morte é encantadora. Embora essa afirmação dê medo e pareça suicida, não há como negar que ela encanta as pessoas. E não é de hoje. Desde a pré-história, o homem sempre teve a curiosidade de saber como seria a sua vida após o fim dela. Nasceram, então, as religiões com suas teorias (i.e., verdades absolutas) sobre a morte para aliviar mentes inquietas.


O medo é um sentimento que anda de mãos dadas com a morte. Sabendo disso, as religiões e governantes o exploraram sabiamente como uma forma de manipular as pessoas, induzindo-as a fazer tudo o que quisessem. Porém, alguns não caíram nessa chantagem emocional e foram assassinados em público de modo criativo e extremamente cruel.


Isto mostrou todo o fascínio do ser humano pelo desconhecido. Enquanto por um lado não desejam morrer de jeito algum, por outro eles não têm piedade e até apreciam ver pessoas agonizando até vir a falecer.


Uma pena de morte em praça pública sempre atrai e atraiu centenas de pessoas. Não deve ter havido uma inquisição, um enforcamento, um apedrejamento ou uma condenação à guilhotina sem público presente. O Coliseu, por exemplo, nada mais era do que um lugar aonde a urbe ia para assistir batalhas sangrentas, ansiando por mortes emocionantes.


A morte fascina as pessoas até hoje. Quando há um acidente de carro, tem sempre aqueles urubus ao redor, onde muitos olham e poucos ajudam. Quando um avião explode, uma criança é arrastada pelo asfalto ou um popstar bate as botas, muitas pessoas procuram manter-se informadas, não que elas lamentem pelas vítimas, mas elas apenas quererem viver a emoção que a morte propicia.


Existem aqueles que fazem dela um espetáculo visando o lucro. É o caso da mídia, dos diretores de filmes de terror e dos criadores de sites sobre mortes e mortos. O pior de tudo é que existe gente que realmente aprecia esse tipo de espetáculo. Gente que, na minha opinião, é mentalmente perturbada e que não passa de um psicopata passivo ou em potencial.


Fato é que a morte ainda fascinará a raça humana até que saibamos o que realmente acontece depois que perdemos a vida. Muitas pessoas se aproveitarão do medo para manipular as outras, farão dinheiro sobre ele e haverá aqueles que desfrutarão da emoção que ela propicia. Muitos esperam que a morte seja mesmo algo fascinante, pois muitos se sentiriam frustrados se descobrissem que ela é tão bobinha e chata quanto um documentário sobre a reprodução de lesmas albinas no Sri Lanka.

5 comentários:

  1. Eu sou Perturbado e um psicopata em potencial ♥

    ResponderExcluir
  2. "Quando há um acidente de carro, tem sempre aqueles urubus ao redor, onde muitos olham e poucos ajudam."

    E com um diferencial, Peterson: os celulares com câmeras tanto para fotos como para vídeos.

    Aqui na capital baiana tem um programa ótimo: explora esse tipo de evento e oferece R$ 50 por imagens exclusivas de acidentes e tragédias quaisquer.

    Há quem tire fotos de defuntos em um velório. Há quem tenha fantasias sexuais em cemitérios. Há até quem fantasie com mortos.

    Eu prefiro o fascínio pela vida.

    abs!

    ResponderExcluir
  3. perturbado e psicopata em potencial por gostar de filmes de terror? não acha que tá generalizando demais?

    "os filmes de terror não criam psicopatas. eles tornam os psicopatas mais criativos" (pânico, 1997)

    ResponderExcluir
  4. Seu texto poderia ser resumido em um tuitada de 140 caracteres. Como? Com a última frase so próprio texto.

    A morte pra mim nada mais é do que algo que chega. Ponto. Quem morreu, quem agonizou, quantos anos tinha e mimimi não me interessam.

    E não condeno quem fatura com a indústria da morte. Eles é que são espertos.

    ResponderExcluir
  5. É uma triste verdade da humanidade essa curiosidade, a atençao q damos a esse tipo cena. Não sei qual é a graça q as pessoas veem em ver a cabeça estourada do kurt cobain, ou os corpos dos mamonas assassinas ou ainda da degolaçao de probrs coitados sequestrados por terroristas no iraque. Pra mim é abominável e indigesto.

    ResponderExcluir