domingo, 2 de agosto de 2009

As medidas paliativas


As medidas paliativas são ideais quando você quer dar uma maquiada no problema para mostrar que está fazendo algo.


Resolver problemas é muitas vezes algo complicado e que exige certa dedicação. Quando o problema é complexo demais e a sua solução exige investimento (costumeiramente financeiro), os responsáveis pela solução dão o seu “jeitinho” com medidas paliativas.


Seja em casa, no trabalho ou na política, as medidas paliativas são, quase sempre, medidas covardes de pessoas que não estão realmente dispostas a solucionar um problema. Tais medidas são usadas para iludir as pessoas menos instruídas ou que gostam de se comportar como mendigas. A solução definitiva desses problemas seria atacar na raiz do problema, mas os paliativos são os atalhos e as pessoas já se dão por satisfeitas com eles.


Uma série de exemplos de medidas paliativas por parte do governo são os programas sociais: Bolsa Isso, Bolsa Aquilo... Tem gente que acha que elas são a revolução quando nos referimos ao combate a pobreza. Abram os seus olhos: elas não são!


Mas ai de você se disser isso na presença de um ativista do PT. Ele simplesmente irá virar para você de maneira arrogante e, desesperado pela falta de argumentos convincentes, irá chamar você de “ignorante” com ar de superior. Aliás, uma pessoa que não concluiu o Ensino Superior e que torna o diploma de jornalismo desnecessário para ingressar na mídia podre tem muita moral para falar, né? Em breve, ela estará na Suécia e na Noruega recebendo vários prêmios Nobel.


Muita gente acha adorável o governo e suas Bolsas, achando que ajuda mesmo no combate a fome, a pobreza e a desigualdade social. As bolsas amenizam os problemas, mas não os resolvem. O correto seria investir pesado em educação de qualidade para todos, fazendo com que cada cidadão seja capaz de conseguir um emprego digno e bem remunerado.


Mas investir em educação não dá votos e o Brasil tem problemas maiores com corrupção, violência então, não podemos perder tempo com bobagens como crianças em uma sala de aula aprendendo a serem honestas, justas, cultas, inteligentes e capazes de viver sem o auxílio desses programas sociais. Não dá para esperar muito de um país onde educação e cultura são tratadas como supérfluos.


As medidas paliativas nunca resolvem um problema, elas apenas os amenizam. As pessoas que tomam essas medidas são preguiçosas, covardes e inaptas a resolvê-los, muito provavelmente porque são ignorantes. É importante que tenhamos essa visão se nós realmente queremos que um problema seja solucionado de vez, aonde quer que seja. Medidas paliativas iludem e nos fazem perder tempo, dinheiro, qualidade de vida e paz.

6 comentários:

  1. É extremamente complicado falar desse assunto.Eu creio que sim,certos auxílios que o governo diz dar a população é claro,para sua promoção e o pior de tudo a ignorância dos brasileiros,que se contenta com pouca coisa,por ter preguiça de buscar as coisas com seus próprios méritos,seja ela qual for.Não estou criticando a atitude desse ou daquele,porque realmente existe pessoas carentes que se "beneficiam" com tão pouco,no caso de pessoas no Nordeste por exemplo,mas a forma que é vista esse apoio.
    A nossa sociedade está "conformada",agora são os "grandes" que estão brigando entre si,mas por interesses próprios e não pelo bem do povo.

    Sem mais.
    Beijos. :D

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Sim, é verdade, Peterson, seu texto vai bem parecido na linha com que está escrito lá no grooeland, só que suas palavras tem muito classe do que as minhas.

    Sabe de uma coisa? Eu não acho o Bolsa Família de todo ruim, não. Rodo por este sertão aqui da BA e vejo que é a salvação de muita gente. O programa tem lá seus aspectos positivos, e conheci alguns jovens que continuaram os estudos graças a esse estímulo. Claro que tem muita gente que simplesmente usa o dinheiro do benefício para comprar cachaça ou gastar com outros vícios, e tem muito disso.

    Mas...é agora que vem a minha crítica, a sua e a de muita gente: é apenas um programa. Não vem acompanhado de mudanças estruturais nas cidades e sobretudo na parte fundamental do projeto todo, que é a educação.

    Em suma, acaba sendo um paliativo. Não acredito em nenhum projeto que não esteja vinculado à melhoria educacional, saúde e infra-estrutura básica da região.

    O Bolsa-Família tem boas intenções que morrem na falta de infra-estrutura; o ECA tem boas intenções que acabam sucumbindo à necessidade de crianças trabalharem e à distorção da lei; poderia dar muitos exemplos aqui e fechar com "de boas intenções o inferno está cheio", mas não vou usar este clichê.

    É preciso coragem para mudanças profundas e significativas. Tanto dos governos quanto do povo.

    abs!

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido essa palavra "paliativa".

    Mas não tem como não concordar com você, apesar de ser muito relativo. Pode não ser a solução dos problemas, mas que pode ser uma grande ajuda, para que as pessoas andem com as próprias pernas. (pq tem mta gente acomodada por aí)

    Ou não? Sei lá.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, Peterson. E realmente é isso o que acontece na nossa sociedade atualmente. Várias medidas paliativas vem sendo tomadas, mas atacar a raiz do problema parece sempre uma coisa distante demais, talvez inalcançável. Não sei como deve ser atuar na presidência de um país. Claro que existem inúmeros problemas, que vêm de muito tempo, e não é de um dia pro outro que se consegue mudar certas coisas, mas enquanto não houver mais audácia e vontade de que as coisas realmente mudem, vamos continuar vendo as "bolsas" da vida fazerem o maior sucesso entre o povo.
    Infelizmente é essa a nossa realidade aqui no Brasil.

    Grande abraço...

    ResponderExcluir
  5. Peterson minha visão referente a este tema encaminhei por e-mail.
    Abaixo, cópia de um trecho retirado de um outro blog que para mim esclarece muito...
    "... Reforma profunda só haverá com uma reforma política ampla. Temos chance em 2010, elegendo uma bancada de Deputados e Senadores mais afinada com as classes trabalhadoras, com os movimentos sociais e com as políticas públicas progressistas do governo Lula... As mudanças no Brasil estão se dando pela ação do poder executivo, do governo Lula. O legislativo ainda não consegue formar maiorias para fazer reformas profundas. Se conter a oposição de seu intuito de barrar as mudanças do governo Lula, todo o povo brasileiro já colhe uma grande vitória".
    Fonte: (encaminhei por e-mail).
    Beijos,
    Fátima/fafitoca

    ResponderExcluir
  6. paliativo é um nome bonito para gambiarra.

    ResponderExcluir