domingo, 5 de julho de 2009

Só mais um


Por mais que eles digam que você é importante, você é apenas mais um. Eles querem apenas o seu dinheiro, força ou voto.


Para que uma empresa venda os seus produtos e tenha lucro, ela precisa de pessoas como você. Para que sua empresa cresça e atraia novos clientes, ela precisa de trabalhadores como você. Os políticos querem ser eleitos para representar você.


Você, você, você. Esse é o pronome mais amplamente usado pelo comércio para atrair clientes, pelas empresas para que seus funcionários trabalhem o máximo que puderem e para que os políticos possam se eleger. Nós, o singular você, somos induzidos a acreditar que nós somos importantes e que sem nós, eles não seriam nada.


A verdade é que eles precisam de vocês (com S), plural, não singular. Isso, é claro, se eles dependerem de muita gente para obterem êxito no que quer que desejem. Em alguns casos, o você (singular) realmente é necessário.


O povo realmente tem o poder. Porém, ele não fica concentrado nas mãos do tal você da propaganda, do seu chefe ou do discurso político. O poder é descentralizado entre as pessoas de tal modo que uma a mais ou uma a menos não faça diferença, embora sempre tentem nos convencer do contrário. O povo sabe sobre essa descentralização de poder, mas se sente impotente quando sabe que só a união faz a força.


Houve um tempo que uma operadora de telefonia móvel tinha como slogan “É você em 1º lugar”, embora tivesse outra onde se orgulhava de dizer que tinha milhões de clientes no Brasil. Milhões de pessoas em 1º lugar para a empresa? Meio difícil, né?


Algumas empresas aderiram a essa ideologia mentirosa de massagear o ego dos trabalhadores para conquistarem os seus objetivos, mesmo que eles sejam apenas mais um. Visam motivar seus “colaboradores” (eufemismo para “empregados”) para que estes trabalhem mais e melhor, iludidos pelo pensamento de que eles são “essenciais” para a empresa. Porém, quando você enxerga a hipocrisia e não segue as imposições do seu chefe, a empresa manda você embora sem dó nem piedade. O seu chefe não irá se jogar de joelhos e beijar seus pés choramingando pelo seu retorno. Eles simplesmente “trocam” você como se troca uma lâmpada queimada.


Um mundo perfeito, onde todos os problemas podem ser solucionados em quatro anos, é apresentado pelos nossos políticos em tempos de eleições. Nessas horas, eles se lembram do povo, que o seu único voto é importante. Depois desse período, voltamos a nossa realidade com serviços públicos precários que volta e meia entram em greve, apesar dos altos impostos. O povo só se lamenta “que absurdo, né?”.


A verdade é que quando estamos inseridos na maioria e o poder está concentrado nas mãos de uma minoria, estamos sempre expostos a comum falta de respeito. A população precisa de serviços como água, luz, telefone, bancos, transporte que são comandados por um pequeno grupo de pessoas. Se você não estiver satisfeito com esses serviços, o problema é seu.


Por mais que eles digam que você é muito importante para eles, um cliente a mais, um cliente a menos não faz diferença alguma. O mesmo vale para a empresa onde você trabalha e políticos e seus serviços públicos.


Se você não é um especialista em um ramo que você é um dos poucos que entende, empresário ou político, conforme-se em sofrer com a falta de respeito ou iluda-se achando que você é importante. Ou quem sabe, sonhe com a revolução: as pessoas unindo o seu poder que foi descentralizado para fazer valer os seus direitos...

10 comentários:

  1. Então...eu acho que a hiprocrisia e o egoísmo já é algo do ser humano...ainda mais brasileiro que quer ver vantagem em tudo.
    Desvalorização,falsas promessas,falta de respeito,falta de compaixão como você cita no texto...quando diz que podem te "trocar no emprego como trocam uma lâmpada!"...é "normal" para o brasileiro que a maioria estão já adaptados a isso,por submissão.Quantas pessoas você houve reclamar sobre injustiças em trabalho,salário baixo etc,mas por falta de outra opção ou por achar que todo emprego é igual,perde seu tempo e seu valor.Sem contar o desemprego...bem típico do brasileiro,sofrer calado.
    Em relação a autoridades,poder...nossa dispenso comentar tanta coisa intalada na garganta!
    Tenho vergonha de ser brasileira!

    Sem mais.
    Beijos. :D

    ResponderExcluir
  2. Nós estamos sendo condicionados a pensar q trabalhamos e produzimos para nós e para o bem de algo q nao existe, aos poucos somos exauridos por mentiras e falsa propaganda

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei dizer ao certo se essa atitude é totalmente errada ou totalmente certa. É um mal necessário em certos casos.

    As empresas precisam de nós e nós precisamos das empresas. Putz... difícil... Só sei que neste caso "demonizar" não é necessário. Acho que é isso.

    ResponderExcluir
  4. um 'você' sozinho, de nada vale.
    muitos 'você' juntos, talvez fizessem alguma diferença

    ResponderExcluir
  5. No caso da Política, acho até um número considerável de representantes o problema é a qualidade. E quanto a publicidade de operadoras de telefone celular e outros produtos é inevitável, nós somos os consumidores se eles não se direcionam pra nós, vão vender pra quem? É isso! rs

    ResponderExcluir
  6. Em Semiótica, massagear o ego é a característica da Manipulação por Sedução. Estudamos isso em Publicidade. Existem outras formas de manipulação, mas essa é de fato a mais usada. Mas há de se convir que quando dizemos "você", apesar de ser uma figura de linguagem que denota pluralidade, essa oferta/sedução não está sendo jogada ao vento, mas ao nosso público-alvo, do qual "você" pode ou não fazer parte. O resto dos "vocês" entra no índice de dispersão, mas isso é outra história. O fato é que quando falamos com "você", estamos de fato pensando em você que faz parte de um grupo cujos desejos sobre o assunto do qual falamos são comuns, compreendendo sempre as diferenças. Se você gosta de comprar barato, é com você mesmo que estamos falando. Se você gosta de estar sempre bonita, saudável, em festas...depende do produto. Ninguém é tão ingênuo para considerar isso uma fala tão direta, não é?! "Você em primeiro lugar" é um outro eito de dizer "Valorizamos o nosso cliente, e fazemos o possível para agradar". heheh Você e suas polêmicas, moço. huhuh Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Bom eu acho que o trabalhador está tão sofrido e acostumado com isso que qndo chega alguem levando em banho maria e tratando bem ele se vislumbra tanto e age de impulso, sem pensar nas consequencias.
    Assim os políticos corruptos chegam onde querem e muito barato, mas que paga caro é 'você' sempre, por sua ignorância ou ingenuidade talvez, mas quem paga é somente 'você'!!!

    ResponderExcluir
  8. A máxima da publicidade atual está mesmo em massagear o ego do público alvo (sendo ele um consumidor, funcionário ou eleitor).

    Caminhamos cada vez mais em direção de um mundo mais individualista e egocêntrico. Pegue o Twitter como exemplo, as pessoas agora se sentem donas de um mundo próprio, um mundinho TÃO interessante que (julgam elas) é de interesse de milhões de pessoas conectadas.

    É claro que esta não é uma "caminhada natural". Nada mais é do que uma consequencia da tecnologia em conjunto com o desejo dos ppoucos que estão no poder de ludibriar os meros mortais com o falso argumento de que SÃO O MÁXIMO.

    Infelizmente sou apenas mais um =[ Mas tenho consciência disso, e esse é o primeiro passo. Faltam agora 'apenas' mais meio bilhão de pessoas se conscientizarem disso e viveremos em um mundo melhor ",
    (esperança e otimismo sempre^^)

    ResponderExcluir
  9. OLÁ MOCINHO!

    Assim como alguns políticos, andei "sumida" por uns tempos, mas cá estou de volta, na maior cara de pau!

    rs²...

    Foi muito bom poder ler o teu texto. Você 'ilustrou' a realidade com situações do cotidiano.

    Sobre o tema, acho que se falarmos o seu texto inteiro para as pessoas, elas vão dizer: "Ah, mas eu sei disso!", ou então "Isto não é novidade alguma".

    Porém o ser humano é um bicho besta de ego enorme e este ego gosta de ser alisado, apalpado e aí, as pessoas que diziam ter consciência da falsidade desta jogada de marketing, caem na rede mesmo.

    Acho que vou me especializar em algo, não creio que a população vá sair pelas ruas em busca de revolução! rs...

    ResponderExcluir
  10. P.S.: Recebi um selo e estou repassando ao teu blog, ok?

    P.S.2: Estou com um novo blog, confira mais detalhes no Garota Pendurada, lá eu explico tudo.

    Kiso

    ResponderExcluir