domingo, 10 de maio de 2009

Ponto de interrogação ambulante


Você não sabe se elas merecem mesmo a sua confiança. Você não sente firmeza em suas palavras. Você não sabe se conhece ou não.


Para que haja um bom relacionamento na família, entre amigos, na faculdade ou no ambiente de trabalho, você tem que despejar certa confiança em alguém. Seja qual for o caso, você faz isso para ficar mais aliviado, sentir-se menos estranho e não precisar resolver tudo sozinho. Porém, algumas vezes, você não consegue saber se essa pessoa é ou não é merecedora da sua confiança. São as pessoas ponto de interrogação.


No trabalho e na escola (ou faculdade) nós temos compromissos, tarefas e responsabilidades. Para que algumas tarefas sejam realizadas, é necessário que mais de uma pessoa trabalhe em cima dela. Então ocorre o tal “trabalho em equipe” e nesse tipo de trabalho, tem sempre aquele que se destaca mais (em geral, o líder ou o cara mais inteligente). A equipe precisa ter confiança no líder para ficar tranquila de que o trabalho ficará bem-feito. E se essa pessoa não te passa confiança alguma? Certamente você ficará inseguro e perderá a sua tranquilidade ao ficar com essa dúvida na cabeça.


A mesma coisa pode acontecer em casa. Ninguém se sente bem quando parece que alguém está escondendo um segredo. Em alguns casos, mesmo que convivam juntos todo o santo dia, pais e filhos quase não se conhecem. Os pais não sabem o que o filho faz fora de casa com os amigos e os filhos não sabem dos problemas dos pais e do casamento deles. Não saber o que os filhos aprontam pode deixar uma mãe doida, fazendo-a pensar coisas do tipo “será que meu filho está envolvido com tóxico?”, “será que minha filha está grávida” ou “será que meu filho é gay?”.


E em como toda a relação de amizade (amizade mesmo, não coleguismo), você precisa ter confiança naqueles que você considera como sendo seus amigos. Quando você confia nos seus amigos, você acredita que eles não farão o seu mal, que vão ouvir as suas lamúrias sem mandar você pastar e que vão te defender quando você for injustiçado. E se você tiver um amigo que quando você conversa cara a cara transparece ser seu amigo e que em outros momentos parece que está evitando você ao máximo?


Quando você lida com pessoas que mais parecem um ponto de interrogação ambulante, você se sente inseguro e começa a pensar um monte de coisas, incluindo possibilidades reais desagradáveis e um monte de besteiras. Você então não sabe se está sendo neurótico ou ficando louco. Você simplesmente não sabe se está preparado para lidar com o caso daquelas possibilidades desagradáveis serem reais. Você passa então a se questionar sobre o caráter dessas pessoas: se elas estão escondendo alguma coisa pesada de você e se ainda são merecedoras da sua confiança.


Mesmo que você já tenha pensando nas possibilidades desagradáveis, você sempre fica negativamente surpreso quando elas se tornam realidade. Isso pode acontecer quando aquele seu colega de trabalho puxa o seu tapete e provoca a sua demissão, quando o casamento “feliz” dos seus pais termina com frieza, quando o seu filho que aparentava ser ajuizado é preso vendendo ou consumindo drogas ou quando aquele seu amigo trai a sua confiança.


Pessoas assim merecem a nossa confiança? É difícil de dizer, mas para que você não enlouqueça ou fique neurótico, é melhor conversar sobre isso o quanto antes para que você possa dormir tranquilo. Entretanto, se uma pessoa virou um ponto de interrogação de repente, desconfie. Ela pode estar escondendo alguma coisa de você. E se for um amigo seu, desconfie também, pois amigo que é amigo não ficaria de segredinho pelo contrário, ele tranquilizaria ou alertaria você para algo ruim.

15 comentários:

  1. Ótimo... =)
    Concordo sem dúvida alguma com o que você escreveu. Eu odeio quando tem alguém importante p/ mim (da família, dos amigos, enfim) escondendo alguma coisa de mim, porque eu simplesmente não escondo nada dessas pessoas.
    O pior é quando algum amigo esconde alguma coisa de você p/ não te magoar, acaba que, quando você descobre, magoa mais ainda.
    Omitir ou mentir? Nenhuma das duas opções é boa, pois ambas podem machucar alguém.

    www.hoppipollablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. mesmo com a dificuldade de confiarmos em alguem pois podemos levar uma vida inteira para desvendar uma pessoa a verdade sempre tem q ser a maxima

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu confesso que sou uma pessoa um tanto difícl para estabelecer uma relação de confiança - e isso da minha parte, porque a pessoa "se abre" e deposita fé em mim, mas eu não sou de "dar confiança" muito fácil.

    Isso porque já confiei DEMAIS em certas pessoas e já tive decepções profundas. Acho que foi uma tendência até natural eu tornar-me desconfiado principalmente em relação a quem eu mal conheço.

    abs!

    http://grooeland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Como vai amigo? Estou retribuindo seu comentário no meu blog, e gostei muito do seu post, e, admirei a coincidência!

    No meu caso, esse é o 2º post sobre Dioniso, deus do vinho e do êxtase... Conta-se que as máscaras personificavm o deus nos ritos e cultos, e como associo Dioniso ao mais humano dos deuses, é dever citar as máscaras... Em breve, postarei mais dois textos sobre o assunto.

    Parabéns msm!

    BRUNO

    ResponderExcluir
  5. confiança é algo que temos que escolher com a ponta dos dedos e o coração a quem entregar
    um texto mto bom e reflexivo, viu?

    ResponderExcluir
  6. Sempre tive problemas com relacionamento com pessoas, as vezes me achavam besta e nem sabiam que eu era timido, parabéns pelo tema, pois você abordou um tema que nos dias de hoje ainda é muito discutido e nos faz refletir mais sobre a sociedade e o tratamento entre as pessoas.

    Rubens Correia
    www.blogdorubinho.cjb.net

    ResponderExcluir
  7. se relacionar com as pessoas nunk é facil, as vezes vc confia em alguem e esse alguem não confia em vc...
    isso é xato, gosto de pessoas sinceras acima de td!

    ResponderExcluir
  8. Disse tudo no seu comment! Valeu, pela visita! Vou dar uma passeada aqui tb....
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Sem duvida cara, o que nao falta sao pessoas interrogacao. Mas eu penso assim: se vc ja conheceu a pessoa assim, entao nem vale a pena tentar descobrir algo, porem, se ela mudou de repente... a unica maneira de resolver nao eh desconfiando e sim conversando e mostrando pra interrogacao que ela pode confiar em vc. Talvez ajude mto e surja uma grande amizade.

    ResponderExcluir
  10. Acompanho o seu blog porque gosto de várias coisas que são colocadas aqui. Mas te confesso que acho este assunto um pouco demais pra mim, é muito difícil qualquer tipo de relacionamento, não dá é pra ficar se preocupando com isso ou aquilo, temos que ter senso de humor e jogo de cintura para levar a vida, se a pessoa não foi legal, pode ser um momento dela, porque não podemos ter um pouquinho de paciência com o outro?????
    Nós mesmos não somos a vida inteira a mesma pessoa, vamos mudando ao longo de nossa vida ou para melhor ou para pior aí depende do crescimento de cada um. Só não gosto de julgar ou levantar teses sobre relacionamento pois acho que como o "ser humano", é passível de erros, devemos conviver com um pouco mais de paciencia e um pouquinho menos pé atrás, senão nós é que vamos ficar uns eternos desconfiados julgando e tirando nossas conclusões do outro sem ao menos perguntar porque???????
    Vania Parreiras

    ResponderExcluir
  11. Olá, Peterson!

    Gostei do seu texto. Ultimamente, as pessoas não confiam com facilidade nas outras ou não se fazem confiáveis também. Claro, que não dá pra generalizar, mas tenho essa impressão das pessoas hoje em dia. Acho que a confiança só se faz ou se adquire com o tempo, conforme nossas atitudes e gestos diante de alguém.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Pois eu confio em todo mundo, mas sem me abrir demais pra ninguém. NQuanto aos trabalhos em grupo da faculdade, já desisti de contar com os outros. Nem espero mais nada. Quem quiser ajudar, fique à vontade, porque pra atrapalhar tem um monte.
    Acho que o complicado mesmo é em casa: não o desconfiar, mas sim quando desconfiam DE VOCÊ. A coisa mais difícil é ter que se explicar por algo que você NÃO FEZ.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Boa noite, mocinho!

    E quando nós mesmos nos tornamos pontos de interrogação?

    rs...

    Acho que na vida estamos sujeitos a experimentar de tudo, os dois lados da moeda.

    Às vezes, por estar num momento de reflexão profunda, não gosto de me abrir, prefiro me recolher, evitar explodir e atingir Às outras pessoas com os destroços, sabe?

    Acho que vejo e também posso ser uma incógnita,depende da percepção de cada um.

    Kiso

    ResponderExcluir
  14. Olá,meu amigo!

    Tem surpresa pra você lá no meu blog!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Então...
    Não sou tão radical com as pessoas interrogações. É claro que uma relação baseada em conversas sinceras e sem segredos seria o ideal, mas não creio que as coisas sejam tão simples assim.
    A (relativamente pouca) experiência de vida que tenho me mostra o quão difícil é ter uma relação 100% sincera, onde o outro não te veja jamais como um ponto de interrogação pronto para surpreender.
    É claro que devemos sempre procurarmos ser o mais transparente possível. Mas como introspectivo que sou, me incomodo em abrir, mesmo que para o amigo mais íntimo, todos os pensamentos e opiniões que passam em minha mente. Assim como me interesso por pessoas relativamente misteriosas, que nos deixam com um frio na barriga e sempre parecem esconder algo, mas que na verdade não são tão óbvias como a maioria da população.

    Não que isto faça com que eu só me relacione com pessoas assim. Afinal, como bem pautado no post, precisamos às vezes de uma companhia em que conhecemos suficientemente para ser merecedora de nossa total confiança.

    ResponderExcluir