domingo, 17 de maio de 2009

Criticar a mídia é clichê


Vamos falar de mídia. Vamos falar de clichês. Vamos falar de programas educativos, lucros e livros empoeirados.


Falar sobre a mídia, em especial sobre a TV, é sempre difícil, pois é um assunto que de tão debatido, tão comentado acabou virando clichê. O problema de uma coisa ficar taxada de clichê é que as pessoas já têm uma opinião formada (em geral, formada pelos outros) e não estão mais dispostas a argumentar ou enxergar outros pontos de vista que possam contradizer tais opiniões.


Sempre que se fala em mídia televisiva no Brasil, não tem como não pensar na Rede Globo de Televisão. Milhões de pessoas falam mal dos programas da emissora, em especial das novelas e do sucesso de polêmica Big Brother Brasil. Os argumentos contra o programa quase sempre são os mesmos: não tem nada de bom, é perda de tempo, só tem baixaria, não tem nada de educativo, é tudo combinado, é tudo manipulado, é lavagem cerebral, etc, etc, etc... Ou seja, argumenta-se sempre essas mesmas coisas que elas acabaram se tornando clichê.


Com a expansão da internet e de sites de relacionamentos, em especial, do Orkut, houve um verdadeiro boom de pseudo-intelectuais (seres super-humildes que entendem de vários assuntos científicos e filosóficos complexos que nós, meros mortais ignorantes, não entenderíamos jamais). Todo o pseudo-intelectual tem a sua opinião formada sobre a Globo e sobre a televisão: “a Globo é uma porcaria mesmo. Por isso, eu assisto a Cultura” (traduzido do pseudo-intelectualês para o português).


Quando você diz que assiste a Cultura e que na Globo não tem nada de bom, você praticamente assina o seu Atestado de Pseudo-intelectual. Muito pseudo fala que assiste a Cultura, mas peça a eles para citarem uns cinco programas que eles assistem, quem os apresenta, em que dias da semana ele vai ao ar e em qual horário. Só aqueles que realmente têm uma antena potente (onde eu moro o canal só pode ser sintonizado com antenas parabólicas de tão ruim que é a imagem) e que acompanham de verdade a Cultura, poderão responder essas perguntas sem pesquisar no Google ou dizer que não tem tempo para assistir TV (se não assiste, como sabe que a TV Cultura é tão boa assim)? O problema desse clichê é que quem assiste e não é pseudo, vai ser rotulado como tal.


Ou seja, fala-se tão mal da mídia, que ela é manipuladora e que nos mostra a verdade que interessa a eles, além de que os programas da TV não são nada educativos, que tudo isso acabou se tornando clichê. Entretanto, às vezes o povo esquece que não existe só a Rede Globo como veículo de comunicação.


Desde o fim do regime militar, a mídia ganhou de liberdade de expressão (inclusive para empregar jornalistas de fofoca) e a censura pode até ocorrer, mas com uma frequência bem menor. Você pode conferir a mesma notícia pelos vários sites jornalísticos que temos no Brasil e no mundo. A verdade é uma só, mas devemos ter em mente que ela não é sólida e sim, maleável. A mídia sabe disso e ela vai moldar a verdade de tal maneira que ela venda mais jornais e dê mais audiência afinal, vivemos em um mundo capitalista onde se você não lucra, vai à falência. Ou seja, você só engole as opiniões de tal jornal ou jornalista se quiser. Acesso à informação é o que não falta.


O povo também esquece (especialmente os pseudo-intelectuais) de que os programas de TV só se mantêm no ar se derem audiência (lucro) e que a TV não tem função de educar coisa nenhuma. Existe algum contrato com uma cláusula que diz “educarás o povo brasileiro”? Não! Devemos lembrar que todos os aparelhos têm um botão “desliga” (power) que pode ser acionado sempre que um programa de TV não for considerado “educativo”. Pra que uma pessoa compra um aparelho de TV: para se divertir ou para educar os filhos?


Esperar que a TV eduque é tapar o Sol com a peneira, é ridículo. Educar é função dos pais e das escolas, não da TV. Chega dessa palhaçada e desses clichês sobre a mídia. Programas educacionais não dão audiência porque não atraem o povo (teoricamente) interessado. Vivemos numa sociedade capitalista e a informação não está mais limitada a um único meio de comunicação. Ao invés de reclamar, mude de canal, compre outra revista, vá ajudar seus filhos nos estudos e desligue a tal “porcaria da televisão” ou então vá ler aquele livro empoeirado que você sempre ameaça ler e que nunca leu.

11 comentários:

  1. Eu, não gosto de televisão... Gostava mesmo era de assistir a MTV, mas agora, até ela virou uma porcaria. Realmente a Globo é uma merda e a Cultura sim é educativa...mas, não vou dizer que sou uma telespectadora dessa emissora porque quase não vejo televisão. Só assisto ao esquadrão da moda, mas não pra aprender a "me vestir bem", mas sim, porque o Arlindo é lindo.

    ResponderExcluir
  2. Quem tem grana pode conseguir escapar da M... que é a tv aberta, mas quem não tem...

    www.blogonauta.net

    ResponderExcluir
  3. A televisão foi feita pra gerar dinheiro, fato. Que os brasileiros não sabem usar o controle remoto, fato. Que eu acho a Cultura um saco, é só um poquinho.

    ResponderExcluir
  4. Belo post, cara! É bom ler críticas verdadeiras - e não elaboradas por pseudo-intelectuais - sobre a grande capacidade humana de opinar sobre o que não sabe. Opinião formada por opiniões dos outros NÃO é opinião!

    É verdade que não existe nenhuma cláusula em contrato que diga à TV: "educarás o povo brasileiro", mas o artigo 221 da Constituição Federal diz que a produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos princípios da preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas; à promoção da cultura nacional e regional; e ao respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

    Estamos mto longes de atingir este ideal, e é uma pena que isso aconteça. A "liberdade de expressão" também é um direito constitucional, e não podemos evitar que a TV extravasse o que bem queira e entenda.

    Mudando de assunto, valeu pela visita e comentário no meu blog de tirinhas MUTUM, cara!

    Abraços o/

    ResponderExcluir
  5. Nem tanto assim, a midia precisa ser criticada sempre, pois é da critica que surgem as melhorias!

    ResponderExcluir
  6. engraçado,ontem eu fiz um post no meu blog chamado " lado B"
    http://fabriciobezerradaguia.blogspot.com/2009/05/lado-b.html se quiser passa lá ,nele eu falo o outro lado de coisas criticadas o tempo todo por todo mundo.Teve gente que comentou criticando o BBB,falando as mesmas coisas de sempre

    ResponderExcluir
  7. Bom eu tenho canal fechado, mas mesmo assim se algo me interessa eu assisto independente do canal, outro dia passou uma reportagem com o Cabrini super interessante, que a Globo é manipuladora isso é fato, mas as pessoas que falam dos programas e novelas é pq veêm. Ainda sou fã do controle remoto.

    ResponderExcluir
  8. Apoiado companheiro. Eu posso criticar, mas não no sentido de que a tv não transmite nada util ou coisa do tipo, ateh pq isso é relativo. Qdo não gosto procuro algo melhor ou que me agrade.

    É uma pena que ai não pegue a Cultura direito. Ela tem programas bons (pra quem se interessa pelo assunto). Eu só vejo o "Pé na Rua".

    O fato é, que hoje em dia todo mundo é genio, todos tem frases maravilhosas a dizer, independete do assunto. Por isso a internet tem me decepcionado tanto. Ela não serve mais pra deixar as pessoas inteligentes e sim pra que elas finjam ser.

    ResponderExcluir
  9. Numa música, Gabriel Pensador diz que a programação existe pra manter você na frente da TV, pra te entreter e não te deixar perceber que o programado é você. Até concordo, desde que eu a use desregradamente, é claro!
    Seu último parágrafo é simples e genial. Já que o assunto está tão batido, basta usar o controle e desligar.
    Parabéns! Mais um excelente texto! =)

    ResponderExcluir
  10. Criticar, principalmente utilizando palavras de outren, é mais simples e não se faz necessário pensar.

    Televisão = propaganda. É para isso que serve este meio de comunicação. PARA VENDER.

    Foi assim em seu surgimento e é assim até hoje! Não consigo entender aqueles que dizem do contrário. Assim como observo com cautela aqueles que condenam os telespectadores a futilidade e alienação, apenas por estarem em frente a telinha.

    Realmente alguém que acorda cedo todo dia, vai trabalhar, cheda do serviço, mal fala com a família, quer descansar a mente e liga a TV, assiste novela, futebol, Jornal Nacional, Reality Show, da umas boas risadas e vai dormir tranqüilo para um novo dia, dificilmente será uma pessoa muito, digamos.... culta, informada, interada, crítica e tantas outras coisas... (repare na expressão "dificilmente")

    Agora, o que impede de um telespectador assíduo, seja do canal e programa que for (inclusive Big Brother,Ratinho, Sonia Abrão e Leão Lobo), também ler, se informar e admirar outras formas de cultura e entretenimento. Assim como nada impede deste cidadão ser realmente inteligente e bem informado.

    De uma maneira geral, estas críticas clichês são consideradas como VERDADES ABSOLUTAS por muitos e atestado garantido de pseudo-inteligência.

    ResponderExcluir
  11. A televisão hoje não visa a educação. O interesse é apenas o ibope, a audiência. Nada de programas educativos, culturais, que ensinem algo de bom. As escolas também não têm tido o preparo necessário e nem o incentivo governamental pra assumirem de fato a educação dos brasileiros. Então... só nos resta esperar dias melhores.
    Muito bom texto!

    Um abraço!

    ResponderExcluir