terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Recém-casados, recém-separados


Por que os casamentos não duram mais nos dias de hoje? Será que as pessoas estão preparadas e dispostas a enfrentar os problemas causados durante o matrimônio?


O casamento é o maior vínculo afetivo que duas pessoas podem ter. Em muitas religiões, o casamento é sagrado. É uma forma de dar visibilidade à sua relação afetiva, buscar estabilidade econômica e social, formar família, procriar e educar seus filhos, legitimar o relacionamento sexual ou obter direitos como nacionalidade. O casamento é algo muito intenso, que pode levar as pessoas do céu ao inferno.


Uma pesquisa do IBGE, divulgada na semana passada, apontou um aumento no número de casamentos no Brasil, mas também apontou o aumento no número de divórcios. Existem vários motivos que podem levar as pessoas a se separarem, mas eu acredito que a maioria das pessoas que se casam, em especial as mais pobres, fazem isso por impulso, ser ter a certeza absoluta de que elas estão preparadas para se casarem.


O maior motivo para duas pessoas pobres se casarem é a gravidez não planejada. O problema não é a falta de informação ao uso do preservativo, mas sim a preguiça de usá-lo; não usando-o, as mulheres têm uma chance muito maior de engravidarem. Uma gravidez não planejada já serve de motivo para as pessoas se casarem, pois os pais mais sérios vão querer estar próximos de seus filhos. Então eles se juntam (de certa forma, se casam sem precisar de uma cerimônia) para atingirem uma estabilidade econômica.


Não é muito incomum as pessoas se casarem com o parceiro que tem a partir de determinada idade. Você quase não vê aquele namoro de adolescente, iniciado aos 14 anos terminar em casamento com muita freqüência, certo? Porém, aqueles namoros que ocorrem entre pessoas na casa dos 20 e que já duram alguns anos, estão mais propensos a terminar em casamento. Isso não se deve somente ao fato de que o namoro na casa dos 20 é mais sério do que o namoro de adolescentes. A pressão da família, dos amigos e de si mesmos, de certa forma “obriga” as pessoas a se casarem. Não é todo mundo que pretende se casar aos 30 ou 40 anos, pois acreditam que com essa idade já estarão “velhos demais” para casar, alem disso, não é todo mundo que quer ficar para titio ou titia.


Mas uma coisa é certa: ninguém se casa se não amar o cônjuge (exceto em casos do golpe da barriga ou do baú). Porém, para uma pessoa se casar, ela tem que ter certeza de que ela ama de verdade o parceiro a ponto de querer isso. Muitas pessoas se casam por impulso, pois acham que seu parceiro atual é o “amor da sua vida”. Vários casamentos terminam quando existe uma traição, ou seja, quem quiser se casar tem que ter em mente de que ela quer somente o mesmo parceiro e ninguém mais. Se você está não disposto a comer o mesmo arroz com feijão todo o dia e gostar de pular a cerca de vez em quando, então nem case.


Casamento é uma coisa muito séria para ser feita por impulso. Filho é uma coisa ainda mais séria, então não o faça se não estiver pronto para casar. As pessoas só deveriam se casar quando tivessem certeza de que é isso que elas querem para a sua vida, que elas têm condições financeiras de manter uma família, casa e problemas, e que o amor que sentem um pelo outro é forte o bastante para resistir as tentações e a uma eventual crise causada por esfriada no clima, sem a pressão da “idade ideal para o casamento”.


O fim de um casamento mal planejado só traz dor de cabeça. Seu ex quase sempre vira seu inimigo. Os filhos saem perdendo um pai ou uma mãe presentes. Os problemas econômicos pioram quando um deles se vê obrigado a se mudar e a arcar com uma casa nova, contas novas e dívidas novas. Quando você toma a decisão de se casar em uma hora errada, você se compromete a perder dinheiro duas vezes: uma com o casamento e a outra com a separação.

16 comentários:

  1. Ora, o casamento hoje em dia não é tão levado a sério, porque a religião também deixou de ser levada a sério. Antigamente muitas pessoas se casavam porque havia uma gravidez em jogo, então para não manchar a honra da "donzela", a família encomendava o casamento o mais rápido possível. tinha os casos também, em que o marido traía a esposa, porém ela tinha que fingir que não sabia de nada, e relevar a traição do marido; porque naquela época a sociedade só via a necessidade sexual do homem, a mulher era como se não tivesse necessidades sexuais, e também se houvesse um divórcio a mulher que seria a culpada e passaria a ser chamada de "separada" ou vagabunda...
    (Não digo que estou a favor das "necessidades sexuais" de um ou de outro...acho que nada justifica o adultério.)
    Maaaas, vontando ao assunto... hoje em dia a sociedade deixou de ser menos hipócrita a esse respeito, se antes as pessoas pintavam e bordavam e tinham que esconder, hoje elas pintam, bordam e mostram.
    Antigamente também a sociedade era mais exigente com relação a educação do indivíduo, era honra para qualquer mãe, tem um filho doutor; hoje em dia, com o famoso "jeitinho brasileiro" cada vez mais ganhando popularidade, ninguém mais se preocupa tanto com isso... Como podemos ver, muitas pessoas de origem pobre, se acomodam na desculpa sobre sua classe social e não estudam, não melhoram de emprego, etc...
    Hoje em dia a sociedade já não cobra mais a pureza e a educação dos cônjugues, por isso talvez, não se tem mais aquela preocupação...Não precisa esconder das pessoas que você é mãe solteira, ou que está grávida e não tem onde cair morta, isso já não causa tanto impacto...virou coisa normal.
    Qualquer coisa jogue seu filho numa créche da prefeitura, ou se renda a vida do tráfico e da prostituição...Ah, e tudo isso é culpa do governo, viu?
    Voltando ao assunto..hoje além dessas liberações todas, ainda existe o tal do "ficar"...se você está sozinho (a), vá a alguma balada, dê uns beijos, ou quem sabe algo mais e pronto! Sua necessidade passou, e nem foi preciso arrumar um relacionamento sério. Prático esse tal de "ficar", não?

    ResponderExcluir
  2. Existem muitos fatores além dos que você citou. E na minha opinião o maior de todos é a independência financeira da mulher. Hoje em dia, a mulher também sustenta o lar, trabalha fora e vê a vida de igual com o homem. De forma que o casamento passou a ser uma via de mão dupla. Não é mais um tabu ver uma mulher divorciada, uma mãe separada não é sinônimo de fracasso na vida, como antigamente. De certa forma, a partir do momento em que o divórcio deixou de ser tão abominável do ponto de vista social e econômico, ele passou a ser mais usual. =)

    ResponderExcluir
  3. Peterson, bom te ver por essa bandas de novo. Ou diria, bom voltar pra essas bandas. Enfim...

    Não seria tão rígido como foste a cerca do casamento. Concordo contigo que casamento é algo sério, mas o mais sério é a felicidade de cada um, individualmente.
    Às vezes acreditamos estar diante de uma pessoa maravilhosa, inteligente e capaz de nos trazer felicidade pro resto da vida, porém, "milhões" de dia-a-dia podem arrasar com um casamento.

    Acredito que se você gosta da pessoa e está disposta a casar-se com ela, então também estará disposto a enfrentar os problemas até que estejam resolvidos, ao invés de escolher a opção mais fácil: o término. Ainda mais hoje onde a mídia divulga essa informação de forma avassaladora, induzindo inconscientemente a idéia de que a vida de casais separados é mais legal e divertida...

    Infelizmente, ainda temos muito que aprender, não é?

    Abraços
    http://web.me.com/fabio.c.martins

    ResponderExcluir
  4. Peterson, infelizmente as pessoas acham que a separação é a melhor forma de resolver os problemas, ao invés de tentarem buscar o real motivo deles.

    Ainda acredito que a conversa e sinceridade sejam as melhores saídas, porém se depois de tudo isso não der mais certo, então procurem um advogado e se divorciem!

    Abraços e obrigado pelo comentário!
    Ah, e não se preocupe a história é a mesma, só que já está no seu 33º Capítulo! ;)

    Se quiser é só continuar a leitura.
    Forte abraço!
    http://web.me.com/fabio.c.martins

    ResponderExcluir
  5. Vc foi ao meu blog:
    E o que isso tem de mal? O corpo é dela e ela faz o que ela quiser. Enquanto tem gente que fica chocado com isso, ela está ganhando uma grana preta.
    R: Não nenhum mal, muito pelo contrário, fiquei curiosíssima para saber quem é se vc não ficou paciência!
    Se não sabe o que comentar não comente por favor!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu vi essa pesquisa do IBGE,eu acho que o que faz os casamentos acabarem hoje em dia é a falta de respeito,é marido traindo,esposa mandando o marido tomar naquele lugar,e eu acho também que as pessoas deveriam esperar mais para ter filhos,vão casando e já pondo criança no mundo,não têm nem tempo de conhecer o conjuge a fundo,fora que uma boa parte desse povo que tá casando tá fazendo isso sem querer,só porque vão ter filho e tal.
    www.garrafaaomar.zip.net

    ResponderExcluir
  7. Meu pai foi o primeiro namorado da minha mae e ela a primeira dele. Eles se casaram, estao juntos a uns 28 anos. Até brigam, mas se amam.

    Nocaso dos casamentos de hoje, não acho q eles acabam logo por falta de amor. Eles acabam pq as pessoas nao sabem conversar. Só pensam em si mesmas.

    Eu tenho 18 anos, nao namoro, mas sou louco rpa ser pai. Quando me casar (se me casar) não vou me separar tao logo. Por isso nao me casarei com qualquer uma neh, o q tbm acotnece mto hj.

    ResponderExcluir
  8. MInha mãe mexe com preparação ao matrimônio então ela sabe muito de casamentos.
    Uma vez estive conversando com ela e ela me disse que não indica casais a se fazerem o matrimônio por causa de gravidez, na maioria das vezes, isso só vai causar dor de cabeça e filho não é motivo para casar.
    Casamento está se tornando cada vez mais coisa só de papel. Muitas pessoas se juntam e dá certo e quanto tenta casar, não dá algo certo.
    Mas sempre acho que se houver amor e responsabilidade, não terá erro.

    ResponderExcluir
  9. Não acho que seja uma coisa de hoje em dia. Tipo, antigamente era proibido de separar, então não da pra dizer que aumentou, mas será que as pessoas não se separariam se pudessem? imagina quantos casamentos infelizes não houveram. Acho que não tem motivo seguir vivendo junto se não tá legal.

    ResponderExcluir
  10. Nossa que assunto hein...minha opinião é que hoje as pessoas estão mais "descartáveis",e com o egoísmo de sempre!Mas pode ser ignorância minha,mas ainda existem pessoas que acreditam em viver com uma pessoa a vida toda,ter filhos,crescer e morrer com uma só pessoa.Eu me considero uma dessas "ignorantes" se for o caso.
    Outra coisa,hoje não dá para falar que só os homens traem,as mulheres se for ver,estão mais safadas do que os homens.Só que uma coisa posso dizer os homens de hoje ainda preferem se casar com as "moças direitas",pelo menos e o que dizem a maioria dos amigos homens que tenho e as "fáceis" segundo eles não tem graça.
    Sinceramente o problema dos fins de matrimônio de hoje são as pessoas,a falta de respeito,a falta de diálogo,conciência,e já que estamos todos "modernos",casar rápido por quê? A não ser nos casos que já sabemos?
    Para mim casamento é um assunto sério,sério mesmo e acredito que pode sim haver felicidade matrimonial mesmo nos tempos em que vivemos,basta er amor e vergonha na cara!

    =D

    ResponderExcluir
  11. Casar por impulso é uma das maiores burradas que alguém pode fazer na vida. Não sei se um dia vou casar, mas acho que seu chegar a fazer isso é porque vou me comprometer não só com o amor, mas com o diálogo e o respeito também. Só amor e fogo não bastam.

    ResponderExcluir
  12. Veja, acho que existem mais motivos que levam as pessoas ao altar, não tão somente o amor, ou, como nos casos que citou, o golpe do baú.

    As diferentes classes societárias, no meu ponto de vista, encontram formas de relacionamento diferentes umas das outras, de acordo com a sua realidade: uma pessoa mais pobre, se não guarda o sonho de celebrar o casamento numa igreja, simplesmente "junta as escovas", seja numa nova casa, seja na casa de algum dos cônjuges, e ganha ainda de brinde uma outra familia morando junto.

    Por mais medieval que pareça, muita gente de classes mais abastadas se casam pra juntar os patrimônios, por conta da família, das relações sociais, deixando, desta feita, o amor em segundo plano. E o motivo as vezes nem é tanto querer dar o golpe, mas sim, por conta de um círculo fútil de relações que diz que aquilo é certo.

    Bem, bem... eu não pretendo de casar tão cedo, e nem tenho medo de ficar pra titio (o que, aliás, já sou XD)

    abração, Peterson!

    ResponderExcluir
  13. Não tem a ver com o assunto, mas to aki pra mandar um "valew" pelos ultimos coments. Ficaram melhor do q os posts. hehehe...

    Teh mais cara, abç

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Um casamento sem amor é algo realmente difícil de se conduzir. Mas o amor não é tudo!

    Somente o amor não consegue superar TODAS as implicações que uma vida a dois possui.

    É preciso que ambos tenham MUITA maturidade, saibam respeitar o outro como indivíduos e não somente como parceiros, deve haver respeito, honestidade, compatibilidade em certos ideais primários e, principalmente, a vontade que de certo.
    Afinal, como dito no post, crises virão e não é fácil superá-las.

    É claro que não podemos viver infelizes em uma união que não nos agrada como antes, mas devemos sempre pensar que uma separação NUNCA é tão fácil quanto parece, mesmo que tenhamos certeza de que o amor acabou.

    _______________________________
    Nunca é suficiente em dizer como os seus textos são bons. É uma pena apenas não escrever com maior frequência.

    Abrss....

    ResponderExcluir
  16. Hoje em dia os casais pulam etapas...
    Muitos casam sem fazer planejamento e apartir daí já começa uma relação onde falta estrutura e maturidade!
    Falo isso por que conheço (e não só um casal assim),antes pensassem mais antes de "tentar" constituir uma vida assim.

    ResponderExcluir