terça-feira, 25 de novembro de 2008

O preço da liberdade

Qualquer um está apto a ser totalmente livre? Quais são os preços da liberdade?


De acordo com o dicionário Aurélio, liberdade é a “faculdade de cada um se decidir ou agir segundo a própria determinação”. Liberdade é independência. Ou seja, é ser independente para pode fazer o que você quiser. Por causa disto, a liberdade absoluta não existe, pois você não pode sair por aí fazendo tudo o que quer, não é mesmo? Para ser livre em algo, muitas vezes você vai precisar abrir mão de alguma coisa.


Nossa sociedade tem limites, tem regras, tem leis. Qualquer um é livre para tornar-se um assassino, por exemplo. Mas é claro que se você quiser ter a liberdade de sair por aí matando, seja por prazer ou para ser entrevistado ao vivo em um programa de fofocas, você vai abrir mão da sua liberdade de ir e vir. A justiça vai lhe julgar e lhe condenar por homicídio e então você vai perder o seu direito de ir e vir, já que você será preso e, teoricamente, deverá ficar apodrecendo dentro da cadeia por anos.


Nem mesmo para os chamados “homens livres”, o direito de ir e vir vale para eles. Se você, brasileiro, quiser morar e trabalhar na Europa ou nos Estados Unidos, por exemplo, você deverá seguir uma série de exigências para que você possa fazê-lo, pois eles têm uma política de controle da imigração. Os estrangeiros, principalmente os vindos de países subdesenvolvidos, não são muito bem-vindos por lá, pois por servirem como mão-de-obra barata muitas vezes, são vistos como uma ameaça pelos nativos, como alguém que lhes rouba os seus empregos.


As pessoas também não são livres para conseguirem um lugar no mercado de trabalho sem que precisem abrir mão de algo. Pessoas muito tatuadas, que usam piercing, dreadlocks, barba e cabelos compridos (no caso dos homens) estão menos aptas a conseguirem um emprego em relação a alguém que não faz o uso deles, principalmente se for para trabalhar diretamente com clientes. Há preconceito com essas pessoas? Há, sem dúvidas. A sua aparência não é considerada “agradável” aos olhos da sociedade, e este poderá criar uma imagem negativa da empresa onde trabalham e poderão evitar comprar com eles. Cientes disso, muitos chefes evitam contratar pessoas com essa imagem, afinal ninguém gosta de perder clientes (dinheiro).


Muitos homossexuais “no armário” sofrem com a falta de liberdade de poderem ser eles mesmos e terem que viver uma vida paralela. Muitos são escravos dos seus próprios segredos e desejos, tendo que medir as palavras, vigiar suas as suas atitudes para não gerar a desconfiança de que sua homossexualidade possa vir a ser descoberta. Quando ele decide revelar a sua homossexualidade para as pessoas mais próximas, ele abre mão da sua imagem heterossexual, podendo vir a ser vítima de preconceito.


Muitos imigrantes se mudaram de sua terra natal ansiando por liberdade. Eles queriam se libertar da pobreza e de doenças, principalmente. Viam na terra nova uma oportunidade de serem livres para reconstruírem as suas vidas sem aqueles problemas.


Muitas guerras foram e ainda são travadas tendo a liberdade como objetivo. Mesmo conquistando a independência política, seria difícil para muitos países terem a liberdade de não precisar depender da economia dos outros. Poucos países são auto-suficientes em alimentos, e os que são seriam dependentes de tecnologia, etc.


O homem não tem a liberdade para viver fora da Terra. Nenhum outro planeta fornece condições de vida ideais e a terraformação, que consiste em um processo de transformações em um planeta ou na Lua para que seja viável a colonização humana, nunca foi testada, além de ser caríssima.


A liberdade absoluta não é possível, pois teremos sempre que abrir mal de alguma coisa para conquistar outra, mas são os vários tipos de liberdade que fazem as pessoas lutarem por seus objetivos. Sabendo que a liberdade absoluta é inviável, o que podemos fazer é aprender a conviver com essas limitações para que possamos viver em paz.

12 comentários:

  1. Liberdade é uma utopia quase tão grande quanto domingo sem faustão.

    ResponderExcluir
  2. Hahahah você se esqueceu de salientar que: quando se mata alguém você vai preso se for pobre, mas é mais fácil você ser preso por ter roubado um pote de margarina, do que por ter matado alguém.

    Pois é, vendo por esse lado, não existe liberdade absoluta. Mas em quais casos ela seria extremamente necessária?

    Cabe a nós seres humanos, saber nos dar com nossas escolhas.

    ResponderExcluir
  3. Liberdade demais faz mal.
    Nem todos saberiam lidar.

    Sobre a minha liberdade
    (se é que ela existe),
    prefiro não comentar.

    Teh

    ResponderExcluir
  4. Concordo com os dois últimos...
    Ela não é necessária, não há porque lamentar sua inexistência.

    E eu? Sou livre para comentar o que realmente queria aqui?!

    ResponderExcluir
  5. Por isso eu prefiro libertinagem a liberdade.

    ResponderExcluir
  6. Liberdade é um conceito pessoal e único. Por isso ela não existe em sociedade.

    ResponderExcluir
  7. A liberdade não tem preço, porém custa caro, mais ''Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos!''

    Nunca desistar!
    Depois passa no meu blog =D
    b-ju da Girls Wireless (Dalete)

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito desta postagem! Vi meus próprios pensamentos em suas palavras! Recentemente escrevei um texto sobre liberdade, com um viés bastante parecido com o seu, embora eu tenha chegado a conclusões talvez distoantes, srsrs.

    Se quiser conferir... http://facetasdemim.blogspot.com/2008/11/liberdade-prestao.html

    ResponderExcluir
  9. LIberdade vigiada, conduzida por leis e normas a fim de coordenar uma sociedade.
    Liberdade é expansão de pensamento.
    É saber que o mundo não colabora e nem por isso somos iguais.
    É fazer a diferença com idéias e ideais.
    É respeitar o espaço além de nossos umbigos.
    É conviver com as cercas e grades, sem sentir-se prisioneiro.
    Ser livre é ver o outro e se enxergar nele.

    ResponderExcluir
  10. Bem, bem, a liberdade de fato é cerceada por vários outros fatores; ninguém é livre pra fazer tudo que quiser, a menos que queira lidar com as consequências dos seus atos depois. Mas pense bem: nós sempre respondemos pelos nossos atos, a cada escolha que fazemos, então, chego a conclusão de que a única liberdade plena, é o que chama-se comumente de livre arbítrio, ou seja, a liberdade de escolha. Essa sim, ao meu ver, é plena.

    "Pessoas muito tatuadas, que usam piercing, dreadlocks, barba e cabelos compridos (no caso dos homens) estão menos aptas a conseguirem um emprego em relação a alguém que não faz o uso deles, principalmente se for para trabalhar diretamente com clientes."

    Você tem razão, essas pessoas sofrem preconceito sim, mas há exceções: há lojas atualmente que dão preferências por pessoas que usam justamente desse estilo de vida/moda: veja, por exemplo, a loja Chilli Beals. Já ouviu falar? Bem, pelo menos perto de onde eu moro, os profissionais que lá atendem, todos sem exceção, tem piercings, tatoos, moicanos, brincos, buracos nas orelhas, etc. Eles lidam diretamente na venda do produto com os clientes, mas os que frequentam a loja, também tem esse estilo, pq a loja vende direcionada para este público. É uma exceção pq é direcionada, como eu disse, mas uma pessoa careta, por exemplo, ñ conseguiria o emprego nesta loja em específico.

    E como estão as coisas em SC, em relação às chuvas? putz, espero sinceramente que as coisas melhores por ai :)

    ResponderExcluir
  11. MUITO, MUITO, MAS MUITO BOM MESMO ESTE POST.

    Tão bom que me levou a ficar de olho em seu blog. No momento estou sem muito tempo para ler os outros posts, mas devo voltar em breve para ver mais sobre o que você escreve. Porque você o faz com qualidade.
    Além de ter uma linha de raciocínio (a julgar por este único post que ja li) muito semelhante a minha.


    Sobre o assunto, creio que não tenho muito a acrescentar, ja que fora explorado todos os aspectos.

    Mas gostaria de acrescentar uma frase que costumo seguir:
    " A liberdade tem um preço, muitas vezes é um preço alto demais. Mas ainda assim vale a pena pagar."

    ResponderExcluir
  12. Acho que liberdade é querer fazer exatamente aquilo que você deve fazer e que o deixa feliz, sem conseqüências ruins para qualquer outro. Neste sentido, pode ser plena. Mas, na realidade, só será plena se nós mesmos formos plenos. Não adianta querer liberdade perfeita enquanto não formos perfeitos. Nós é que devemos evoluir para chegar até ela, e não o contrário...

    ResponderExcluir