quarta-feira, 5 de novembro de 2008

A mudança da qual nós precisamos


Quais são as diferenças entre as eleições presidenciais dos EUA e do Brasil? Por que eles dão muito mais importância ao seu presidente do que nós ao nosso?


O novo presidente da maior potência militar e econômica do mundo, os Estados Unidos da América foi eleito hoje, dia 05 de novembro de 2008. Seu nome é Barack Obama, que entrará para a história como o primeiro presidente negro a chegar a Casa Branca. Mas este post não será sobre o resultado das eleições, mas sim sobre a importância que ela tem para o povo dos Estados Unidos e para a sociedade internacional.


Sempre que assistimos a um filme estadunidense, é muito comum vermos a sua bandeira nacional. De maneira geral, o povo dos Estados Unidos é extremamente patriota. Alguns amam os EUA cegamente, outros dizem odiar, mas quando se odeia algo ou alguém, é porque você gosta dela, mas gostaria que esta fosse diferente do que é. É raro encontrar alguém que seja indiferente, que nem ame e nem odeie os EUA.


A importância das eleições presidenciais dos EUA ultrapassa as suas fronteiras. Quando Barack Obama foi declarado o presidente eleito, sua vitória não foi comemorada apenas nos EUA, mas também na Europa, África e em outros continentes. O mundo demonstrou estar esgotado da política de guerras da Era Bush e da crise econômica mundial que vem ocorrendo neste final da sua gestão. Além disso, seu opositor foi John McCain, que defendia a política de guerras de George W. Bush.


O povo dos EUA dá a devida importância à política. O cargo de presidente dos Estados Unidos da América é muito valorizado pela população, não somente por sua importância de líder da maior potência econômica e militar do mundo, mas como também por sua importância na história do país. Quando o presidente faz um pronunciamento, as pessoas comparecem em massa, assim como nos comícios dos candidatos à presidência do país. Algumas chegam a chorar de emoção. A população valoriza as eleições e não se importa de ficar quatro horas aguardando numa fila (afinal, o voto não é obrigatório) para votar, pois eles têm consciência do valor do seu voto e da democracia.


Descendo a Linha do Equador, no Brasil, vemos um enorme contraste da cultura do povo com a política entre o povo do Brasil em relação ao povo dos EUA.


Os brasileiros não são patriotas. E não é de se estranhar afinal, não temos tido muitos motivos plausíveis para ser. O brasileiro costuma ser patriota em época de Copa do Mundo, pois o Brasil faz parte da elite do futebol internacional, mas isso não é ser patriota de verdade: isso é ser imbecil. Se o brasileiro fosse patriota, talvez ele não precisasse ser tão dependente da mídia para se importar com a política. Aliás, acho que se a mídia não tivesse impulsionado o impeachment de Fernando Collor, quem sabe ele não tivesse permanecido no cargo de presidente do Brasil até o fim.


O Brasil possui certa notoriedade no cenário mundial, é verdade. Está entre as nove maiores economias do globo e é a maior economia da América Latina então, quando elege um novo presidente, alguns jornais importantes dos EUA e da Europa escrevem algo a respeito. Ser uma das maiores economias do mundo deveria ser motivo de orgulho para nós mas, infelizmente, a distribuição de renda para a população continua muito desigual e, mesmo que o governo tente nos iludir dizendo que a classe média aumentou, isso não vem refletindo na nossa qualidade de vida.


Os comícios promovidos pelos presidentes dos EUA e Brasil são extremamente diferentes. No Brasil, os candidatos não inspiram sentimentos de mudança. Seus comícios não atraem muitas pessoas, exceto se ele for um “showmício”, onde o que chama a atenção dos eleitores não é o discurso do candidato, mas sim o show musical populista (que foi pago com o dinheiro dos impostos altíssimos que nós pagamos), e que costuma ser regado a cerveja, churrasco e dançarinas bundudas.


A votação pode ser considerada mais rápida no Brasil se for comparada a dos EUA, mesmo assim, muitos reclamam, pois são obrigados a votar. A população não dá a devida importância à democracia e ao seu voto.


Essas eleições presidenciais dos EUA deveriam nos servir de exemplo. Deveríamos nos importar com a polícia assim como eles: é a mudança da qual nós precisamos. Eles não se tornaram uma superpotência com um povo que não dá a mínima para a política. Se a população dos EUA não tivesse consciência da importância dela e se não fossem tão participativos, talvez não tivessem todo esse poder que têm e quem sabe não fossem tão diferentes do Brasil.

15 comentários:

  1. É, existem um grande contraste entre o grande valor que os EUA dá ao seu presidente e ao que ele representa, do Brasil que a maioria parece não ligar. Todos deveriam se conscientizar um pouco e analisarmos melhor, afinal é o nosso futuro em jogo.

    ResponderExcluir
  2. Cara adorei seu post, as diferenças são muitas, O Brasil é uma merda e sempre vai ser, até algum dia alguém coerente, e perfeito se tornar presidente desta merda um dia.

    http://omundotv.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Brasileiro não são patriotas. Brasileiros não amam seu país. Brasileiros não amam a si mesmos. Se fossemos daríamos mais valor a nossa cultura (nossa cultura, e não a bundas e cervejas!), daríamos valor para nossa política e para o nosso povo. Se assistimos qualquer merda que passa na tv, se elegemos qualquer merda, se consumimos qualquer merda que vem do exterior, é porque não nos amamos. Se aparece um "gringo" no Brasil, lá vai o brasileiro idiota, puxar o saco, só porque é greingo, ou seja, nós admitimos que somos inferiores a outros povos. E nem por isso pensamos em mudar. Sabemos que nossa polícia é corrupta, sabemos que nossos funcionários públicos são corruptos, sabemos que a população é corrupta, e isso nos incomoda? Não! Levamos a vida "no bico". Então para que que um povo que se preocupa com cerveja, bunda e samba, vai se preocupar com política? Afinal, qualquer coisa, depois, eles dão um jeitinho...

    ResponderExcluir
  4. Não é a toa que o idioma mundial é tido como o inglês. Os Estados Unidos de fato exerce forte influência não apenas em seu próprio teritório, e sim no mundo todo!
    Então vamos esperar que dê tudo certo com esse novo presidente e que haja mais paz...
    =)

    http://esperaemdeus.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Patriotismos à parte, na "novela mapa mundi", os Estados Unidos são ou os protagonistas ou os antagonistas.
    O Brasil é apenas "elenco de apoio".
    Ainda.

    ResponderExcluir
  6. Aqui o povo mal da importancia ao nosso presidente, porque aqui é um mar de corupção que assola o nosso país

    ResponderExcluir
  7. eu não sei se Obama vai ser bom
    mas estou com esperanças

    ResponderExcluir
  8. Amo o meu país, apesar de todas as mazelas. Seu texto foi extremamente esclarecedor. Concordo com você em tudo o que disse, e ainda acrescento que o início da solução para todos os problemas do Brasil ainda está na educação do povo brasileiro. Quando digo educação, não estou me referindo somente às salas de aula das escolas. O povo precisa participar e ter mais noção das coisas. Lembro-me que, no início da minha adolescência, eu tinha aulas de "moral e cívica" na escola. Hoje, acho que essa matéria nem existe mais. Por que será???

    A própria mídia já tem contribuído nesse sentido, mas ainda é muito pouco. Talvez uma campanha permanente de conscientização sobre cultura, política e outros assuntos relacioandos poderia ajudar. Acho que é mais ou menos por aí...

    ResponderExcluir
  9. O Brasil tem complexo de vira lata, por isso só dá valor o que é de fora. O único orgulho do Brasil é o futebol que nada mais é do que pão e circo para os brasileiros.
    E concordo contigo em relação à midía, pois quem derrubou o collor foi a globo, com aquela manifestação "combinada", auto intitulada de "Caras Pintadas".


    http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. a cultura neh
    as pessoas como sao criadas la eh diferente do que daqui

    ResponderExcluir
  11. Tem vezes que me sinto sozinho.
    mas qnd vejo q tem genti que pensa igual eu fico feliz
    hahahah :)

    ResponderExcluir
  12. O patriotismo das duas nações difere extremamente! Não dá pra querer comparar...

    Vi seu blog na comu do Orkut!
    Passa lá no meu blog tb:
    http://blogdapattyandrea.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. eh cultura...o povo brasileiro eh tudo desnaturado...ñ liga mto pra esse tipo d coisa...mas como gaucha eu digo q la no sul eh diferente a gente valoriza mto a cultura, tradiçao...

    http://s2simpleplanjg.skyrock.com/

    ResponderExcluir
  14. Concordo em genero, numero e grau!
    Ótimo texto!
    Parabens!

    ResponderExcluir
  15. Entendo o seu ponto-de-vista, mas de, de certo modo, o brasileiro dá mais atenção à política atualmente.

    Viide o ídice de aprovação do 'nosso Obama'. Alguém de origem preconceituada tb, mas que, concordemos ou não, venceu!

    ResponderExcluir