domingo, 24 de agosto de 2008

Os vencedores de Pequim

Vencedores não são somente aqueles que ganharam uma medalha de ouro, mas também aqueles que venceram todas as adversidades em busca de um objetivo.

No meu antepenúltimo post, Os donos da verdade, eu fiz um breve comentário sobre pessoas que criticavam o desempenho do Brasil nos Jogos de Pequim, julgando-os como vergonhosos. Mas será que já nos perguntamos por que o desempenho do Brasil não é tão bom quanto deveria?


Apesar de que o Brasil não tenha superado o recorde de medalhas de ouro que conseguiu em Atenas 2004 (que foram 5), eu considero o desempenho do Brasil muito bom. O Brasil igualou o seu recorde do total de medalhas, que foram 15, assim como em Atlanta 1996. Suas medalhas não se restringiram apenas a uma modalidade. Das 35 modalidades, o Brasil conquistou medalhas em 8: atletismo (1), natação (2), vôlei de quadra (2), vôlei de praia (2), futebol (2), vela (2), judô (3) e taekwondo (1).


Algumas pessoas dizem que é vergonhoso que países mais pobres do que o Brasil como Jamaica, Quênia e Etiópia tenham terminado na frente do Brasil no quadro de medalhas. Se formos verificar de onde vieram essas medalhas, perceberemos que 100% delas foram conquistadas no atletismo. Usain Bolt, da Jamaica, é um fenômeno do atletismo e suas amigas velocistas são muito boas. Esses 3 países só não foram melhor no atletismo do que os EUA e a Rússia, ou seja, eles são feras! Já o Brasil não tinha nenhum número 1 no atletismo e suas maiores estrelas eram atletas que não eram imbatíveis, como Maurren Maggi e Jadel Gregório.


Se nós estudarmos o quadro de medalhas até a 26ª posição, nós perceberemos que 21 destes países são desenvolvidos, ou seja, países que investem mais e melhor em educação e esporte. O Brasil, mesmo sendo o 5º país mais populoso do mundo, não figura entre os 5 primeiros. Nesta Olimpíada, o desempenho de Cuba não foi dos melhores, mas este está quase sempre entre os primeiros nos Jogos Olímpicos e nos Jogos Pan-Americanos, mesmo que seja apenas o 74º país mais populoso do mundo. Motivo: em Cuba, apesar da política linha-dura de Fidel Castro, o governo investe em educação e esporte, ou seja, oferece suporte para que seus atletas tenham acesso ao esporte e para que possam ser bem-sucedidos.


Muitos atletas brasileiros, mesmo sem medalhas, foram verdadeiros campeões. Campeões por terem conseguido uma vaga nos Jogos Olímpicos mesmo sem apoio do governo e patrocínio em esportes onde o Brasil tem pouca ou nenhuma tradição como boxe, canoagem, esgrima, levantamento de peso, hipismo, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro, vela, remo, etc. Muitos destes esportes estão restritos à elite e são praticados em clubes onde só quem tem dinheiro consegue pagar.


A mídia, ao invés de chamar a atenção da população e cobrar do governo maior investimento para esporte e educação, cria super-heróis que são seres humanos como qualquer um, jogando sobre seus ombros todas as expectativas de um país inteiro em uma medalha que deve ser de ouro e apenas ouro. Diego caiu e seu ouro certo escapou de suas mãos. Ele ficou muito frustrado e teve receio de que o Brasil sentisse vergonha dele.


Felizmente, a mídia tem sido justa com a seleção feminina de futebol, que lutou com bravura até o último minuto contra a forte seleção dos EUA, mesmo que algumas delas estejam desempregadas e que não haja uma liga feminina no Brasil. Ainda não sei como será a reação da mídia com a prata no vôlei masculino já que esse time é tido como “imbatível”. Mesmo que essa seja a melhor equipe de vôlei do mundo, eles não serão imbatíveis para sempre. Uma hora ou outra eles perderiam. E foi o que aconteceu.


No caso da saltadora Fabiana Murer, ela foi vítima da negligência de alguns dos organizadores, e toda a tensão que o sumiço de sua vara rendeu, além de ter saltado com uma vara que não era específica para a altura do salto, prejudicou seus saltos e seu resultado final foi ruim.


É claro que alguns atletas foram decepcionantes. O time masculino de futebol até que fez uma boa campanha e mesmo que tenham patrocínio e toda uma estrutura, fizeram um jogo medonho contra a Argentina nas semifinais. Menos mal para eles que podem usar o ouro da Argentina como desculpa para a sua derrota. Outro atleta, cujo desempenho não foi bom, foi o de Jadel Gregório, que dispensou seu técnico (o mesmo de João do Pulo) das Olimpíadas.


A campanha do Brasil não foi linda e maravilhosa, mas foi muito boa para um país onde não há o devido investimento em educação e esporte, onde não há locais próprios para a prática de determinados esportes, onde não há muita popularidade para esportes além do futebol, onde não há ligas, clubes e patrocínio. Falar que o Brasil é ruim é fácil, difícil é estudar o problema e procurar meios de resolvê-los. Enquanto as coisas continuarem a ser deixadas de lado como estão, o Brasil viverá sempre na expectativa de que virá um mar de medalhas e acabará se frustrando quando não forem tantas como a mídia previa.

11 comentários:

  1. A Olimpiada foi boa para nós, tivemos algumas decepções mas tivemos muitas surpresas tbm.
    Já estou com saudades^^

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. O Brasil nao investe tanto no esporte, talvez por isso nao somos tao bons...
    Alem disso somos um pais de esportes coletivos. Mais dificil ainda medalhas.
    Enfim, o Brasil participa e mostra a cara.
    Marca presença!
    Dificil competir com a China e EUA...

    ResponderExcluir
  3. na minha opinião o que faltou foi mais apoio do Brasil, o Cielo que ganhou medalha de ouro só pode ir até la competir por que seu pai bancou, assim como bancava pra ele treinar fora do brasil, a associação de esportes aquaticos do Brasil nem deu apoio a ela, mas ela o presidente dela que estava ao lado de Cielo quando ele ganhará a medalha, e seu pai sentado na arquibancada num lugar que ele pagou mais de mil dolares para poder ver seu filho.

    abraços
    http://blogaragem.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. É normal q cada país tenha chance de ganhar apenas nos esportes q são mais praticados em seu território. Fora vi em um blog q foram investidos nada menos q i bilhão de dólares nos atleata brasileiros para as olimpíadas. Achoq não foi falta fde investimento nao.

    ResponderExcluir
  5. Finalmente alguém que concorda comigo! Já tive varias discursões a cerca desse assunto. Gente que reclamou as Olimpiadas toda do Brasil.
    Pergunta pra algum atleta desses conseguiu ir para as olimpiadas qual foi a parte mais dificil! A maior parte vai falar que foi conseguir chegar até lá, a parte de ser classificado para a competição! Agora o porque disso quase ninguem quer admitir. É o mesmo problema de sempre, que tá todo mundo cansado de saber, O Brasil tem uma educação deficiente, e consequentemente um incentivo ao esporte precario. O que adianta ter o talento e ser bom em algum esporte se nao há incentivo algum?! Vai ver aqueles maratonistas, a maior é de familia humilde, do interiror do interior do Brasil, que nao tinha outra alternativa nao ser andar ou correr de um lugar para o outro.
    Só quero ver quando vão ver que a mudança no sistema educacional é a resposta pra mais de 80% dos problemas atuais que o Brasil vem enfrentando, que chega a afetar setores que nem nos damos conta, como o desempenho do Brasil na Olimpiada.


    P.S: Perdão pela demora, tive uma pequenas intercorrencias aqui

    ResponderExcluir
  6. As olimpíadas são como um jogo de video-game... jogue com calma e sem excessos e perceberás como é bom tê-lo para se distrair.

    ResponderExcluir
  7. Realmente para fazer traduções é essencial conhecer bem as opções da língua, e para estudar um outro idioma, ter domínio sobre a língua materna ajuda e muito.

    Abs
    Raquel

    ResponderExcluir
  8. Eu estava vendo no Sem Censura um esportista falando sobre as Olimpídas, e ele disse uma frase até meio clichê, mas muito certa: "O vencedor não é aquele que nunca caiu, mas o que termina de pé." Achei muito legal, especialmente porque de queda eu entendo.

    ResponderExcluir
  9. É, realmente não devemos criticar a posição do Brasil em relação a Olimpíadas. O Governo não investe na educação e muito menos nos esportes. Me lembro que no meu tempo de escola, meu professor de educação física "jogava" os alunos na quadra e ia ler seu jornal. O que é também intolerável é ver as pessoas criticando atletas e técnicos, eles não sabem o que cada um passou para chegar onde chegou. Destaque para o comportamento do programa Pânico na TV, que pediu para as pessoas deixarem uma "mensagem" para o técnico da seleção brasileira com relação ao fato do Brasil ter perdido para a Argentina; as pessoas com uma comportamento de vândalos falavam um monte de palavrão, faziam gestos obscenos, etc...
    Agora, o que pessoas com esse tipo de comportamento espera do seus país, governos, seleção, equipe, etc?

    ResponderExcluir
  10. Não assisti ás olimpíadas desse ano. Não ligo para quem ganha ou não ouro mas apoio quem disputa porque a vida não é fácil, principalmente para os talentos que ao invéns de serem lapidados são desperdiçados.

    ResponderExcluir
  11. Eu achei que com tudo e por tudo, o Brasil mandou muito bem sim, sem dúvidas.
    Beijos e belo post!

    ResponderExcluir