sábado, 17 de maio de 2008

Como uma onda


“As pessoas entram em nossa vida por acaso, mas não é por acaso que elas permanecem.”

Lilian Tonet


Estar apaixonado, na maioria das vezes, é estar cego. É o caso daqueles que fazem as juras de “amor eterno”, cuja mesma foi criticada em “Amor eterno até amanhã”. Amor? Não, isso não é amor. Amor não é algo que surge em questão de poucos dias ou semanas. Levam-se meses e até mesmo muitos anos para que exista amor verdadeiro.


Acredito que o “atestado de amor verdadeiro” venha com a crise ou com o suposto “fim” dele. Quando um relacionamento termina, seja entre amigos, casais ou familiares, sente-se uma falta sincera da pessoa que se foi (para nunca mais voltar na maioria dos casos). E quando essa se vai, não há ódio ou ressentimento.


A maioria dos casais quando se separa perde o contato com seus ex. Isso acontece porque faltou amor de verdade na relação por parte de algum. Quando um relacionamento termina por causa de uma traição, foi porque o traidor não amou de verdade o traído. Não acredito nessa desculpa esfarrapada de que “a carne é fraca”, como eu já ouvi em testes de fidelidade na televisão. Quem trai não pensa no outro e o trai por puro egoísmo. Quem trai só pensa no próprio prazer.


Mesmo que o traidor se arrependa de verdade por ter feito o que fez e peça perdão, tem como um relacionamento sobreviver? Em minha opinião, não tem como. A sinceridade é um dos combustíveis fundamentais para que um relacionamento dê certo. Supondo que a pessoa que traiu foi perdoada, aquela que foi traída vai sentir sempre a dor da traição quando algo remeter a ela. O casal pode mesmo se amar e acabar reatando, mas sempre vai haver a lembrança da traição e o pé atrás do traído.


Um relacionamento amoroso onde houve amor verdadeiro de ambas as partes, em minha opinião, é aquele que termina relativamente bem. É claro que vai haver a dor da separação, mas o amor sempre vai existir, mesmo que um dos combustíveis de um relacionamento (a paixão) não exista mais, pois outros combustíveis como a amizade, sinceridade, respeito e o amor ainda existem.


Enfim, é uma dor quando um relacionamento termina e esta pode acabar com as esperanças de uma pessoa por alguns dias, semanas ou ainda mais tempo. E é aí que eu quero chegar! Eu me pergunto: existem pessoas insubstituíveis?


Sim e não, eu diria. Sim porque há pessoas que você pode substituir na sua vida. Talvez você não tenha convivido com sua mãe por muito tempo, mas alguém pode ser a “mãe” que você precisa, seja ela sua irmã mais velha, tia ou até mesmo seu pai. Seu cônjuge pode ter terminado o relacionamento com você sendo que seu amor não terminou, mas vale a pena ficar sofrendo por alguém que já se foi e que pode até ter terminado com você de uma maneira não muito legal com uma traição, por exemplo? Não, não vale a pena. Algumas pessoas podem ser substituídas sim, mas algumas jamais serão esquecidas.


Mas há sim pessoas insubstituíveis. Pode ser aquela pessoa que foi sua mãe quando você precisava de uma, ou aquela que te deu apoio quando você precisou de apoio, ou aquela que te protegeu e defendeu, ou ainda aquela que, acima de tudo, te ama de verdade. Essas não devem ser substituídas e nem esquecidas. E agradeça a elas por fazerem parte da sua vida.

15 comentários:

  1. A verdade é que, queiramos admitir, queiramos não, o amor é condicional. Condicionamo-nos todos porque criamos expectativas, receios, esperanças.E na hora da desilusão, ou na hora das desilusões, a coisa aperta.
    Sempre há uma condição, nem que seja a velha "Se eu amo, que também me ame".

    Beijocas
    www.lizziepohlmann.com

    ResponderExcluir
  2. Essa coisa de juras eternas de amor é interessante..
    na primeira briga as juras vão por água abaixo..

    Por isso não acredito em amor eterno.
    Tudo é temporário.
    Tudo enjoa.
    Nada é pra sempre.

    Ninguém é substituível..
    desde amigos até romances..

    Gostei do que escreveste.
    Obrigado pelo ocmentário no post de LOST

    Se quiser, Comenta aí:
    And I Said Goddamn!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do blog e do post,
    Esse post me levou a tantos sentimentos esquecidos...

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. O que é Amor? Gostar de alguém, sentir falta, sentir-se bem ao lado da pessoa?

    Bom, não sei definir Amor, muito menos saber se já cheguei a amar alguém como em histórias em quadrinhos ("felizes para sempre"). Na verdade, acho que existe um sentimento, que muitos acreditam ser amor, porém, acabam descobrindo que é pura conveniência. Na minha opinião, amor mesmo só o Amor próprio, aquele que você nutri por você mesmo, você conhece seus defeitos, odeia eles, mas no final, acaba aceitando, mudando, torcendo pra que dê tudo certo, e sempre continua andando, mesmo que em certos momentos, você seja a pessoa menos indicada pra esta contigo. (sim, filosófico, porém, faz sentido).

    Abraços e desculpa o "post".
    Folhetim On Line

    ResponderExcluir
  5. Sabe de verdade Cade vez menos eu acredito no amor verdadeiro nao sei é algo que agente fica pensando o amor sempre acaba mau ou bem e vc sempre sofre e se o amor e verdadeiro nao existe sofrimento e o q eu axo


    Meu Blog : Blog Do Philipe

    MT bom blog

    ResponderExcluir
  6. Concordo em muitos pontos com vc. Acho que existem pessoas insubstituíveis e outras que não são, mas não usaria o termo "substituir", pra mim é mais uma questão de ciclos mesmo, tem pessoas que entram na sua vida e ficam, outras não, são escolhas que fazemos e ao mesmo tempo é uma força maior que nos empurra, entende? não sei se acredito em destino, mas é mais ou menos ai que quero chegar. Tem coisas que independem de nós, como a morte por exemplo. Não é uma escolha, mas é o fim de um ciclo (e para alguns, o início de outro, enfim, ñ quero entrar em méridos religiosos ou na crença de cada um). Mas o que quero dizer mesmo é que gostei muito do que vc questionou. E não acredito na paixão. Acho que ela camufla os interesses mais egoistas de alguém. Quando se está apaixonado, a gente admira o outro como um troféu, as vezes o queremos só para nós, é como uma febre. Acredito sim, no amor. E ele pode surgir em uma amizade, em um afeto, em uma cumplicidade, etc.


    E puxa vida, também preciso manter contato com o teu blog! Até peço deculpas pela ausência, pq teu blog merece muito ser lido XD

    abraço!

    ResponderExcluir
  7. Amor é um sentimento que eu ainda não sei explicar. Não que eu não saiba o que seja, ou que eu não o sinta. Sim, eu o sinto, mas é algo tão forte e bonito, que é preferível mostrá-lo em gestos, que em palavras.

    http://maynabuco.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. O amor verdadeiro só existe naquele que transcede a esfera material. Que vem do mundo espiritual.
    Eles podem estar perto ou longe, podemos os encontrar ou não aqui.

    Abraços,

    http://vivian-barros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Parabens pelo blog gostie mt do conteudo e do texto que me fazx lembrar a musica do lulu como uma onda no mar

    e preciso aproceitar a vida porque so assim nao teremos medo do amanha


    passa no meu tbm

    www.philipecardoso.com

    ResponderExcluir
  10. Disse tudo.


    Mas eu acredito no perdão de traição. Raríssimo, mas possível.

    ResponderExcluir
  11. Absolutamente lindo seu texto..
    Definiu exatamente essa loucura que é amar. E mesmo nos ferindo e enlouquecendo muitas vezes..é raro ver alguém que sobrevive sem ter amor no coração.
    Ameei seu blog. Muito bom mesmo.
    Voltarei mais vezes.

    beijõõões

    ResponderExcluir
  12. Para mim, o amor é essencial. Seja lá de quem for, mãe, pai, namorado...

    beijo, adorei o post

    ResponderExcluir
  13. Não acredito nessa de amor eterno, mas sim em amores. São poucos aqueles que realmente encontram o amor eterno e vivem juntos até a morte. A maioria de nós pobres mortais, vai ter não um mais vários amores. E todos com o seu valor.
    E não concordo quando diz que “Quando um relacionamento termina, seja entre amigos, casais ou familiares, sente-se uma falta sincera da pessoa que se foi (...) E quando essa se vai, não há ódio ou ressentimento.” Muitas vezes esses relacionamentos terminam e fica a mágoa, o ressentimento mas isso não significa que até o fim não existiu amor. É só que nem sempre a gente consegue ser racional. Não é fácil amar alguém e ter que deixa-la ir.
    Não sei o que faria se um namorado cometesse traição. Com certeza ficaria magoada e a confiança abalada. Mas acho que você é um pouco severo nisso. Entendo o seu raciocínio mas acredito em segunda chance. Concordo que a confiança fica abalada mas existem pessoas que merecem que a perdoemos. Não se pode esquecer que somos todos humanos.
    Se existem pessoas insubstituíveis ? Sim. Elas são inesquecíveis e são a razão pela qual o mundo está a salvo. Não acho que existam pessoas substituíveis. Não há como ocupar um espaço que já foi de outro. É sempre criado um novo espaço. Sempre.

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Gostei muto do seu texto, do seu ponto de vista.
    Concordo com cada palavra dita nesta postagem.
    Continue escrevendo, como havia dito, seus textos são maravilhosos.

    ResponderExcluir
  15. Bacana o texto, concordo com tudo que foi dito!
    Continue escrevendo!!!

    http://rosarenan.blogspot.com/

    ResponderExcluir