domingo, 24 de fevereiro de 2008

Cotas nas universidades

Algumas pessoas tiveram acesso a boa educação e outras não, mas isso não significa necessariamente que estas são melhores e mais capazes do que você.


Eu já estava a algum tempo pretendendo escrever sobre esse tema, mas eu não o havia feito antes por pura preguiça. Na madrugada de hoje, eu estava lá na sala vendo “Altas Horas”, programa apresentado por Serginho Groisman. No programa dele, há um quadro, já no final do programa, onde ele chama alguém da platéia para bater um papo cabeça (para mostrar que os jovens têm cérebro, apesar de não demonstrarem isso). Foi solicitado ao escolhido pôr a mão dentro de um tipo de caixa e de lá retirou um quadro com o seguinte tema a ser debatido: cotas para negros nas universidades.


Serginho perguntou a ele qual era sua opinião e ele se disse contra a reserva de cotas. Então, Serginho o questionou por que ele era contra. O estudante disse que acha essas cotas são uma falta de respeito com as pessoas de outras culturas. Esse praticamente foi o argumento mais longo do estudante que não tinha muitos argumentos para dizer por que era contra. A partir daí, o Serginho (ou a Globo) se mostrou uma pessoa claramente a favor da reserva de cotas ao questioná-lo: quantos alunos negros há na sua turma?


Em minha opinião, essa é a típica pergunta de quem quer provar que negros são coitados e que precisam dessas tais cotas para poderem progredir na vida. Na verdade, acredito que esse argumento do Serginho é praticamente igual ao do governo ao defender as cotas nas universidades: “O Brasil tem uma dívida moral e social com os negros”, tendo em vista de que eles foram escravizados até 1888 (no mínimo, porque é claro que houve negros que foram escravizados até bem mais tarde).


É claro que o Serginho não esperava ouvir uma resposta do tipo “muitos não entram na universidade porque a grande maioria dos negros não tem essa ambição”. O argumento do Serginho seria algo do tipo: “por serem descendentes de escravos, muitos afro-descendentes são pobres e seus pais não têm condições financeiras de oferecer uma boa educação aos filhos”. Isso não passa de um racismo descarado, um apartheid contra os que não são negros e ainda é, uma ofensa aos negros.


Muitos negros reclamam de serem vítimas de racismo e preconceitos, mas os que defendem as cotas não passam de um bando de hipócritas, pois estão aceitando suas posições de coitadinhos. Eles não são uma raça forte e lutadora? Então por que não demonstram essa força ao lutarem de igual para igual contra brancos, índios, pardos e pessoas de outras raças para ingressarem na universidade?


Muitas pessoas pobres, brancas ou não, já provaram que sim, que é possível competir de igual para igual contra estudantes de outros estados, com um nível cultural e social mais elevado e que tiveram acesso à boa educação, mesmo que essas pessoas pobres não tendo tido acesso a educação de qualidade. Mas eles chegaram lá, venceram honestamente, sem precisarem de nenhum tipo de caridade para mostrar que são capazes.


E todos são capazes. Dificuldades todos nós temos na vida e covardes são aqueles que têm medo de enfrentá-las e escolher o caminho mais fácil de se “darem bem”. As coisas não caem do céu e para se ter sucesso na vida, você depende de muito trabalho duro, dedicação e uma vontade sincera de vencer na vida. É importante que cada um descubra por si próprio de que é capaz de enfrentar qualquer dificuldade, de que é forte e de que tem potencial para ser o que quiser. Você precisa manter a cabeça erguida e saber valorizar todas as suas vitórias, das menores, às maiores.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Esperança

Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho. Quando tudo está perdido, sempre existe uma luz.


Há momentos na nossa vida onde toda a nossa felicidade e sonhos nos são roubados de uma forma violenta, fazendo-nos perder a esperança de que depois da queda, não há como levantar. Fica difícil crer que tudo pode ser reconstruído como era antes, ou de uma forma diferente para que a felicidade volte a tornar-se uma constante em nossas vidas, mas não como da última vez, já que não deu certo.


Decepções e perdas nós tivemos muitas e ainda teremos muitas outras no futuro. Isso é normal e previsível. Sentimos essas perdas como quando nós nos mudamos de cidade, estado, ou até mesmo de país, por exemplo. Adaptar-se novamente é bastante difícil. As pessoas que podem ser seus amigos não são como os que você tinha. O clima pode ser mais chuvoso, frio, seco ou quente. Você pode viver com mais conforto ou menos. Quando você pára e pensa, percebe que sente falta da sua vida de antes e sente-se infeliz.


Você deve ter a esperança de que as coisas podem mudar. Você deve acreditar que as pessoas desse lugar diferente podem também serem seus amigos de verdade, assim como os outros. Você deve aprender a curtir o que você tem e procurar o seu lado positivo para que você possa novamente estar bem adaptado ao novo ambiente e voltar a ser feliz.


Em outros casos mais graves, você acabou perdendo a sua casa ou seu emprego e vive com muita dificuldade. Você tem que ser forte e ter esperanças. Se você realmente tiver vontade de recuperar o que perdeu, você deve correr, lutar, ter determinação e descobrir o quão forte você é.


Você tinha o amor da sua vida e a amava de uma forma muito intensa. Sempre procurava uma forma de demonstrar todo esse amor seja por um jeito carinhoso de tratá-la, seja com presentes, ou com pequenas surpresas que eram grandes provas de amor. Porém, todo o amor que você sentia e investia não foi retribuído e você descobre isso da pior forma possível. Você é traído. Seu mundo desaba, logicamente. Para você, ela era o amor da sua vida a nada nem ninguém poderia fazer você se sentir toda aquela felicidade que sentiu antes.


Mas ninguém é insubstituível, por mais doloroso que isso possa te parecer. Existem pessoas que são inesquecíveis, e tentar esquecer de todos os momentos vividos juntos é besteira. Não é fácil encontrar uma pessoa que possa te fazer feliz como a anterior, mas você não deve perder as esperanças. Há milhares de pessoas por aí que podem sim te fazer feliz como você era antes ou até mais.


Você deve ter esperanças, sempre. É ela que vai fazer você enxergar uma luz no fim do túnel, por maior que ela possa parecer. Ela vai te dar uma imensa vontade de recuperar o que perdeu ou de conquistar o que ainda quer ter. Ela vai te dar uma vida para você tornar isso real. Você é o único responsável pela construção da sua felicidade, então depende de você não se deixar abater e correr atrás dela.