quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

A mídia dá "idéias"

A televisão tem um importante papel na vida da sociedade brasileira. Ela é mais do que um poderoso meio de alienação: ela ensina coisas que não deveria ensinar.


Praticamente não há nenhum brasileiro que não tenha acesso algum a qualquer meio de comunicação. A que mais se destaca no Brasil é, incontestavelmente, a televisão. Muitas pessoas gastam horas e horas de sua vida assistindo novelas, acompanhando o noticiário, assistindo futebol, entre outros programas. O maior veículo de comunicação do Brasil informa, interage com a sociedade, diverte, etc. Porém, nem tudo o que é transmitido é plausível. Alguns programas não deveriam existir por contribuir de uma forma ou outra com os problemas do nosso país e até mesmo do mundo.


Depois que a televisão tornou-se acessível para quase todos os brasileiros, ela tem se tornado uma poderosa arma para o desenvolvimento do nosso país. Nos últimos anos, a Globo tem metido seu bedelho na vida política do Brasil, apoiando e criticando alguns presidentes e outros políticos. Sabemos que muitas pessoas se deixam influenciar pelo o que a Globo diz, não questionando seus programas, as notícias ou a forma que elas são passadas.


As emissoras de TV têm um dever moral de ter programas com responsabilidade social, promovendo cultura e conhecimento para quem os assiste, ou seja, ter programas que acrescentem algo de bom em nossas vidas. Esses tais programas geralmente são transmitidos na hora em que muitos estão dormindo, como é o caso do “Telecurso 2000”, apresentado às 5 da manhã; do “Ação”, às 7 e de alguns outros.


Entretanto, os programas com os maiores níveis de audiência são aqueles que não acrescentam em nada em nossas vidas, como o polêmico “Big Brother Brasil”, contribuindo com o império da vaidade, além de incentivar o ódio, a inveja, a desonestidade, entre outros sentimentos negativos, e também programas de fofoca, que incentivam ao não respeito à intimidade alheia.


Os programas humorísticos, que não são nada engraçados, apelam para conseguir manter o público. Não vou citar nomes, pois os que mais dão audiência têm características parecidas. Eles incitam à discriminação, seja ela em demonstrações de racismo, homofobia ou ridicularização de portadores de deficiência ou de um povo. Todos eles usam um humor vulgar, apelando para piadinhas que remetem à sexo ou ainda, por meio de vandalismo. E, como não poderia deixar de ser, há a vulgarização e desvalorização da mulher em relação ao homem.


Em relação aos casos de discriminação em programas humorísticos, a justiça está de olhos abertos (ou pelo menos, de olhos semi-cerrados). A emissora RedeTV! já sofreu processos por conta de pegadinhas politicamente incorretas, tendo sido retirada do ar uma vez em São Paulo, além de ter que transmitir programas de direitos de resposta no lugar dos programas punidos.


Agora, na minha opinião, os programas com o conteúdo mais grave são os que envolvem violência e casos de polícia. Com o aumento do crime nos últimos anos, esses programas têm conseguido níveis de audiência bastante elevados. Além de muitos serem sensacionalistas, tornando os crimes dez vezes pior, eles dão idéias e revelam táticas da polícia para enfrentar o crime. Eu sou contra a censura, mas creio que programas assim e apresentados dessa forma, deveriam ser reavaliados. Para ser um criminoso de sucesso, basta assistir televisão e aprender quais as táticas que outros criminosos usam para assaltar casas, seqüestrar e assassinar. É como se fosse um manual que se assiste pela TV. Além disso, essas táticas da polícia apresentadas em cadeia nacional, são um alerta aos bandidos para que eles tenham tempo de contra-atacar. Seria uma forma insensata e obtusa de a polícia mostrar que está trabalhando? Prefiro que trabalhem capturando bandidos e não virando estrelinhas da TV!


Como eu já escrevi anteriormente, eu sou contra a censura, mas programas de TV politicamente incorretos e que incentivem o crime, mesmo que de forma passiva, deveriam ser impedidos de ser transmitidos ou controlados de forma rigorosa através de multas pesadas ao invés de um aviso de faixa etária no visor. Que família manda os filhos menores de 14 anos saírem da sala quando começa a ser transmitido um programa de faixa etária maior? Quase nenhuma! Tanto porque famílias mais responsáveis não são de perder muito tempo em frente à TV.

22 comentários:

  1. Eu quase não assisto tv.

    Ótimo texto.
    como sempre :)

    ResponderExcluir
  2. entao
    a tv é foda mesmu...
    faz os outros acreditarem no q é conveniente..

    ResponderExcluir
  3. A crítica feita aos programas que são exibidos na TV foi boa, mas senti falta de sugestões para fazer algo melhor. E sabemos que elas não são poucas, desde as clássicas "Vai ler um livro!" às moralistas "Vai trabalhar!".

    AH! Também desconfio da veracidade da informação que você fornece logo no início do texto. "Praticamente não há nenhum brasileiro que não tenha acesso algum a qualquer meio de comunicação (...)"? Como assim? Você tem algum dado estatístico que mostra isso? Até concordo que em regiões como Sul e Sudeste isso, talvez, sirva para a maioria, mas fora dessa área eu seria mais cauteloso. Veja, por exemplo, a seguinte estatística: o Brasil é um dos países que mais acessa à internet, mas, por outro lado, apenas cerca de 2% da população nacional tem acesso à rede.

    Ao final de tudo, parabéns pelo texto.
    =)

    ResponderExcluir
  4. hááá
    vou responder rápido o seu comentário no meu blog, e depois volto pra devidamente com tempo, responder a questão do teu post hehehe. Bem moço, quando li teu texto Segredos, fiquei imaginando se ele não fosse uma espécie de "auto-inspiração" e assim sendo, se vc seria gay. Achei que não tinha nada a ver eu perguntar, primeiro porque não cabia à ocasição, e segundo porque isso só saciaria a minha curiosidade, e mais nada. Mas então, eu me descobri homossexual e até já escrevi algo sobre isso, e achei maneiríssimo o modo como vc tratou de um assunto tão delicado, sendo sutil e poético, natural. Quanto ao Camilo, um dia eu li um texto em um blog de um rapaz que sempre escrevia sobre uma mesma personagem: Clarisse se não me engano, era o nome dela. Então eu me perguntei se eram apenas estórias ou inspirações do dia a dia. E resolvi criar o Camilo. Ele não existe e existe ao mesmo tempo, pois que nele retrato coisas que aconteceram de fato comigo, e coisas que vieram à imaginação. Portanto, ele sou eu, e uma parte de mim que eu talvez gostaria de ser. E eu me expresso nele, quando ele se questiona. E invento alguns romances pra ele tbm, como a garota ruiva hehehehehe.

    bom cara, um abração!

    ResponderExcluir
  5. Cara, eu tenho um colega q a familia tirou a TV de casa...

    Se você dedicar o tempo com os livros, apredendo alguma língua, escrevendo, tendo idéias - tentando executa-las, conversando com pessoas q tenha uma outra visão de vida ou não...
    Quando você parar para pensar na contabilidade de coisas produtivas q foram criadas para o seu pessoal e profissional... Nunca mais se verá a televisão com os mesmos olhos q muitos enxergam..

    Um abraço, cara...
    Bacana um post q trate desse tema

    ResponderExcluir
  6. Eu ultimamente nem tenho mais visto tv geralmente ligo para ver novela ou filmes. Mas ainda assim prefiro dedicar meu tempo á leitura.

    ResponderExcluir
  7. Cara eu odeio TV. quando estava imobilisado em uma cama eu assisti algumas vezes e isto foi uma experiência dolorosa.....

    []s L.Sakssida

    ResponderExcluir
  8. Não odeio tv mas não tenho mto tempo pra isso, ja que prefiro ler e escrever.... Mto bom post.. mot bom o blog voltarei mais vezes... kisses

    ResponderExcluir
  9. É o que eu sempre falo. Mas infelizmente as emissoras estão mais preocupadas com a audiência e não são os programas de qualidade que garantem isso.

    ResponderExcluir
  10. Siceramente não concordo em NADA com o que você escreveu.

    1o que a mídia, não tem dever de promover apenas a cultura, ela não tem fins filantrópicos. Caso não goste de programação basta trocar de canal ou desligar a TV.

    E depois que o grau de responsabilidade de uma família em MOMENTO ALGUM é medido pelo tempo em que passam a frente da TV.

    Em tempo, dizer que é contra a censura e no mesmo parágrafo escrever que programas deveriam ser impedidos de escrever, a mim soa como contradição.

    Em suma, cada um é responsável pelo que faz. Jogar a culpa toda na mídia, a mim, não passa de uma tentativa de passar a batata quente a alguém que não seja eu.

    ResponderExcluir
  11. E viva a Tv a Cabo!


    Acho que o comentário acima é válido, mas não é bem assim. A TV influencia sim os telespectadores, e muito. O que muitos canais deveriam fazer é seguir a máxima do homem aranha, "com um grande poder vem uma grande responsabilidade". As grandes massas tem poder, e a tv sabe disso, e usa isso como arma, pra alcançar seus objetivos.
    Também não acho que a responsabilidade de uma familia não pode ser medida pela quantidade de horas passadas em frente a tv, mas que ela influencia bastante em nossas vidas é vdd!

    parabéns pelo texto, bem escrito e polêmico!

    ResponderExcluir
  12. A TV forma, informa ou deforma?

    Vai depender do telespectador...

    bjosss

    ResponderExcluir
  13. a TV tem grande influência sim nos telespectadores, ainda mais quando se há prestígio em determinada emissora. Porém, penso que cabe a cada um discernir o que é melhor pra sí e sua família. Você tem toda a razão quando diz que nenhuma família vai tirar os filhos da frente da TV conforme for a faixa etária, até porque nos dias de hoje, crianças de 12 anos já se governam e respondem aos pais, mas isso vai da educação de cada um. A TV de um modo geral não pode er culpada pelos erros de pais perniciosos, que muitas vezes preferem programas sensacionalistas e vulgares à culturais. Porque o Canal Cultura e a Globo tem audiência tão diferente? E é culpa da Globo que coloca programas vulgares? Ora, as opções estão aí. É o mesmo que querer que cantores de Funk parem de produzir músicas polêmicas. Os cantores vão deixar de ganhar dinheiro e fama? É claro que não, cabe a cada um escolher o que prefere escutar. E é claro que nenhum filho vai viver numa redoma por muito tempo, pois que se não for pelos meios de comunicação, será pelos amigos que se manterá informado desse tipo de coisa. Mas vai de cada um - repito - saber o que é melhor. Convivi toda minha vida com fumantes, e não fumo. Assim como desprezo programas de fofoca e baixaria, mas sempre os assisti, mesmo quando criança. É preciso ter discernimento.

    ResponderExcluir
  14. Caro blogueiro revoltado e inspirado. Não posso deixar de citar que tu escreve muito bem e é extremamente realista. Só depois de ler seu texto começei a refletir um pouco mais sobre o assunto. É interessante e vc tem toda razão, mas infelizmente televisão.. tecnologia são coisas que o ser humano ja se acostumou a viver e não abre mão e com certezaaa vc não é um excluído do mundo que não liga a tv nem para assistir jornal, ou o último capítulo da novela das 8 ou malhação seja la o que for. Realmente alguns programas são apelativos, mas tb não acho certo criticar tanto o BBB pq se fosse algum parente seu la com certeza estaria torcendo e assistindo todos. Não que eu tenha tido algum parente la mas gosto de me imaginarno lugar pra depois criticar algo. Sobre a polícia e os bandidos vc está certíssimo, é mesmo um ''manual assistível'' para os sem caráter.

    Bom, no mais vc é totalmente realista e fala o que pensa, isso é ótimo.
    ta de parabéns.
    o blog ficou ótimo.
    bj

    ResponderExcluir
  15. Na boa, sem querer ser agressivo, mas talvez sendo, essa sua opinião é moralista ao extremo e não apenas isso, é batida também. Todo o dia vejo blogs falando essa mesma coisa. A TV não tem dever de nada. A TV é um eletrodoméstico de entretenimento. É assim desde o principio. Eu cresci assistindo TV, várias horas ao dia, e isso não me impedia de ler bons livros, pelo contrário, foi a TV que me incentivou, que me levou a conhecer os grandes escritores, os grandes filmes que depois eu ia procurar para ler e ver. Vc não pode culpar a janela pela paisagem. Eu não gosto da atual programação de tv, praticamente não vejo nada, nem mais a mtv eu vejo, contudo existem milhões de pessoas que gostam e eu não vou me colocar na posição de dono da verdade, O Sábio, O Culto, e ditar as pessoas o que elas devem ou não devem ver, o que elas devem ou não gostar. Se vc não gosta, faça como eu: não veja. Quem tem o dever de educar é a escola e os pais, a familia, não um eletrodoméstico.

    ResponderExcluir
  16. Rapaz, eu não gosto, na verdade eu odeio esses programas sensacionalistas. Mas por uma questão de estética e gosto, porém dai a dizer que eles são um manancial de ideías para bandidos é demais. Criminoso não precisa disso. Pelo contrário. A população assiste a esses programas porque - não obstante o fato de adorar ver a miséria do mundo cão - toma conhecimento das práticas de individuos malfazejos e reconhece, vez ou outra, aquele marginal que o assaltou, que a estuprou. Isso de que os programas revelam as táticas, os planejamentos da policia é balela. Os programas só informam aquilo que é do interesse da policia, servindo, às vezes, até mesmo como instrumento para desviar o foco do principal suspeito. Quanto a novas possibilidades de crimes, antes que estas cheguem a tv todos os bandidos já conhecem de cor e salteado. Se há influência da tv na violência? Quando Jack, o Estripador, Giles de Rais, Peter Kurten e outros homicidas famosos praticavam suas atrocidades a tv estava longe de ser inventada.

    ResponderExcluir
  17. Eu me preocupo muito com as crianças, com o que essa nova geração anda assistindo...As crianças de hoje são praticamente criadas pela televisão e não pelos pais!

    (www.pollyok2.zip.net)

    ResponderExcluir
  18. a tv aberta é bastante apelativa
    ela se aproveita de sexo, mulheres quase sem roupa e muitoas outras coisas mais pra pender a audiencia
    eu assisti tv, mas tem coisas que não tem como passar mais de 1 minuto com ela ligada

    ResponderExcluir
  19. Vi uma crítica sua sobre os comentários deixados por terceiros via divulgação na comunidade de blogs e vim aqui dar uma espiada e, conseqüentemente, meu pitaco.

    Discordo de ti como discordo de uma série de coisas. O argumento é sempre o mesmo: "Não acho correto, porém considero compreensível".

    Na política do jabá, é aquele negócio: pediu, levou. Quem desdenha, não vende. O apito é nosso, afinal. O que nos torna alienados é também a mídia, sim, porém a nossa principal deficiência vai muito além e tem ligação extrema com a política de nosso país. Somos um povo, infelizmente, carente de cultura e ética. E a mídia é o refletor-mor disso.

    ResponderExcluir
  20. Fala manim!

    Rapaz vc disse tudo...
    Hoje não assisto tv devido a essa banalização do politicamente incorreto e ausencia do essencial...

    Como sempre mandando bem mano.

    Forte abraço!

    http://20-e-poucos-anos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. eu trabalharei com isso, decididamente.
    Gostei do texto, Piter.
    Vocêescreve muito melhor que muito jornalista.

    ResponderExcluir
  22. Será q são textos dele mesmo??

    ResponderExcluir