quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Artificialidade! Superficialidade! Futilidade!


“Uma imagem vale mais do que mil palavras”. Faz sentido se lembrarmos que a aparência vale mais do que o cérebro.


De vez em sempre, quando abro a minha página no Orkut e checo as atualizações dos meus “amigos” simplesmente por curiosidade ou simplesmente para me irritar, vejo todas aquelas demonstrações de falsidade que virou febre ter. É claro que isso não se restringe somente ao Orkut, mas sim, na vida. O pior de tudo é quando a vida virtual baseada em artificialidades interfere na real.


Todo mundo ama todo mundo. Todo mundo diz que seus amigos são os melhores, que são para sempre. Todos condenam a falcidade (com C), mas agindo assim são realmente “falços” não somente com os outros, mas principalmente eles mesmos. São hipócritas, embora não saibam o que essa palavra signifique e muito menos como se escreve.


Dias desses, postei uma foto no meu álbum no Orkut com a seguinte legenda: “Falsinhos: porque todos nessa foto já provaram que são”. Alguns ficaram putos, lógico. “E a minha reputação no Orkut, como fica?” devem ter pensado nisso. Um deles contou a sua prima algumas coisas sobre mim que são reais, mas que eu nunca disse a ele. Talvez eu tenha sido radical demais com um deles que é rude demais para ser falso. Já os casal, que namoraram por meses, são os piores.


Ela tornou-se minha “amiga” apenas para colher informações sobre seu atual ex-namorado. Ela é a fútil típica do Orkut: vários amigos, várias fotos insinuantes, ama todo mundo para sempre atrás das grades da prisão que ela mesma construiu ao viver baseada em mentiras e imagens. No início desse ano, em meio uma discussão do casal, eles revelaram (como se eu não estivesse no quarto ouvindo), que o meu amigo havia se afastado de mim e dos outros seus amigos para ceder ao ciúme violento e dementemente passional dela. Foi como se ela tivesse dito na minha cara: sou falça!


Hoje os dois não namoram mais. Ele alega que estava cansado da possessividade dela, mas quando ela o chama para sair, ele abana o rabinho como um cão adestrado. Duvido que ela ame alguém. Duvido que ela mesma se ame. Já em relação a ele, fico puto sempre que me lembro que ele preferiu jogar uma amizade de anos no lixo por causa de uma idiota. Quando eles namoravam, mal nos falávamos. Assim que ele terminou com ela, veio tentar se redimir. Não sei se um dia conseguirei sinceramente perdoa-lo. Não tive um amigo quando precisei ao contrário dele.


Deixando a minha indignação pessoal de lado, acho que o amor verdadeiro é uma falsa ilusão. Ouamor verdadeiro mesmo talvez seja apenas o de mãe. É estranho quando refletimos sobre pessoas que se amavam, que se davam tão bem, e que depois do fim de um relacionamento passem a se odiar mutuamente. Será que um dia esse amor foi verdadeiro? Ou foi apenas uma simples auto-ilusão?


As pessoas estão mais e mais superficiais. Qual é o principal motivo de as pessoas freqüentarem academias de ginástica? Para manter a saúde? Não necessariamente, mas sim por causa da estética. Querem ficar com corpos sedutores apenas para “catar na night”! E é apenas catar! Na maioria das vezes, o sujeito não tem cérebro, mas essa falta é maquiada com músculos.


Às vezes acho que namorar ou casar é algo que as pessoas impõem à elas mesmas. “Todo mundo namora na minha idade”, é o pensamento. Seria como se elas mesmas se pressionassem a namorar porque estão envelhecendo e precisam seguir as regras da sociedade para entrarem no padrão.


É moda usar roupas caras de tal marca. É moda ouvir psy, eletro, hip-hop. É moda ter o corpo definido. É moda ter Orkut, publicar fotos dos amores eternos na balada passada. A moda é pegar, provar-se para os outros. Pobres coitados, tenho pena deles! Eles não têm a maturidade de entender que assinaram um contrato com rótulos pré-estabelecidos. Rótulos que prenderam em suas mãos algemas sem chaves.

5 comentários:

  1. Concordo em parte com você. Hoje realmente a futilidade das pessoas alcançou um nível impressionante e diria até preocupante, pois isso torna o mundo um pouco pior do que já é. Mas o amor verdadeiro existe e quando temos a felicidade de encontrá-lo, tudo no mundo fica mais suportável.

    ResponderExcluir
  2. É realmente preocupante que tenhamos de tal modo absorvido a lógica de consumo e mercado que falemos de nós mesmos como se faz marketing e que sejamos capazes de consumir nossar relações. Mas também não acho que dá para julgar tudo. Não quero o casamento para minha vida, mas conheço gente com um casamento feliz de 30 anos. É o inferno quando não há diálogo, quando a pessoa casa para não estar sozinha, mas é o paraíso quando dá certo. Eu vou na academia todo dia, e não tem nada a ver com estética: foi o jeito que encontrei para não voltar a fumar... E me faz muito bem. Estou fazendo atualmente uma pesquisa sobre os relacionamentos no Orkut, e o perfil na verdade acaba funcionando como uma personagem, as relações seguem uma lógica de marketing absurda... Mas isso depende também de como encaramos e refletimos sobre o mundo, e é bom não generalizar. Por último, uma sugestão de leitura: Amor liquido - sobre a fragilidade dos laços humanos, do sociólogo polonês Zygmar Bauman, fala das relações no mundo pós moderno e clareia bastante certas questões...

    ResponderExcluir
  3. O amor é um sentimento egoísta, poucas pessoas estão realmente dispostas a se sacrificar pelo outro por causa de uma paixão. Muitas pessoas só "amam" porque isso faz bem a elas próprias... Muito coisa do que você escreveu, eu concordo cegamente...

    Também pude observar que você é bem aberto e descarado... Essa é uma qualidade que eu admiro, mas que pode tornar a convivência em sociedade um pouco difícil... hehe... Sempre é bom ser um pouco hipócrita e diplomático.

    http://almabebada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. heheh em por falar em coisas a serem feitas só pq tá na moda...eu muita das vezes sou criticada em relação ao meu gosto musical (músicas antigas) e uma das frases q mais escuto é :"-Ai, q breguice, vc escuta música VELHA, música q já caiu da moda...aff!"..aí eu me pergunto: Será q então eles escutam as músicas de hj em dia (oq, na maioria é lixo) só pq tá na moda???...meninas da minha idade q se espantar qndo descobrem q eu não saio por aí, beijando todos os "gatinhos", será q elas fazem isso pq tá na moda? ou pq elas devem essa obrigação a essa sociedade estúpida???..homens q se negam a usar maquiagem, alegando q isso "é coisa de mulher"...será q se eles passassem um batom automaticamente perderiam sua masculinidade???
    Ora, onde estamos??? até qndo vamos ter q aguentar esses tipos de babaquices?...pessoas q se vestem de tal modod pq tá na moda, escutam tal música pq tá na moda, fazem isso ou aquilo pq todos fazem... qnta hipocrisia, qnta babaquice!!! Ainda bem q eu tenho meu mundinho rsrsrs. Sei q 'perdi a oportunidade de fazer "amizades"" pq na rua tenho uma cara séria, não saio sorrindo por aí como se estivesse num comercial de creme dental, mas eu pergunto..será q as amizades dessas pessoas se resumen a um sorriso??? será q quem não sai por aí exibindo seus dentes, não merecem uma chance???..será q não mostrar os dentes significa falsidade ou algo q impeça uma pessoa ser digna de amizade???..e aqueles carinhas q colecionam amiga bonitas, mesmo q não fiquem com elas ? Gente, qnta babaquice...aff!!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir