domingo, 26 de agosto de 2007

A voz do povo


A voz do povo realmente é a voz de Deus? O povo sabe tomar atitudes inteligentes e de maneira sensata? Sempre que a maioria gosta de alguma coisa ela é realmente boa?


Teoricamente, sempre que alguma coisa faz parte da maioria ela é julgada como boa. Será mesmo? Bom, eu acho que não e que a voz do povo não é a voz de Deus. Aliás, é muita falta de respeito a Deus dizendo que a voz do povo é a voz Dele. Há várias situações em que eu acredito que a maioria esteja errada. Vou tomar como exemplo o povo (a maioria) brasileiro.


O povo brasileiro já não se interessa por política, o que é um erro e a maior causa do país ser a bagunça que é. Se ele tivesse a cultura de saber como está o cenário político, saber exigir melhorias do político que ajudou a eleger e se soubesse cobrar assim como os argentinos e venezuelanos cobram, certamente nossa vida seria melhor. A corrupção no Brasil é aceita! Isso é um erro gravíssimo. Quando alguém questiona a um militante do PT sobre o mensalão, ele logo se defende dizendo que no governo FHC os políticos roubavam bem mais, ou seja, se a corrupção sempre existiu, porque deveríamos dar um basta nela justamente no governo Lula, cujo presidente foi eleito pelo povo (maioria)? A corrupção não deve ser aceita em hipótese alguma e não importa se ela sempre existiu. O dinheiro da corrupção vem dos impostos que deveria ser usado em melhorias na saúde, educação, segurança...


Já acho errado que a maioria seja obrigada a votar. É hipocrisia dizer que somos livres para ir e vir se somos obrigados a IR votar. Na verdade, não é bem uma obrigação, e sim uma chantagem: ou você vota, ou perde alguns direitos legais. Então se a maioria não fosse obrigada a votar, ela deixaria a responsabilidade do voto para uma minoria de pessoas que votaria consciente (isso se essa minoria fosse maioria em relação aos militantes dos partidos políticos, que só pensam nos seus próprios interesses). Assim, não correríamos o risco de ver um Collor da vida sendo eleito novamente.


Porém, acho que a maioria usou o cérebro ao ter votado “não” no referendo sobre a proibição do uso de armas de fogo e munição no Brasil em 2005. Sabendo que o tráfico de armas, assim como o de drogas acontece, o cidadão comum se sentiria ainda mais inseguro sabendo que um criminoso saberia que ele não estaria portando arma de fogo para se defender. O mal deve ser cortado pela raiz do problema e não através de medidas paliativas estúpidas e inconscientes como ao votar no “sim”.


Outro motivo de eu não concordar que a maioria sempre tenha razão é pelos gostos populares dos brasileiros. Como ele é maria-vai-com-as-outras e não tem opinião própria, ele segue a ditadura da maioria, que geralmente é imposta pela mídia. Se a moda é ouvir Ivete Sangalo porque toca na novela das “oito”, a maioria vai ouvir e sentir a necessidade de gostar. Muitas vezes acontece de as pessoas aderirem ao gosto popular porque a maioria gosta, e elas não querem fazer parte da minoria que não gosta para não se sentirem deslocadas. São os típicos escravos da moda. Se a moda é adotar o “Carpe Diem” como filosofia de vida, seguir uma filosofia de vida da Fergie (ser burra e gostosa, porém autoconfiante e coisas assim), a maioria irá seguir essas modas somente porque é o gosto da maioria.


O show do “Criança Esperança” conta somente com aqueles “artistas” que fazem sucesso no submundo. É claro que não vou citar nomes para não denegrir a imagem do meu blog ou aumentar o número de leitores que vão sentir a necessidade de lavarem os olhos com álcool para purificá-los, procurar um psicólogo para não entrarem em depressão, precisar se submeter à hipnose para esquecer o que leram, etc. Vocês sabem de que tipo de artistas estou falando. A maioria deles não são bons e fazem um sucesso de gosto duvidoso.


A maioria das pessoas não cuida da própria vida, não tem respeito pelos outros, valores e o mínimo de moral. É o tipo de gente que assiste e julga os participantes do Big Brother Brasil como se eles não fossem humanos, mas que glorifica os participantes mais inescrupulosos. Fiquei sabendo até que a mais diabólica de todos, apesar da falta de estudo e competência, tornou-se apresentadora de um programa que visa denegrir a imagem dos “famosos” em uma emissora reconhecida nacionalmente pelo seu baixo nível.


A maioria não tem cultura, não tem educação, tem um gosto duvidoso e não sabe usar o cérebro para fazer alguma coisa construtiva. Então, tenha opinião própria, tenha argumentos válidos, tenha segurança do que fala, questione-se se a maioria está certa mesmo e se ela é a voz de Deus. Se fizer parte de uma minoria, não compartilhe das coisas boas com a maioria para que esta não caia no ridículo. O bom gosto, a sensatez e a inteligência racional devem ser preservados.

8 comentários:

  1. poxa... revoltado esse post hein?! rsrsrs Sabe, esse é um assunto delicado. Nem sempre a maioria escolhe bem, é um facto. Mas então qual a solução? Vamos escolher quem pode e quem não pode escolher? E quem escolhe quem pode escolher? Muita retórica, eu sei! Quanto à cultura de massas, concordo plenamente! Gostei do post! Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Brasileiro não tem opinião mesmo, isso é mais que histórico. E a política se beneficia disso, e mantém o povo burro, votando nos mesmos, coisa assim.

    ResponderExcluir
  3. Você tem razão em muitos pontos, esse negócio de votar consciente é bem verdade. Eu tenho a consciência tranquila, pois que não votei no Lula na ultima eleição, e a governadora daqui do RS, pra qual eu dei meu voto, tem feito grandes melhorias ao meu ver.

    O povo é mesmo desgraçado! São uns sem-opinião, fazem o q dizem pra eles fazerem, acho isso o fim, e fico indignado. É hipocrisia dizer que a voz do povo é a voz de Deus, pelo menos eu sempre fui contra a maioria XD

    Bom, achei maneiro teu post! fazia mó tempo q eu não vinha aqui

    abração!

    ResponderExcluir
  4. Ae fiz questão de comentar quando vi q era o seu, tava indo dormir, mas ja fazia um tempo q eu não vinha aqui...hehe

    Cara, quanta informação, to até confuso. Mas realmente a voz do povo é a voz de Deus... mesmo nem sempre corretamente, é a massa popular responsável pelas drogas na TV; pelos politicos corruptos, entre outras coisas. Conscientização é oq falta. Bom, é isso. abração e adorei o texto!!

    ResponderExcluir
  5. Te entendo, é duro saber q essas coisas acontecem (e não é de hoje). Por isso que eu defendo a bandeira de uma educação de qualidade, por lá sim se formará verdadeiros brasileiros com opinião em todos os sentidos. Enquanto isso, o jeito é ir aguentando... o importante é , pelo menos, fazer a nossa parte.

    Gostei do seu blog.
    Abraços!!!

    -----------------------------------
    http://emlinhas.blogspot.com/

    EM LINHAS...
    Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.

    Novo texto: Entre Asfalto e Paredes
    -----------------------------------

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvida seria muito bonito se a voz do povo fosse a voz de Deus...Mas nem sempre dá pra acreditar... Não que eu saiba o que Deus quer dizer agora...é que as pessoas às vezes são tão tolas...bem, mas quando a coisa é boa relmente é irresistível...temos mesmo que dizer: "A voz do povo é a voz de Deus"....hehehehe
    (www.pollyok2.zip.net)

    ResponderExcluir
  7. concordo na gde maioria das coisas... mas tem um pouco de radicalismo.
    um abraço

    ResponderExcluir
  8. Descobri que você vai ser o personagem do meu livro. Ele falará de um rapaz que, no final da história, em uma epifania de correr lágrimas, descobre que o povo, que ele antes via de uma forma negativa e crítica, sempre foi e sempre será a voz de Deus. Sim, eles sempre, sempre estiveram ali, pacientes para que você visse a verdade óbvia de que você também gosta, irremediavelmente, de Ivete.

    ResponderExcluir