quinta-feira, 5 de julho de 2007

Futuro incerto


O modo que as crianças encaram a vida vem mudando ao longo dos anos. Os tempos mudam e as pessoas também. É o progresso. Ou o regresso?


“As crianças são o futuro do Brasil”. Essa frase é uma daquelas frases que muita gente entende apenas literalmente, ou que a usa demagogicamente sendo que o mais importante é o seu real significado. O futuro do Brasil, do mundo, ou simplesmente da sua família está nas mãos de suas crianças, pois quando estivermos velhos e dependentes, as crianças já terão se tornado adultos e estarão no poder, ou seja, é importante que elas sejam muito bem educadas e estejam aptas para tomarem decisões importantes.


O que vejo hoje em dia é uma total marginalização das crianças. Essa marginalização já é o espelho da vida que seus pais levam. Está se tornando cada vez mais comum os casos de adolescentes grávidas. Isso vem acontecendo porque elas parecem não terem pais responsáveis que souberam conquistar (e muito menos, impor) o seu respeito. Então, os jovens estão se tornando cada vez mais irresponsáveis, não compreendendo o quão complexo é criar uma criança.


Em um dia qualquer e em um momento qualquer, a garota revela para a mãe que está grávida. A mãe enlouquece, é claro. Não que ela possa estar preocupada com o fato de que a filha terá um filho, mas e sim com o fato de que ela própria praticamente terá um novo filho, já que a filha é menor de 18 anos e deve ficar sob a tutela dos pais. A filha acha que a mãe está exagerando e tenta explicar que ela e o namorado dela darão conta de tudo numa boa. É óbvio que a mãe não se convence nenhum pouco, já que ela mesma já passou pela mesma experiência.


A criança nasce, mas a mãe dela não está nem aí, nem lá, nem em lugar nenhum. A irresponsável saiu para a balada enquanto a mãe dela está cuidando de seu filho. E quando a avó da criança grita com a própria filha que chora por ter sido abandonada pelo namorado, a criança vai sendo deixada de lado. Sua mãe não lhe dá atenção, carinho, não o educa, não participa da vida dele. E essa criança vai crescendo sem preocupações e responsabilidades. Alguns acabam virando criminosos, como eu escrevi no post O Berço do Mal.


O caso das crianças marginalizadas não se resume somente ao caso de filhos de mães adolescentes. O que vejo nos dias de hoje é um completo abandono afetivo dos pais pelos filhos. Os pais de hoje vem criando seus filhos por criar, dando a eles somente o necessário para que eles se sustentem. Quantas pessoas vocês conhecem que tem uma boa relação com os pais assim como aquelas famílias perfeitas da “Malhação”, cujos pais estão sempre dando apoio aos filhos, estimulando-os, dando-lhes broncas quando necessário, participando em todos os campos da vida dos filhos? Provavelmente você deve conhecer poucas famílias assim.


Quando pensamos sobre a nossa infância e comparamos com as das crianças de hoje, certamente concluímos que quando éramos pequenos, existia mais moral no que assistíamos na televisão. Na escola, a educação era melhor e os alunos respeitavam os professores. Éramos mais engajados nos estudos, tínhamos mais força de vontade para tudo. Nossos pais eram mais firmes conosco, cobrando respeito e resultados. Escolhíamos nossos amigos com mais cuidado. Tínhamos mais responsabilidades e corríamos mais atrás dos nossos objetivos. Respeitávamos mais aos nossos pais, amigos, professores e as coisas ao nosso redor. E as crianças de hoje?


As crianças dos dias de hoje não vem recebendo uma boa educação dos pais, vem se relacionando com pessoas de mau caráter, estão expostas à futilidade e à inutilidade da mídia, não valorizam e nem respeitam ninguém, nem a eles mesmos. E isso se refletirá no futuro. Quando eles forem adultos e tiverem que enfrentar as responsabilidades de uma vida adulta, eles falharão e as coisas se tornarão piores, já que eles não foram bem-educados para terem responsabilidades.


Está cada vez mais temível falar que essas crianças são o futuro do Brasil. Certamente não queremos que as coisas piorem e que precisemos mudar o lema de nossa bandeira de “Ordem e Progresso” para “Desordem e Regresso”.

4 comentários:

  1. É, as crianças são o futuro do Brasil. E vc sabe o quanto o país esta investindo nesse futuro... ;-/

    ResponderExcluir
  2. pobre futuro, pobres crianças.....
    é por isso que hoje não tenho vontade de ter filhos.....


    (www.pollyok2.zip.net)

    ResponderExcluir
  3. Vc tem um apelo literário muito bom, seus textos são realmete nota 10!!

    Qto as crianças... já não se fazem crianças como antigamente.

    Qto ao futurao... misterioso...

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Se o futuro que será criado por essas crianças já é temível, imagine o futuro dos filhos dessas crianças?
    Se as atuais crianças foram, segundo o Peterson, criadas de forma errada, pense nos filhos dessas crianças, que vão ser criados por adultos sem noções básicas de educação?
    É, como o Peterson já disse, cada vez dá mais medo falar que elas são o nosso futuro.

    ResponderExcluir