domingo, 15 de abril de 2007

Que comece o julgamento!


É muito fácil e simples julgar alguém. Só de bater os olhos numa pessoa, você já começa a pensar várias coisas sobre ela sem ao menos conhecê-la.


Uma pessoa torna-se preconceituosa muito cedo, já na infância. Como ainda são muito novas, as crianças não tem capacidade de raciocinarem sozinhas. Elas ainda não têm noção do que é o certo e errado. Então, os adultos põem um monte de minhocas na cabeça delas, fazendo piadinhas preconceituosas e, querendo ou não, incentivando seus filhos a serem preconceituosos. As crianças acabam sendo preconceituosas não por vontade própria, mas porque seus pais colocaram essa idéia na cabeça delas e elas acreditam que isso seja o correto. Com o passar dos anos, dependendo da maturidade de cada um, essas crianças começam a rever essa questão do preconceito. As mais inteligentes deixam de ser preconceituosas, e as mais fracas, continuam com seus preconceitos.


No Brasil e no mundo, há muita gente preconceituosa. Essa idéia do preconceito passa de geração para geração, como eu falei acima e ainda impera. Muitas pessoas não deixam de ser preconceituosas justamente porque a maioria das pessoas é preconceituosa. Ela crê que, se a maioria das pessoas pensa assim, é porque elas estão certas. Ou então, a pessoa deixa de ser preconceituosa, mas continua agindo como tal por medo de um conflito com alguém preconceituoso.


O preconceito está ligado a alguns estereótipos. O negro é taxado de pobre, favelado e ladrão. O homossexual como uma pessoa querendo ser o sexo oposto. E o pobre como uma pessoa sem cultura e, por não ter muito estudo, muito fácil de manipular. Há pessoas que são rejeitadas pelo o que possuem, deixam de possuir, ser o que são, ser o que não são, fazem ou deixam de fazer.


Há também os preconceitos que nascem de acordo com o que a pessoa veste, o seu modo de viver e o que ela faz da vida. Os roqueiros são taxados de drogados (em especial quem gosta de um som mais pesado). Hippies são taxados de desocupados. O preconceito não se reúne apenas às pessoas, mas também a alguns tipos de festas como a rave, onde se pensa que a droga rola solta, e os bailes funk, onde ninguém é de ninguém, e outras coisas inanimadas.


Há pessoas que são rejeitadas pelo o que possuem, deixam de possuir, ser o que são, ser o que não são, fazem ou deixam de fazer. Para dar alguns exemplos, pobres ou mulheres podem ser rejeitados de alguns empregos somente por serem o que são. Pessoas muito novas ou muito velhas também podem ser taxadas de incapazes por isso. Pessoas que sofrem de AIDS, que tem outra religião ou filosofia de vida, portadoras de deficiência física são outro conjunto de pessoas que sofrem preconceito.


Alguns casos de violência já ocorreram e ainda ocorrem por preconceito. Quantas pessoas já não foram espancadas ou até mesmo mortas por nazistas, neonazistas e fascistas? Eles perseguem os negros, os homossexuais e os judeus. O motivo desse ódio não tem fundamento nenhum. O filme “A outra história americana” fala sobre neonazismo e preconceitos, além de passar várias mensagens como a de que o ódio não torna a vida de ninguém melhor e de que as pessoas que rejeitamos podem ser as únicas que nos estendam a mão quando realmente precisarmos.


A frase que ficou famosa nesse último Big Brother Brasil foi: “Prego que se destaca merece martelada”. O apresentador Pedro Bial disse numa entrevista ao site do BBB que odiou essa frase: "Queria aproveitar a oportunidade para dizer que detesto esta expressão. Vamos estudar um pouquinho de História, rapaziada. Esta é uma frase tipicamente fascista, de quem não aceita a diferença. E esse é o maior problema do mundo de hoje", avaliou.


Por esses motivos, o racismo, preconceito e afins não passam de uma idiotice. É necessário conhecer as pessoas a fundo antes de tirar qualquer conclusão. Tente conhecer sua história, seus valores e seu lado humano para não agir de maneira preconceituosa e para fazer o que é justo. Depois disso, você poderá saber se a pessoa que você conheceu presta ou não. Já conheci muita gente que eu não gostava por não conhecer muito bem. Depois de conhecê-las melhor, percebi que eu havia sido idiota e de que essas pessoas não eram aquilo o que eu pensava. Eu estava errado. Às vezes você deixa de conhecer muita gente interessante e de fazer amigos por preconceito.

12 comentários:

  1. Com certeza, e esse é o grande mal de nosso século...Existe uma série de documentáriosd brasieleiros mto bons, vê se vc dá uma olhadinha neles...." A margem da Imagem", " A margem do COncreto", "A Margem do lixo"
    T+
    Francine (orkut)
    http://franemanu.zip.net

    ResponderExcluir
  2. legal. Tens total razão

    a pressão social é muito boa mesmo, se um não gosta ou outros todos tb não. É dificil pra mim entender pq ninguém quer ser diferente, ninguém quer fazer parte da minoria.

    legal teu post! vlw, abs.

    ResponderExcluir
  3. http://eduardogodan.blogspot.com/ SEM JUSTIÇA ,NÃO HAVERÁ PAZ.

    ResponderExcluir
  4. Concordo. Sem conhecer os valores e o comportamento das pessoas não dá para avaliá-las e ter uma opinião sobre ela.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  5. Vou fazer um post no meu blog sobre o preconceito, posso roubar seu título e dar os créditos? Achei uns pontos que você disse dos quais eu discordo e penso que é melhor fazer um post lá do que explicar mais ou menos aqui. Passa lá depois.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Parabens pelo post. realmente soube ser bem enfático num assunto tão comum e que realmente ainda é o mal do século. O preconceito esta em toda parte, é só vermos em volta que encontraremos preconceito. Muita gente fala que hoje em dia são raros os casos de preconceitos, mas será? Bom, acho que não. É só vermos as novelas, os programas humoristicos, o mercado de trabalho e etc. É uma situação triste e que acho que vai demorar para se mudar. Querendo ou não, atitudes preconceituosas, fazem parte do ego da população mundial. Vc citou o excelente filme "A outra história americana",mas ainda acho que "Crash" se sai melhor em querer passar a mensagem. Fico ingignado quendo ouço falar de preconceito. É triste, é banal, é rídiculo. Vc foi extremamente feliz em retratar isto de uma forma bem clara. Párabens!!!!

    ResponderExcluir
  7. Grande post !! referencia para todos.. Comcordo com você !

    ResponderExcluir
  8. Cara, como vc mesmo disse, é questão de criação. Se a pessoa cresce nesse mundo, com o preconceito ao seu redor, ela será uma pessoa preconceituosa, pelo menos até certo período, quando passa a tomar conhecimento do mundo, mas no geral, a maioria continua preconceituosa.
    Muitas vezes já vi alguns olhares na minha direção na faculdade, que é particular, e meu estilo é um pouco "alternativo" para os padrões de lá.

    Aconte, infelizmente.

    ResponderExcluir
  9. Ótimo post!!! É lamentável deixar-se guiar por aparências. E por preconceitos, estereótipos...Tenho amigos MTO diferentes de mim. Se fôssemos "brigar" por questões filosóficas ou religiosas, nossa amizade terminaria na hora. No entanto, aprendemos muito com nossas diferenças. E é isso q é legal! E as pessoas são muito mais do que algumas partes suas que conseguimos "ver" em determinados momentos. Não é à toa que muitas que são subestimadas ou superestimadas surpreendem...

    Bjos

    ResponderExcluir
  10. cara... preconceito é umas das piores características que o homem possui. Infelizmente boa parte das pessoas não tem uma elevação moral o suficiente para se desprender disso!

    ResponderExcluir
  11. faço das suas palavras as minhas.
    belo post.

    ResponderExcluir
  12. É impressão minha, ou você terminou de escrever este post, se lembrou das meninas do orkut e, tomado de um sentimento, escreveu um post sobre elas?

    hohohoho

    ResponderExcluir