quinta-feira, 26 de abril de 2007

A Idade da Razão


Crescer é natural e, conseqüentemente, amadurecer também. É algo que vem com o passar do tempo. As pessoas mudam. Idéias também.


Amadurecer é um processo complicado. Primeiro, as pessoas amadurecem fisicamente, durante o período da puberdade, quando deixamos de ser crianças e passamos a ser adolescentes. Depois, vem o amadurecimento mental, quando passamos a ser pessoas sérias e responsáveis.


Repare que você sempre acreditou estar no auge da sua sabedoria. Quando você era criança, achava que sua mãe tinha a obrigação de comprar aquele monte de doces atraentes do supermercado. Mesmo que ela falasse uma, duas, dez, vinte vezes “Lucas Miguel, PÁRA!”, você continuava enchendo o carrinho de guloseimas e fazia o berreiro quando ela não passava aquela montanha de doces no caixa. Naquele momento, você achava que tinha razão para ficar puto e que sua mãe estava mortalmente errada.


A adolescência é marcada pela rebeldia. Nessa fase, o adolescente passa a ganhar novas responsabilidades. É tratado como criança quando seus pais dizem “você não é responsável o suficiente para dirigir”, e também tratado como adulto quando o assunto é capinar o quintal, pagar as contas e a fazer um monte de coisas que ele julga desagradáveis. Nessa idade você também acha que sempre está certo e seus pais sempre estão errados. Mas o mais irônico de tudo é que, quando você tem os seus próprios filhos, age da mesma maneira que seus pais agiam com você (ou até pior).


Quando você é adulto, tem grandes responsabilidades como contas, impostos, casa e família. Nessa idade você também pode ser preso, então já não é mais prudente sair esbofeteando qualquer pessoa ou cometer atos ilícitos que na sua infância e adolescência eram perfeitamente normais.


Com o passar dos anos, você sempre acha que está no auge da sua sabedoria. Sempre acha que está na idade da razão. Ao pensar nos seus atos de alguns meses ou anos atrás, você conclui sobre você mesmo: eu era tão burrinho naquela época... Hoje você pensa que era idiota antes o que você fazia, mas quando tinha aquela idade, achava que aquilo era o certo. E o mesmo acontecerá daqui a alguns anos: você verá que suas idéias hoje são meio bestas em relação as suas futuras idéias.


Há algo de irônico nisso tudo. O que você pensa em relação aos idosos? Você pensa que a vida que eles levam é chata, ou ainda, trata os velhos como se todos fossem caducos, mas você não pensa que quando você envelhecer, poderá ser assim. Quando você envelhecer, ainda sentirá que está com a idade da razão. E aliás: qual idade é o ápice da razão? Sim, porque um dia você vai ficar realmente caduco.


Você pode até gostar do que fazia no passado sem achar tudo besteira, mas se você pudesse ter de volta a vida que tinha no passado, você gostaria de reviver? Muita gente responderia que não. Seria viver de sonhos. E como o Professor Dumbledore disse a Harry: “Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver, lembre-se”. *Harry Potter e a Pedra Filosofal (pág. 185), Rocco, 2000.


O mesmo acontece com a sociedade. O modo de vida dos anos 1920 não é o mesmo de hoje. A mulher, por exemplo, vivia a serviço do lar e para o lar. As mulheres independentes dessa época, que trabalhavam, era mal-vistas por todos e vítima de fofocas e difamações. Com o passar das décadas, as roupas foram diminuindo, tornando-se mais sensuais, deixando se ser moralista, tabus foram caindo... O que a sociedade dos anos 1920 pensaria sobre a sociedade dos anos 2000? Que é uma sociedade amoral. E o que pensamos sobre a sociedade dos anos 1920? Que são puritanos demais. O mundo dá voltas.


O nosso pensamento e da sociedade evolui. Hoje há uma maior conscientização sobre os problemas ambientais e há maior aceitação da diferença. Houve sempre pessoas que estiveram além de seu tempo e sempre houve pessoas que são mentalmente atrasadas (exemplo: o Papa Bento XVI). O que achamos absurdo hoje, poderá ser perfeitamente normal e aceitável amanhã. Mas ninguém quer ver o progresso do que julgamos ser o errado. Estaremos sempre na Idade da Razão.

14 comentários:

  1. andre augusto26/4/07 6:34 PM

    Belo blog..parabéns

    ResponderExcluir
  2. O que dizer...
    Consciência é atemporal. Quanto mais você vive, mais você pensa em viver, se você está com 100 anos, gostaria de viver mais... talvez isso seja por não ter feito nada de interessante na vida.

    Hoje vi um filme - Tenha Fé -, e uma frase me fez refletir sobre o que eu quero da vida. A frase em questão:

    "Estava tão feliz que poderia morrer naquela hora"

    Poxa, será que precisamos ser ricos, intelectuais, sábios para podermos morrer? Acredito que não.

    Só sei que "Tudo que sei é que nada sei".

    Abraços
    Ótimo post! Parabéns!

    PS: Obrigado pelo comentário no Chapter One, mas só pra você entender melhor, a história começa no Prólogo. ;)

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto em primeiro lugar, concordo em tudo com vc, principalmente com a parte final, o q hj é certo para nos, pode ser errado amanha, por isso acho q o jeito q julgamos as coisas é errado, estamos muito longe de uma mente aberta sem preconceito e aceitando as mudancas do mundo

    ResponderExcluir
  4. muito bom tudo que voce escreveu, realmente parabens, mas deixa eu só fazer um comentario sobre uma passagem: "Hoje há uma maior conscientização sobre os problemas ambientais e há maior aceitação da diferença.". Sim, há sim, mas deve ser porque ontem não haviam tantos problemas ambientais mas as diferenças sempre estavam presentes e sempre vão estar, mesmo com a aceitação, quem aceita, 90% só fala da boca para fora.

    ResponderExcluir
  5. hummm dificil dizer o que é certo ou não, vc não acha?

    ResponderExcluir
  6. Tá de parabens mesmo, texto 10! Falar outra coisa é chover no molhado meu amigo.

    Gostei mesmo.

    Abração

    ResponderExcluir
  7. Só achei engraçado que você disse que tudo é relativo, o que é moral e amoral pra um é uma coisa é pra outra, mas no fim classifica o Papa Bento XVI como mentalmente atrasado de forma padronizada.
    A conclusão do texto é contraditória com o seu desenvolvimento. No mais, um texto interessante.

    ResponderExcluir
  8. Olha, amei seu post... Mas confesso que a foto de GILMORE GIRLS distraiu minha leitura rsrsrsr
    Sou muito viciada na série...

    (www.pollyok2.zip.net)

    ResponderExcluir
  9. Bom texto, não pretendo comentar aqui com o que eu concordo ou não, teria algo para comentar sobre cada uma das afirmações, mas sobre a maioria delas seria apenas um "concordo".

    "E aliás: qual idade é o ápice da razão? Sim, porque um dia você vai ficar realmente caduco."
    Não pretendo ficar caduco não...

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Texto Muuuuito bom! Parabéns, a vida é bem assim msm... Mas é isso que deixa ela interessante!

    ResponderExcluir
  11. Amadurecer é sempre bom, as vezes dói um pouco, mas é inevitável.

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito, vou adicionar na minha lista de links do meu blog, o post sobre música é excelente.

    www.bem-bolado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ótimo post!

    Já me achei no "ápice da sabedoria", mas percebi com meus erros que sempre estarei aprendendo...e que ápice mesmo, não existirá... A idéia é que a gente vá aprendendo cada vez mais ao longo dos anos...sem acreditar que já se sabe tudo...

    Bjos

    PS: Adorei a frase: "Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver, lembre-se”". Bem colocada!

    ResponderExcluir