segunda-feira, 10 de julho de 2006

Festas e vômitos


Fotos, amendoins, amor retraído, jogos, parquinho, sorvete, prêmios e muitos vômitos. Um post dividido em três capítulos sobre a Festa Junina do Maria Teresa e da AVPL.

Capítulo I – A Festa do Maria Teresa


Ela aconteceu dia 08 de julho de 2006. Depois de sair do Imperatriz, passei na casa do Robisson e deixei lá os convites dele, da Fram e do Jardel para a AVPL. Depois, fui pra casa, tomei banho e encontrei ele e o Cleber no caminho. Passamos na casa da Fram e fomos para a Festa. No caminho, a Fram se juntou as suas primas Lu e Gabi. O Cleber se interessou pela Gabi. O bom é que dessa vez ninguém me pressionou pra ficar com ninguém sem vontade. O Maria Teresa tem como diretor o Seu Vilson, pai da Fram, que liberou a entrada minha e do Robisson, já que era uma festa só pra alunos do Maria e nós dois não estudamos mais.

O estilo da escola é muito parecido com o da EEB Vicente Silveira, onde estudei o Ensino Fundamental. Ficamos sentados em uma mesa no fundo da escola. Lá compramos refrigerante e comemos amendoim. Quando o Cleber sacou a câmera fotográfica, e tirou sem intenção uma foto onde aparecia a Gabi, ela teve um troço e implorava para que a foto fosse deletada. O mesmo acontecia com a Lu.

Saímos de lá de trás e ficamos no pátio entre as salas perto do que eu acredito ser a caixa d’água. A Fram começou a empurrar o entusiamado Cleber para ficar com a Gabi, mas ela cortava ele. Os dois sempre iam pegar amendoim juntos. Ficamos jogando conversa fora e lá pelas seis ou sete horas saímos do Maria.

Ficamos na frente da casa da Gabi. O Cleber ficou chateado quando a Gabi disse que pedia pizza só para ver o “bonitinho do entregador”.

No final, voltamos para a casa e o Cleber ficou puto por não ter pedido para ficar com a Gabi, que mesmo recusando o Cleber, dava a entender de que queria ficar com ele sim, mas que por timidez, não ficou.

Capítulo II – A Festa da AVPL

A AVPL é um clube entre os colaboradores do Supermercados Imperatriz. A cada ano, acontece uma festa lá. Nessa que ocorreu dia 09 de junho foram reunidas as lojas 01, 02, 03, 06, 11, 12, 13, 15, 17 e 18.

Não foi fácil reunir o pessoal para ir junto comigo. Ao saber que a entrada sairia R$ 30,00 para os convidados, Jardel teve um troço e se recusou a ir. Depois, foi a minha hora de ter um troço, já que eu me revoltei porque mesmo não querendo, eu vou junto com ele e o Robisson nas festas que eles querem ir. No final, Jardel, Robisson e Fram toparam ir mesmo pressionados.

Acordei às 06.40h. Tomei banho, comi um pão e passei na casa do Robisson. De lá, fomos na casa da Fram e nos dirigimos até o ponto de ônibus, que chegou lá pelas 09.15h. Ao chegar na AVPL, encontramos o Thiago (repositor da noite que foi apadrinhado por mim) e ficamos dentro do pavilhão. Jogamos pôquer, truco e dominó bebendo cerveja, refrigerante e comendo paçoca (mais amendoim!). O Thiago teve que ir embora mais cedo e nessa hora começou a vir mais gente.

Mesmo sem ter trazido os talheres, a Fram pôde comer sem usar as mãos. Almoçamos perto do playground. Ficamos por lá e brincamos no parquinho, em especial, eu e o Jardel, já que o Robisson e Fram ficaram namorando.

Ficamos lá atrás por um bom tempo. Só saíamos de lá para beber chopp e tomar muito sorvete. Nessa hora, começava o sorteio. Muitos da loja 15 (Campinas) ganharam prêmios. Da nossa loja, ganharam o Guilherme (caixa), Laudeli (gerente), mas como ele saiu não recebeu o prêmio, Sílvio (motorista), Élson (açougue) e... EU!

Eu estava lá no playground e saí correndo pelo campo de futebol até chegar lá. Quando recebi o prêmio, o carinha do sorteio me perguntou o que eu fazia lá e há quanto tempo. Eu disse que eu era repositor e que já estava lá há 10 meses. Após ter ganho uma capa para moto, coisas para cachorro, waffers, um jogo de talheres e um conjunto de formas para sobremesa, fui para a casa. O Jardel foi junto.

Capítulo III – Vômitos incessantes

O Jardel ficou na net aqui em casa e eu comecei a ficar enjoado. Durante isso passava Itália 1-1 França na Globo. Teve uma hora que não me agüentei e corri para o banheiro para vomitar. Foi um monte de sorvete e o almoço. Melhorei um pouco, o Jardel foi para a casa e eu fiquei na Internet.

Não adiantou, vomitei de novo. Eu não podia engolir nada que eu ficava enjoado e vomitava. Cansado de correr para o banheiro toda a vez que eu sentia o vômito subir, peguei um balde. Eu já não vomitava mais nada além de água. A Janaína veio me medicar e me deu um remédio infantil para parar o vômito. Quarenta minutos depois, eu colocava tudo pra fora de novo. Aconteceu muitas vezes também de eu vomitar nada. O cheiro de sabão em pó do balde me deixava ainda pior. Houve uma hora que eu vomitei um líquido verde e amargo. A minha bile. Fiquei preocupado e eu não via outra solução senão a de procurar um médico. Mas não fui porque se eu fosse de ônibus eu vomitaria lá o tempo todo e isso seria vergonhoso. E não havia ninguém que pudesse me levar de carro. Táxi era muito caro, e como eu estou com pouca grana, desisti do médico. Só consegui parar de vomitar lá pelas 22.00h. Foram cinco horas só de enjôo e vômitos.

E assim foi...
Posted by Picasa

3 comentários:

  1. Para o comentário do post anterior.

    Não tenha namorada não. Quem é você? Podemos fazer negócios. =)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. sou eu a fram
    heh
    os acontecimentos HUHA
    a bi vai fika louka kando ver a fotu uhuA
    beijox

    ResponderExcluir
  3. nunca tinha lido seu blog =(


    caralho vc é mto inteligente/o/

    ResponderExcluir