sábado, 24 de junho de 2006

IV Momentos de Filosofia - Estereótipos


Es.te.re.o.ti.po ou es.te.re.ó.ti.po sm 1. Tip. Clichê obtido por estereotipia. 2. Conceito padronizado sobre pessoas, povos, raças, etc. 3. Fig. Lugar-comum.

Essa é a definição de estereótipo segundo o meu maravilhoso “Minidicionário Ediouro da Língua Portuguesa – Completo” (completo uma ova!) para a palavra “estereótipo”, que será o tema do meu III Momentos de Filosofia, que vinha muito parado.

O Brasil possui uma sociedade formada em sua esmagadora maioria de pessoas obtusas (isso para não ser mais direto e chamá-las de burras mesmo, mas isso é demasiado ofensivo). Esses seres obtusos evidentemente não possuem cérebros dotados com a capacidade de raciocinar logicamente, sendo alvo fácil da mídia influenciadora. Essa mídia influenciadora atende pelo nome de Rede Globo de Televisão. Mas não estou aqui para falar mal da Rede Globo (por enquanto), estou aqui para falar de estereótipos.

O estereótipo é uma forma padronizada sobre pessoas, povos, raças, etc, como cita meu dicionário. E não deixa de ser uma idéia preconceituosa também. Para começar, nada no mundo inteiro é mais estereotipado do que a mulher, principalmente em países pobres. Quando você vai a um lugar onde só trabalham ou só freqüentam homens, como em bares e oficinas, repare uma coisa: é de lei haver um cartaz com uma mulher seminua, nua, ou algo além de nua. Esse é um estereótipo: o de que a mulher é um ser a serviço do sexo e para o sexo. Além disso, existem outros estereótipos sobre a mulher como de que a função da mulher é cozinhar, lavar, cuidar dos filhos, resumindo, cuidar do lar de uma maneira geral. Eu sei muito bem disso porque o meu pai sempre fala isso quando reclama da mãe. Outro estereótipo sobre pessoas que podemos citar é o de que todo gay é afeminado ou gaúcho, de que todo “CDF” é esquisito, de que todos os adolescentes são rebeldes e escravos da moda. A de que toda a pessoa feia (aquela fora dos padrões de beleza que são IMPOSTAS pela mídia e ACEITAS pelos idiotas que as seguem. Em breve escreverei um post sobre o império da vaidade) não é uma pessoa boa para um relacionamento, etc. E tem aqueles retardados da “Malhação” que são estereotipados. Na verdade, eles são só um corpo e nada mais. Os atores são patéticos quando tentam (se sucesso) demonstrarem que são bons atores e pessoas inteligentes. A novelinha é fútil.

O Brasil é um país estereotipado e que se deixa estereotipar. Quando você vê na televisão uma reportagem sobre o que os estrangeiros pensam do Brasil não precisa pensar muito na resposta que vem por aí: Ronaldinho, Pelé, carnaval, mulatas (mulheres estereotipadas!) e caipirinha. O Brasil não tem uma imagem boa no exterior. A primeira coisa que vem em mente é o futebol, o que justifica o fato de que o povo brasileiro fica mais retardado do que de costume (o que prova que realmente nada é impossível de piorar) quando é época de Copa do Mundo. Depois, o Brasil, graças ao ocioso povo do Rio de Janeiro, que em sua esmagadora maioria é formado de gente vulgar, ficou taxado para os estrangeiros que o Brasil é a Terra do Sexo Fácil (bundas e peitos exibidos como carnes em um açougue) e a Terra dos Vagabundos (que esperam o ano inteiro pelo Carnaval para não trabalharem) devido ao Carnaval. O inteligente episódio “Feitiço da Lisa” do desenho “Os Simpsons”, é cheio de estereótipos sobre o Brasil porém mostra e real cara do Brasil, ou melhor, do Rio de Janeiro.

Países ricos também têm essas idéias estereotipadas. Vamos citar o cão do ocidente: os Estados Unidos. Os filmes mostram ao mundo como a sociedade estadunidense vivia (american way of life) e pensava, os produtos que consumia, as “vitórias” estadunidenses na guerra, as conquistas dos territórios, a “maldade” dos indígenas, a “preguiça” do mexicano ou do africano para o trabalho, etc. Uma cambada de estereótipos.

Estereótipos de raças: que os negros são ladrões, de quem é do Oriente Médio é mulçumano e um fanático religioso que “morre por Allah”, de que oriental tem um “órgão reprodutor masculino muito abaixo da média” e ainda de que são todos iguais, de que todos os estadunidenses e argentinos são prepotentes e arrogantes, e outros tantos que eu esqueci.

E tem os de locais também e isso é interessante. As agências de turismo são mentirosas quanto a “imagem” que eles vendem de um país. Não existe um lugar mais hipócrita no Brasil do que a Bahia. É mais fácil ganhar na loteria do que encontrar um baiano que não seja idiota (usei o termo idiota só para resumir). A imagem que eles passam do estado deles é a de que: todos são felizes, todos comem acarajé, todos amam axé, todos amam Olodum (ui!), todos e suas cidades cheiram bem (Mentira! Eles cheiram a urina!), todos são devotos daqueles deusesinhos de macumba. Vou ter que parar por aqui para não vomitar. Mas a real cara dessa Bahia nojenta e principalmente fedida é a de que eles são um povinho porco, que cheira a urina, burro, preguiçoso, inútil, promíscuo. Suas “cidades” fora Salvador são entupidas de esgoto, gente burra e feia (pra variar), uma favela, um pesadelo.

Isolei esse parágrafo do de cima para não contaminar e para continuar o assunto. Bom, o exemplo de cima explica muita coisa. A mídia e as agências de turismo passam a imagem somente daquilo que presta no lugar que eles estão vendendo. Eles não vão mostrar as favelas, as pessoas com mau-hálito e desdentadas porque isso não vai vender de jeito nenhum. Esses dias, meu professor de inglês disse que gostaria de morar na Palhoça. Eu disse que só no centro da Palhoça, porque com exceção do bairro Pedra Branca, onde vive uma burguesia exploradora, Palhoça é uma cidade bela só por natureza mesmo porque ela é feia. As casas são feias, as ruas são cheias de buracos, lama, pó, ratinhos correndo de um lado para o outro, criancinhas cabeçudas, mal-educadas e com uma barriga enorme recheada de lombrigas jogando futebol no meio da rua, etc.

Estereótipo é isso. Todos somos estereotipados em algum quesito, ou estereotipamos alguém ou alguma coisa. Os estereótipos existem devido aquela esmagadora maioria de gente burra. Todas as coisas têm um lado bom e ruim. Só resta a cada um não ser burro de ver as coisas por um ângulo só.

E assim foi...
 Posted by Picasa

5 comentários:

  1. Cara, achei o seu blog na comunidade do orkut...
    muito bom o seu blog, os textos são bem legais...

    Só passei p/ avaliar...

    até...

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. eae cara bele!? Bem tava passando e encontrei seu blog.. achei legal pra caramba esse seu texto sobre esterotipos, no começo vc explicou tudo certo mais po depois vc pego pesado no preconceito hein!.. :O mais ta valendo cada um escreve o que bem entende!.. mais curti! falow..

    ResponderExcluir
  4. Oi, vi seu endereço no fórum da comunidade do Blogspot
    Vc gostaria de ter um template personalizado?
    Eu sei fazer e não cobro nada. Faço por hobby mesmo.
    Só entrar lá no meu site Eliane.com
    http://elianedesinger.blogspot.com/
    Tenho tudo explicadinho o que deve me enviar.
    Meu email é templately@yahoo.com.br
    E meu perfil no orkut:
    http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=5900975957402536037
    Enfim, bom blogger! rs
    Li

    ResponderExcluir