quarta-feira, 19 de abril de 2006

A folga que não foi...


O bom de trabalhar nos feriados é que podemos negociar as folgas, mas quando você acha que está tudo certo, dá tudo errado. E isso pode fazer com que você fique em casa, sozinho na frente do computador, fazendo absolutamente nada além de ouvir o pai falar mal da mãe e sua barriga roncando de fome. Enquanto isso, seus amigos estão em Florianópolis se divertindo, e você com raiva torcendo para o ônibus cair pra fora da ponte.

Pus uma cara azul hoje (18 de abril de 2006) no quadro emocional do trabalho. “Mas que diabos esse idiota está dizendo com esse negócio de cara azul?”, você se pergunta. Então eu respondo. O Quadro Emocional é um quadro de metal que fica na parede do lado de fora da tesouraria (e tesouraria não é um lugar onde se guardam tesouras, e sim, o tesouro, ou seja, o dinheiro de qualquer empresa antes de ser levado pelo carro-forte, ou pela mãe ganso, como eu prefiro dizer). Nesse quadro, todos os funcionários da loja estão divididos pelas suas funções na empresa. Ao lado de seu nome existem sete quadradinhos, que representam os sete dias da semana (domingo, segunda-feira, terça-feira, e por aí vai...). Todo dia, o colaborador, antes de bater o cartão-ponto vai lá e põe uma cara (como se um ímã de geladeira. Por isso o quadro é de metal) que expressará suas emoções. Ele irá pôr:

- Cara verde =) – Ótimo astral
- Cara azul =/ – Bom astral
- Cara vermelha =( – Mau astral
- Cara amarela com tarja azul Ø – Falta justificada
- Cara totalmente amarela (O) – Falta injustificada

As carinhas amarelas de falta ou a gente põe antes ou alguém põe pra gente no dia em que não estamos mais. Todavia, a cara azul é uma cara muito complexa. Como você pode ver (ou não. Não sei se o texto do Blogger vai entender essas caras -- não entendeu!), a cara azul é o meio termo. Ela pode indicar sim bom astral, mas não de estar empolgado como no Ótimo, ou o próprio meio termo, quando a pessoa não está nem feliz, nem triste, ou mau astral retraído se for posto de cabeça pra baixo (é porque as pessoas ficam te perguntando por quê você está puto da vida se você põe mau astral).

Eu pus a cara azul mais pelo sentido de “nem bom, nem mau astral”. Isso porque a Roseli fez algo infeliz comigo. =(

Três semanas antes dessa montanha de feriados, eu pedi a ela pra trabalhar no dia de Tiradentes e na Sexta-Feira Santa. Então, eu teria direito a duas folgas.Eu pediria folga no sábado, dia 22 e na segunda, dia 24. Então eu ficaria dias 22, 23, domingo, e o dia 24, feriado da Palhoça (mas eu achava que haveria trabalho normal na loja porque não somos do governo, então o feriado de Palhoça não seria considerado feriado por uma empresa privada, mas é), ou seja, três dias seguidos sem se estressar com o trabalho e puxar-frente.

Dias depois, ela me disse que eu não trabalharia na Sexta-Feira Santa porque eu trabalharia no dia do feriado de Tiradentes, daí eu pegaria folga sábado, haveria o domingo, e a loja não abriria dia 24 porque é feriado da Palhoça. Deu tudo errado.

A loja não abrirá dia 21, sexta. Eu trabalho sábado, tem o domingo e eu acho que vou ao cinema, não sei, e na segunda eu vou trabalhar! Grrrrrr...

Eu queria esses três dias de folga, pois trabalhar seis dias seguidos e folgar um é pouco para descansar meu cérebro atolado de clientes chatos ou burros e de bagunça na área de vendas. E ficar sem puxar-frente, algo que somente eu faço na loja e que é bem chato. Além do mais, o recém-desempregado Robisson e o tradicionalmente desempregado Jardel iriam à Florianópolis fazer “merdinhas”. Eu ia pra comprar roupas para o frio que começou.

Pois é, fudeu tudo. Agora o jeito é conversar de novo com a Rosinha e fazer figa para pegar folga na terça, dia 02 de maio. Então eu ficaria domingo, segunda, feriado de Dia do Trabalho, e terça sem trabalhar, ou seja, aqueles três dias de paz. Agora é só o que me falta acontecer outro rolo como esse atual. E no dia da “folga”, não sei se o Robisson e o Jardel irão fazer “merdinhas” em Floripa.

Trabalhar dói.

E assim...
SERÁ!

3 comentários:

  1. OBS: Como eu não estou a fim de editar esse post ou ter de criar um novo, nada mais eficiente do que fazer um comentário aqui mesmo.

    Pois é. O rolo está feito. Falei com a Rosinha nessa quarta (19/Abr) e ela disse que eu poderia folgar no sábado e na segunda. Segunda sem problema, eu não perco nada porque a loja vai abrir mas vai ser considerado feriado. Todavia, sábado não é feriado e então eu passaria a estar devendo seis horas e teria de pagar com horas extras que seguiriam por três dias. Não quero, é claro. O negócio é chorar ou tentar combinar pra folgar dia 02 de maio.

    ResponderExcluir
  2. Trabalhei segunda (dia 24) e por falta de movimento a loja fechou às 18h. Como eu vou pegar folga agora meus Deus? Tenho só três horas de crédito.

    Pelo menos três dias vermelho no quadro emocional (não me perguntaram o por quê. É obvio que eles sabem - responsáveis pela avacalhação comigo). Eles não queresm me ouvir reclamando.

    ResponderExcluir
  3. 30 de abril: domingo (não abrimos)
    01 de maio: feriado do Dia do Trabalho
    02 de maio: folga
    03 de maio: trabalho recomeça =(

    ResponderExcluir